29 de março de 2017

Only in America


Esta história aconteceu em Charlotte, na Carolina do Norte.
Um advogado comprou uma caixa de 24 charutos muito raros e caros, e segurou-os contra todos os riscos, incluindo INCÊNDIO !

Passado um mês, e depois de ter fumado todo o stock dos tais maravilhosos charutos, o advogado apresentou à companhia de seguros um pedido de indemnização, alegando que os seus charutos tinham sido “destruídos numa série de pequenos incêndios”.

A companhia de seguros recusou-se a pagar, alegando a razão óbvia que o senhor tinha consumido os charutos pela forma habitual e a que eles se destinam.
O advogado instaurou um processo contra a companhia de seguros, e GANHOU!!! Na sentença, o juiz concordou com a alegação de “falta de seriedade da queixa” aduzida pela companhia de seguros; mas apesar disso considerou que o advogado era titular de uma apólice, na qual se garantia que os charutos era seguráveis, e também se garantia que ficava seguro contra incêndios – sem definir o que razoavelmente deva ser considerado como tal (como seria o caso de os charutos serem fumados), e condenou a companhia a pagar a indemnização pedida.

Em vez de perder tempo e dinheiro com recursos caros, a companhia de seguros decidiu aceitar a sentença, e pagou ao advogado 15.000 dólares, a título de prejuízo sofrido pela perda dos seus charutos “numa série de pequenos incêndios”.

AGORA VEM O MELHOR…

Depois de o advogado ter recebido o dinheiro, a companhia de seguros fê-lo prender preventivamente por acusação de 24 FOGOS POSTOS!!!

Com base na prova constante da alegação do próprio advogado e coligida no processo por ele intentado, o advogado foi considerado culpado de ter intencionalmente incendiado a propriedade segura – e condenado a 24 meses de prisão, e multa de 24.000 dólares !!!

No ano seguinte, esta história, que é real, ganhou o primeiro prémio no “Concurso de Advocacia Criminal”.

37 comentários:

  1. Respostas
    1. Depois de saber que uma fulana tinha ganho uma pipa de massa porque tinha processado a empresa que fabricava os micro-ondas, que não referiam especificamente nas instruções que aquilo não era apropriado para secar gatos após o banho, nada me surpreende na justiça americana, Teresa.

      Eliminar
  2. Como se diz por cá " chico espertismo".
    Caso para dizer que o tiro lhe saiu pela culatra.

    Beijos Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As bizarrias da justiça americana deviam ser compiladas e reunidas em livro, Manu.
      Best-seller garantido à partida.
      Beijos

      Eliminar
  3. O episódio é excelente exemplo de que o mal nem sempre vence.
    Mas até parece anedota.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recebi como se fosse real, da breve pesquisa que fiz na Internet fiquei com a mesma ideia, João Menéres.
      E não me surpreende que seja.
      A justiça americana é única nestas peripécias perfeitamente anedóticas.

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Um dos tais casos que dá mesmo vontade de comentar - Only in America!
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Um episódio destes só podia acontecer nos Estados Unidos.
    Um abraço e continuação de boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    Livros-Autografados

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo o típico only in America, Francisco :)))
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Só mesmo nos Estados Unidos!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos fazem-nos rir e ficamos com histórias para contar, Chic'Ana.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Não sei se entrou ou não o anterior comentário.

    Efectivamente só naquela aberração de país estas situações sem sentido podem acontecer!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje chegaram os dois muito bem, São.

      Os americanos são mesmo únicos.
      Neste casos no pior sentido.

      Eliminar
  8. Parece anedota. Estive a ler o mesmo artigo no The Guardian. Parece que não há confirmação de ser um caso verídico. Mas vindo da América... nunca se sabe! : ))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vendo como comprei, Catarina.
      E, como viu, há referências na internet a este caso como sendo verídico.
      Não me surpreende.

      Eliminar
  9. Ai , vizinho do oriente..
    Advogados!!!!! Sempre a ganhar
    Custa a crer
    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vindo dos Estados Unidos não custa assim tanto, AvoGi.
      Bjs

      Eliminar
  10. Pedro,
    Aprecio imenso estas "disputas" entre advogados, aliás sou fã de séries e filmes onde o tema é a advocacia e seus meandros.
    Não sei se passa aí as séries americanas, "How to Get Away with Murder" e "Bull" :)

    beijinho

    O Toque do coração

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conheço as séries mas não passam aqui, Fernanda Maria.
      Infelizmente o panorama televisivo é de uma pobreza franciscana.
      Beijinhos

      Eliminar
  11. Respostas
    1. Daquelas coisas que SÓ acontecem na América, Elvira Carvalho.
      Um abraço

      Eliminar
  12. Bom! Só mesmo na América!!!
    Cá no nosso portugalex isso nunca seria possível...

    Beijinhos lusos, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que maluquices destas não acontecem em Portugal, Graça.
      Já temos uma dose de doidos mais do que suficiente.
      Beijinhos

      Eliminar
  13. Que história incrível! A realidade a ser mais imaginativa que a ficção :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nos Estados Unidos é sempre possível, Gábi :))

      Eliminar
  14. Conto muitas vezes esta história nas minhas palestras sobre defesa do consumidor. E também outra da viúva de um tipo que se suicidou e a viúva pediu uma indemnização ao fabricante, porque no livro de instruções não estava escrito que se ele apontasse a arma contra si e premisse o gatilho, poderia morrer... A viúva também ganhou.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então agora pode acrescentar a do micro-ondas não ter instruções específicas para não secar gatos, Carlos :))

      Eliminar
    2. Essa dos gatos ainda não conhecia, ma há muitas deliciosas. Parecem ficção, mas são bem reais!

      Eliminar
    3. Quem não conhece pensa que é anedota, que não é real, Carlos.
      É real, o mais possível!

      Eliminar
  15. Muito, muito interessante, Pedro.
    Beijinhos
    ~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pérolas que só os Estados Unidos nos dão, Majo.
      Beijinhos

      Eliminar
  16. Estórias amaricanas para engrupir os caras pálidas das Oropas. Só lhe faltavam os sinais de fumo para alertar os pompiers lá do sítio. Cumprimentoa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E há tantas deste género, álvaro silva!!
      Cumprimentos

      Eliminar
  17. Uma história incrível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nos Estados Unidos coisas destas são aos montes, Maria Araújo.

      Eliminar