9 de maio de 2017

Vitória no primeiro round


Confirmaram-se as sondagens e os franceses votaram massivamente em Emmanuel Macron depositando neste candidato surpresa total confiança para ocupar o Eliseu.
A vitória de Macron representa claramente a reacção natural de rejeição do radicalismo de direita representado e fulanizado em Marine Le Pen.
A França e a União Europeia suspiram e respiram de alívio (uma vitória de Le Pen seria o princípio do fim do sonho europeu) .
Um suspiro que não poderá desviar a atenção de factos altamente preocupantes.
Uma altíssima percentagem de abstencionistas, de votos nulos e brancos, que reflectem a desilusão dos franceses com a política e os políticos tradicionais.
Desilusão que fez aparecer e ascender Macron e explica também em grande parte a sua vitória.
Macron que só ganhou o primeiro round de uma batalha que ainda não terminou.
O que obriga a França e a Europa a não poderem dormir tranquilas com os sinais que recebem de França.
Basta ver quem votou afinal em Macron para perceber que há grandes desafios pela frente.
Já não restam dúvidas que a política, os políticos, as instituições governativas, a nível supranacional e nacional, têm que se aproximar mais dos cidadãos e das suas necessidades para que as eleições legislativas em França não estraguem os festejos.
Terá Macron a capacidade, o engenho, para transformar o fortíssimo apoio que recebeu numa força partidária capaz de ganhar as eleições legislativas em França e ser alternativa às forças políticas tradicionais totalmente desacreditadas?
Ou, em alternativa, conseguir reunir um forte consenso entre os que tudo sacrificam para ver derrotados fenómenos de radicalismo agora temporariamente derrotados e rejeitados (uma espécie de "geringonça" em França como sugeriram já algumas vozes)?
Parece óbvio que a base eleitoral de Marine Le Pen e da Frente Nacional é forte e está relativamente consolidada.
Têm agora a palavra os políticos franceses para fazerem frente ao radicalismo nacionalista nas eleições legislativas que se aproximam e para que a vitória nas presidenciais que agora se festeja não se transforme rapidamente numa vitória de Pirro.

40 comentários:

  1. Um dos presidentes mais novos depois de Napoleão,segundo li. O seu entusiasmo excede a sua experiência. Acredito que fará o seu melhor e que será bem sucedido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na mouche, Catarina.
      É realmente dos mais novos, foi eleito por ser o mal menor, com base no menor denominador comum.
      Oxalá esse raciocínio se mantenha nas legislativas.
      Porque, se não for assim, temos tempestade.

      Eliminar
  2. Gostei desta vitória, mas a luta é tremenda...
    Boa tarde, Pedro.
    Beijinho
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E isso mesmo, Majo.
      Uma batalha foi vencida.
      A guerra está longe de estar ganha.
      E a batalha que se aproxima é MUITO complicada.
      Haja bom senso.
      Se não houver aquele sorriso da senhora Le Pen na noite da derrota presidencial tem toda a razão de ser.
      Beijinhos, bom dia para Portugal

      Eliminar
  3. Que alivio!
    Já tinha vindo aqui ler e comentar mas o blogger não gosta nada de mim...
    É um voto a favor da Europa. Menos mal...
    Boa semana, Pedro!
    Mor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O blogger está doido!
      Várias vezes impede-me o acesso ao meu próprio blogue porque tem adult/mature content.
      Claro!
      Todos os dias é isso que eu publico aqui.
      Muita coincidência, diria eu.
      Mas não posso levantar suspeitas sem ter provas.

      Eleições em França foi um filme que só agora começou.
      Vem aí a parte mais complicada.
      Reunir vontades para as legislativas vai ser muito mais complicado que para as presidenciais.

      Boa semana!

      Eliminar
    2. Adult/ mature content???!!!

      Está doido...

      Eliminar
    3. Palavra de honra, Golimix.
      E já são várias vezes.
      Obviamente quem quer procurar adult/mature content vem aqui ao blogue.
      Todos os dias!! :))))
      Pode haver razões que a razão até conhece.
      Mas, como não há provas...

      Eliminar
  4. Pode-se respirar por agora, mas é melhor que não se "deitem à sombra da bananeira" e façam alguma coisa para evitar novos sustos!!

    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A começar já com as legislativas em França, Golimix.
      Terá Macron capacidade para criar um partido ganhador?
      Ou para reunir vontades que possam derrotar a Frente Nacional?
      35% dos votos é MUITA gente.
      E muita gente que se sente bem a votar na Frente Nacional.
      Boa semana

      Eliminar
  5. Esperemos pelas eleições legislativas para ver no que isto tudo vai dar, ainda é sedo para festejos.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lançar foguetes agora é muito má ideia, Francisco.
      Corre-se o risco de levar com as canas na cabeça.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Mas ela não desiste, não vai desistir...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não só não vai desistir como vai ter uma votação expressiva, Chic'Ana.
      Essa é a única certeza.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Exactamente, Pedro, este é apenas o 1º round...daqui a mês e meio veremos!

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai ser complicado derrotar Le Pen nas legislativas, Ricardo.
      Mais complicado que derrotá-la nas presidenciais, até.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Respostas
    1. Já imaginou a Frente Nacional a dominar a Assembleia Nacional, São?
      É melhor pensar nessa possibilidade e tentar eliminá-la porque é bem real.

      Eliminar
    2. Vade retro !

      Concordo de todo !

      Eliminar
    3. Tremo só de pensar nessa possibilidade, São.
      Que é demasiado real para ser ignorada.

      Eliminar
  9. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Fico inquieto com esta onda avassaladora da extrema-direita no poder.
    Caloroso abraço. Saudações inquietas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O descontentamento das pessoas com os movimentos de globalização, os excluídos desses movimentos, procuram refúgio nestes movimentos populistas, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Sempre assim foi.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Há grandes desafios pela frente. Apesar de tudo, muito menores do que aqueles que surgiriam caso Le Pen tivesse sido a vencedora.
    É isto que devemos ter em conta.
    Um abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não venceu as presidenciais, não pode vencer as legislativas, António.
      Porque se vencer ficará instalado o caos em França.
      Com consequências impossíveis de prever.
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. estas eleições são mesmo muito perto uma da outra, Pedro!
    não há tempo para trabalhar ?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um trabalho hercúleo a ter que ser concluído em tempo recorde, Angela.
      Não há alternativa, tem que ser assim.

      Eliminar
  12. Ele tem uma grande mulher com idade e maturidade suficiente para levar a França ao que desejam. Ela dá-lge q mão, como se fosse mãe dele e não como esposa, o meu vizinho não repara nestas coisas, pois não?
    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reparo, reparo, AvoGi.
      ele assume esse romance, que até podia ser mal visto, sem quaisquer problemas ou complexos.
      Bjs

      Eliminar
  13. Menos um problema a contar com os que se debate a União Europeia...

    Votos de uma semana muito feliz.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas vem já aí outro a caminho, Mariazita - as legislativas.
      Beijinhos, votos de uma semana feliz

      Eliminar
  14. A Europa ficou mais aliviada, por enquanto...

    Um beijinho e boa semana

    O Toque do coração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo, Fê, por enquanto.
      Vamos ver o que nos reservam as legislativas.
      Beijinhos, boa semana

      Eliminar
  15. Fiquei aliviada com a vitória de Macron, embora tenha consciència dos grandes desafios que o esperam.
    Ainda na Suíça e longe da blogosfera, deixo um beijo.
    O regresso está para breve.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faça-me o favor de se divertir muito na Suíça, Manu.
      Bjs

      Eliminar
  16. O pior vem a seguir, mas com o número de PêEsses a fugirem para o Republique En Marche, ainda se arrisca a ter maioria absoluta, ou andar lá perto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Le Pen tem um eleitorado consolidado e fiel, Carlos.
      Que haja bom senso que possibilite entendimentos que derrotem a Frente Nacional.

      Eliminar
  17. Pedro, passei para deixar o meu beijinho.

    ResponderEliminar
  18. Fiquei bastante feliz com a vitoria dele. Espero que consiga alcançar a majorité com as legislativas... :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Seria bom mas não acredito, The Reader's Tales.
      Ficarei satisfeito e aliviado se Marine Le Pen não ganhar as legislativas.

      Eliminar