31 de março de 2017

Barbeiro


Um homem entra no salão do barbeiro, e pergunta:
«Quanto tempo até chegar a minha vez?»
O barbeiro olha em volta do seu salão, e responde:
«Mais ou menos 2 horas!».
O homem sai. 
Passam alguns dias, volta e pergunta:
«Quanto tempo até chegar a minha vez?»
O barbeiro olha em volta do seu salão, e responde:
«Mais ou menos 3 horas!».
O homem sai. 
Passa uma semana, o mesmo homem entra e pergunta de novo:
«Quanto tempo até chegar a minha vez?»
O barbeiro olha em sua volta e responde:
«Mais ou menos 1 hora e meia!».
O homem sai. 
O barbeiro vira-se para um seu amigo e diz:
«Oh João, faz-me só um favor! Segue aquele homem e vê para onde vai.
O gajo sempre que entra aqui, pergunta quanto tempo até a sua vez, 
mas nunca volta».
Uns minutos depois, João regressa ao salão a rir histericamente.
O barbeiro curioso pergunta:
«Então? Onde é que ele vai depois daqui?»
João levanta a cara, enxuga as lágrimas de gargalhadas e responde:
«Quando sai daqui...ele vai para tua casa!».

16 comentários:

  1. Homem prevenido não se deixa surpreender.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A boa-fé pode ter consequências terríveis, Elvira Carvalho :))
      Um abraço

      Eliminar
  2. eheheheh... Por acaso já conhecia ! rsrs
    É sempre bom saber quantos minutos há pela frente ! Se dão para uma refeição completa, apenas para um snack, ou só para um cafézinho ! rsrsrs
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Jesus!! Coitado do barbeiro, Pedro! Até eu fiquei surpreendida com a desfaçatez do fulano!:)
    Isso é o que se chama 'cornear' pelo seguro. :))

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O seguro morreu de velho, não é, Janita?? :)))
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Esta foi uma ótima e ridente surpresa.
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagine a surpresa do barbeiro, Majo :)))
      Bjs

      Eliminar
  5. Ahaha! Esta é capaz de dar boas ideias a muita gente! =)

    ResponderEliminar
  6. Sem stress, portanto.
    Não se sabe se o barbeiro afiou a navalha e lhe foi fazer a barba.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há uma forte possibilidade de tal ter acontecido, Agostinho :)))

      Eliminar