2 de março de 2017

Quando os fins justificam os meios


Rodrigo Duterte - People's Last Hope, como se pode ler no cartaz propagandístico, é infelizmente um sentimento comum a uma grande fatia do povo filipino.
Um homem que confessa com orgulho o morticínio que fomenta, que confessa com orgulho ser ele próprio um assassino, que defende e pratica a tortura física e psicológica, Chefe de Estado de um país com quase cem milhões de habitantes, com uma grande fatia destes a ver nele exactamente aquilo que a propaganda quer que nele vejam - People's Last Hope.
Rodrigo Duterte não é só mais um dos muitos líderes populistas e demagogos que se vêem hoje em dia um pouco por toda a parte neste Planeta em sofrimento.
Rodrigo Duterte é um bárbaro assassino, um homem que, a coberto da luta contra o narcotráfico e o consumo de estupefacientes, vai eliminando também os poucos focos de resistência política e de oposição às suas tresloucadas ideias.
Ver em Macau uma manifestação de apoio e de quase adulação a semelhante criminoso despertou a minha curiosidade.
E resolvi perguntar à minha empregada doméstica, de origem filipina, o que sentia quando sabia que o Presidente do seu país confessava ser um assassino.
A resposta foi pronta e convicta - Rodrigo Duterte é um herói do povo, o justiceiro que está a libertar as Filipinas do flagelo das drogas.
E que, com essa cruzada, conseguiu que o arquipélago se tornasse um local muito mais seguro.
Não se sabe ao certo o número de pessoas que terão já sido eliminadas por Rodrigo Duterte e os seus sequazes nas forças policiais e militares.
Mas estima-se que serão já milhares.
Milhares de vítimas cuja eliminação física, à margem de qualquer procedimento legal,  é justificada com o facto de traficarem ou consumirem drogas (à boleia terão sido eliminados também alguns adversários políticos).
Tudo justificado, e com a justificação aceite por uma grande fatia da população, de uma forma que tem muito de infantil e pueril e que se pode resumir no velho conceito maquiavélico - os fins justificam os meios.

30 comentários:

  1. Já à algum tempo que não falávamos desta personagem com um verdadeiro historial de tudo aquilo que um "politico" não deve fazer, um verdadeiro bandoleiro.
    Um abraço e continuação de boa semana.
    Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A inspiração veio daquela manifestação de apoio que aqui houve no domingo, Francisco.
      E dos comentários da minha empregada.
      Aquele abraço, continuação de boa semana

      Eliminar
  2. Um povo crédulo é viveiro é uma porta aberta para manter um qualquer ditador, feroz e sanguinário, no comando do seu país.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O povo filipino está em grande maioria ao lado dele, Elvira Carvalho.
      Consideram-no um herói.
      Um abraço

      Eliminar
  3. Se há pessoas que me causam repulsa este é um desses tipos, Pedro.

    Quanto ao seu post, não posso concordar mais.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O homem causa-me náuseas, Ricardo.
      Mas goza de uma popularidade assustadora.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. O povo sempre gostou de "bandoleiros" que garantissem de forma razoável a paz e o sossego, bem como as garantias de ordem respeito pelos usos e costumes. Os "pseudo-intelectuais correctamente pensantes", criticam tudo e todos enquanto as desgraças não lhe batem á porta e depois "clamam pelos seus direitos". A filipina sua empregada sabe do que fala pois "sentiu" ao contrário de si o que é esse flagelo e sabe que "morto não trafica" ao contrário do preso na cadeia. Exemplos, tem á sua porta. Como é que o ditador Mao acabou com o tráfico e tráfego do ópio? Cumprimentos para si.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. aguerreiro,
      Este crápula diz com orgulho, em público, que atirou tipos de helicópteros em movimento quando era Governador de Mindanao.
      Que liquida a tiro, e já o fazia antes consumidores e traficantes de droga.
      Há alguma coisa que justifique um comportamento destes????

      Fala em Mao.
      Pois, outro criminoso, outro assassino em série.
      A diferença é a nacionalidade.
      A bestialidade é muito semelhante.

      Cumprimentos para si

      Eliminar
  5. Apoio?! Mas como é que se chegou a este ponto?!

    O pior é não ser um fenómeno isolado.

    Para mim, a Humanidade está a perder os valores e os princípios.

    Se assim continuarmos será inevitável uma guerra e , desta vez, mesmo mundial a sério.

    Bom Março, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apoio e em grande número, São.
      O povo filipino é muito dado a estas coisas.
      Lembre-se de Marcos, de Estrada, que foi eleito porque representava papéis de justiceiro no cinema.
      Este tipo confessa abertamente e com orgulho ser um assassino.
      E isso dá-lhe popularidade.
      Bom Março

      Eliminar
  6. É incrível a popularidade que este senhor reúne...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Invejável para a grande maioria dos líderes políticos, Chic'Ana.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Não sei bem porquê este indivíduo parece situar-se muito próximo de Hitler e Trump !?... "Os fins justificam os meios" e o que é estranho e daí o facto de terem sido eleitos, é que os seus eleitores apoiam esse slogan ! Para eles o "justiceiro" que os irá libertar e proteger !!! ... É estranho e é verdade ! ... E eles sentem-se por isso mandatados para continuar a sua "cruzada contra o mal" , seja de que modo for, justificando o fim através de quaisquer meios ! :(

    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isso - não só foram eleitos como são apoiados nas suas actividades delituosas.
      E sentem-se perfeitamente legitimados em continuar as mesmas.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Normalmente, o populismo tem um forte apoio da população, que muitas vezes é maioritário. Foi assim com Hitler...
    Continuação de uma óptima semana, caro Pedro.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Curioso que ontem respondia isso mesmo a alguém que contestava as minhas ideias num outro fórum, Jaime Portela.
      Não é por serem eleitos que os líderes políticos podem fazer o que lhes der na real gana.
      Hitler será mesmo o melhor exemplo dessa realidade.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Vizinho...
    Desde que vi um vídeo de uma mulher a ser apedrejada no Irão e outras tantas a bater palmas redigo que quanto menos letrados mais estúpidos. E os governantes sobem ao poder à custa destes.
    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sobem ao poder, mantêm-se e sentem-se legitimados a fazer o que lhes dá na real gana, AvoGi.
      Bjs

      Eliminar
  10. Verdadeiramente impressionante!

    Beijinhos, Pedro.
    ~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão real que até arrepia, Majo :(
      Beijinhos

      Eliminar
  11. Loucos, assassinos, corruptos, ditadores, são estes os homens que estão a dominar o mundo.
    Um Planeta em sofrimento, sim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mais impressionante é o apoio popular de que gozam, Maria Araújo :(

      Eliminar
  12. o que mais me preocupa não é haver homens como Duterte. É a crescente aceitação que eles vão tendo, porque isso demonstra que a democracia conduziu à regressão civilizacional das sociedades modernas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São cada vez mais e têm cada vez mais seguidores, Carlos.
      E isso é verdadeiramente assustador.

      Eliminar
  13. A ordem, sempre, teve mtos apoiantes e admiradores, uns, talvez por desconhecimento, outros/mtos, não.
    Se fosse filipina ou lá vivesse, julho k pensaria como a sua/vossa colaboradora (sim, agora já "não" devemos dizer empregada doméstica, pke isso é xenófobo, discriminatório, fascista e fascizante). Onde é k já ouvi isto?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca consigo aceitar estes métodos absolutamente bárbaros, CÉU.
      Ao contrário do título, nem todos os fins podem justificar os meios.
      Não pode ser assim!

      Eliminar
  14. O pior é que vemos crescer no mundo condições para que o exemplo vingue noutros locais. As massas são facilmente manipuladas.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este populismo está a crescer de forma assustadora, Agostinho :(
      Aquele abraço

      Eliminar