11 de maio de 2017

Intemporais (73)

12 comentários:

  1. Um clássico e foi tão bom recordar. Adorei!

    Beijocas e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma das tais que se tornou imortal, Fatyly.
      Beijocas, um bom dia para Portugal

      Eliminar
  2. Respostas
    1. A melodia e o filme, Francisco,
      Da galeria dos inesquecíveis.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Por Chronos, como o tempo urge...
    Quando esta enternecedora canção e película fizeram sucesso estrondoso eu tinha 16 anos.
    Também foi o ano que alunissamos e minha saudosa avó materna, a Sra. Belmira Pedroso (1900-1985), dizia e continuou a dizer até o dia que partiu:
    - É mais fácil um camelo entrar num buraco de agulha do que o homem chegar na Lua.
    Saudades da avó Belmira...
    Caloroso abraço. Saudações alunissar".
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Belmira é o nome de uma das minhas tias, irmã da minha mãe, Amigo João Paulo de Oliveira.
      A tal que tem um "cancioneiro" único.
      Diz coisas que só ela consegue pensar e que nos deixam a todos bem dispostos.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. Vi o filme à noite na televisão há alguns anos e impressionou-me, pela realidade que transmitia e pela diferença (depois passei a associar sempre a música ao filme)
    um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que são indissociáveis, Gábi.
      Esta é das tais que não tem tempo.
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Deliciosa recordação.
    Obrigada.

    ResponderEliminar