24 de março de 2016

Uma longa caminhada feita de pequenos passos


Lao-Tsé ensinou-nos que "Uma longa caminhada começa com o primeiro passo".
E pode continuar com outros pequenos passos, estaria tentado a acrescentar.
É sob este prisma que deve ser analisada a visita de Barack Obama a Cuba nesta semana de Páscoa.
O tal primeiro passo pode ter sido dado no funeral de Nelson Mandela com um mediático aperto de mão entre Barack Obama e Raul Castro.
Logo ali se pressentiu que algo estava a mudar no relacionamento tenso entre as duas nações.
Pulemos até ao ano de 2014, quando é oficialmente anunciada a intenção de reabertura de embaixadas dos Estados Unidos em Cuba, e de Cuba nos Estados Unidos, depois de meses de intensas negociações (mais pequenos passos) altamente secretas mediadas pelo Vaticano na pessoa do Papa Francisco.
Obama teve finalmente a oportunidade de, depois de ter afirmado que uma fórmula que não resulta durante cinquenta anos deve ser alterada, oitenta e oito anos depois de Calvin Coolidge ter desembarcado em Cuba, cumprir um sonho, aterrar em Cuba e dar mais um pequeno passo no caminho tendente à possível normalização das relações diplomáticas entre os dois países.
Um caminho que será longo, que certamente conhecerá avanços e retrocessos no processo negocial e diplomático, que enfrentará obstáculos que se torna impossível tentar prever quais e como serão ultrapassados.
O primeiro dos quais certamente a prender-se com a mudança de lideranças.
Nos Estados Unidos muito proximamente, em Cuba e no Vaticano (a própria lei da vida por certo a isso obrigará...) provavelmente depois, e na prioridade que as novas lideranças venham a dar a este caminho que calma e seguramente vai sendo percorrido.
Uma longa caminhada que já teve vários pequenos passos, que se deseja continue no caminho que vem sendo seguramente trilhado pelas duas nações.
As quais, como os próprios líderes publicamente reconheceram, têm visões muito diferentes acerca de múltiplas questões, grandes divergências de todos conhecidas e frontalmente assumidas, mas que se espera não constituam obstáculos inultrapassáveis nesta longa caminhada feita de pequenos passos.

Votos de uma Feliz Páscoa para todos os que por aqui passam e respectivas famílias.

(O blogue só volta ao vosso convívio na próxima terça-feira, uma vez que na segunda-feira há tolerância de ponto)

38 comentários:

  1. Feliz Páscoa, Pedro.
    Percorramos, nós próprios, longas distâncias em pequenos passos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tento fazer isso todos os dias, Catarina.
      Não são precisos grandes gestos, grandes feitos.
      É necessário ser responsável e decente.
      Páscoa Feliz para a Catarina e família

      Eliminar
  2. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Agradeço e retribuo os auspiciosos votos.
    Caloroso abraço. Saudações renovadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande abraço, Amigo João Paulo de Oliveira!

      Eliminar
  3. O Obama vai deixar saudades...
    A única coisa que ele não conseguiu foi Guantánamo.

    Boa Páscoa. Aqui não há tolerância...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Guantanamo ultrapassou-o, Golimix.
      O Congresso bloqueou sempre essa intenção.
      Concordo, Obama vai deixar saudades.
      Uma forma diferente de estar na política, de estar na vida.
      Se o sucessor for aquela luminária Trump, então essa saudade será ainda muito maior.
      Feliz Páscoa

      Eliminar
  4. Pela primeira vez em 88 anos que um presidente dos EUA visita a ilha caribenha.

    Uma oportunidade histórica para construir novos laços.

    Santa e Feliz Páscoa.

    Aqui, na Alemanha, festejamos a Segunda-Feira de Páscoa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como Obama fez questão de sublinhar, o anterior presidente norte-americano desembarcou em Cuba.
      Obama aterrou.
      88 (um número auspicioso para os chineses) anos depois.
      Santa e Feliz Páscoa

      Eliminar
  5. Concordo com o que escreve, Pedro.
    Não se censure - como já vi fazer - Barack Obama por não ter, nesta visita, decidido 'libertar' Guantanamo. Convém que essas pessoas percebam que Obama está sujeito às decisões, favoráveis ou não, do Senado e do Congresso.

    Uma Páscoa feliz para si e família.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas alguém ainda tem dúvidas que, se pudesse, Obama já tinha acabado com Gantanamo, António?
      Cada vez que ele fala nisso erguem-se inúmeros e conhecidos obstáculos para que tal não se concretize.
      Vai levar muito tempo a normalizar as relações entre os dois países.
      Atente-se na resistência que existe dentro dos Estados Unidos a essa possibilidade.
      Mas estão a ser dados passos muito significativos nesse sentido.
      Aquele abraço, Feliz Páscoa para si e família

      Eliminar
  6. Imagine-se o presidente Obama branco...
    Agradeço e retribuo os votos formulados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não está a pensar naquela figura patética e sinistra ao mesmo tempo que é Trump, pois não, Agostinho??
      Deus nos livre de tal tormento!!!
      Feliz Páscoa

      Eliminar
    2. Estou a pensar que nos EUA sendo um país democrático foi possível eleger um negro (mulato) para presidente, mas que o seu papel ficou à partida limitado pela sua condição racial.
      Quanto ao Trump ... sofre de uma doença gravíssima que é a estupidez do dinheiro. Pelo que vejo não passa dum "pato bravo".

      Eliminar
    3. Um pato bravo muito perigoso, Agostinho.
      Não quero acreditar que os americanos, depois de terem eleito e reeleito Bush, sejam capazes de eleger Trump.
      Era demasiada estupidez!

      Eliminar
  7. Pedro:
    Agradeço e retribuo os votos de uma Páscoa feliz.

    Um beijinho e até breve!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Recebi o mail, Fê.
      Boas férias, Páscoa Feliz.
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Uma Páscoa muito feliz para si e sua família, Pedro
    Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz Páscoa para si também, Carlos.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. É isso aeh, vamos a luta. Amei o post, como sempre riquíssimo de sabedoria. Feliz Páscoa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No mesmo dia em que os Stones aterraram em Havana, Nidja Andrade.
      Feliz Páscoa

      Eliminar
  10. Pedro,
    Muito obrigada.
    Venho desejar também uma excelente Páscoa para si e para a sua família!
    Beijinhos. :))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijinhos, Ana.
      Feliz Páscoa para si e família também

      Eliminar
  11. qdo Fidel morrer, talvez estes passos não sejam perdidos.

    FELIZ E REDENTORA PÁSCOA.

    beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu tenho medo de quem pode vir a seguir nos Estados Unidos, não é em Cuba, CÉU
      Feliz Páscoa para si e família
      Beijinhos

      Eliminar
  12. Uma Feliz Páscoa para o Pedro e para todos os que lhe são queridos.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz Páscoa para si e família, Adélia
      Beijinhos

      Eliminar
  13. Olá, Pedro

    Te desejo uma Páscoa com Alegrias
    Feliz tudo
    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz Páscoa, José Maria Souza Costa
      Um abraço

      Eliminar
  14. Pequenos sinais que acalentam...
    Feliz Páscoa, Pedro!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinais inimagináveis ainda há muito pouco tempo, AC
      Um presidente americano em Havana?? Os Stones a tocar para meio milhão de pessoas???
      Feliz Páscoa
      Abraço

      Eliminar
  15. Um exemplo a seguir, Pedro.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem diria ser possível ver os Stones em Havana, Ricardo??!!
      Aquele abraço

      Eliminar
  16. Pensei que já tivesse comentado aqui, e afinal, não me vejo.
    Talvez tivesse sido no post anterior. Sei que já lhe desejei Boa Páscoa, quando, não me lembro, Pedro!

    O importante é que subscrevo, palavra a palavra, as suas palavras. :)

    O embargo a Cuba, já deveria ter terminado há muito.
    Obama vai fazer muita falta, nesses tais pequenos passos que são precisos dar, em prol do entendimento entre os dois países.
    Também Cuba, tem uma maior abertura agora, do que no tempo de Fidel.

    Beijinhos e tudo de bom por aí, Pedro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As palavras de Obama são eloquentes, Janita - se uma fórmula não resulta durante 50 anos será mesmo tempo de ser revista.
      Com a mediação do Papa Francisco, esta reaproximação foi possível (falta ao Papa Francisco conseguir o aproximamento a Pequim).
      Temo porem venha a seguir, especialmente nos Estados Unidos e no Vaticano.
      Beijinhos, Janita

      Eliminar
  17. podemos pensar que os EUA vão promover bons projetos turísticos em Cuba! diz-se que as cidades americanas são tudo menos bonitas como Havana :)
    ali perto uma ilha com alguma emoção á mistura:)ponto de
    encontro de duas culturas, pode dar bons frutos !
    tempo de Páscoa, é um tempo novo
    boa noite Pedro
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que seja uma reaproximação feliz, Angela.
      E, para ser assim, tem que ser bom para os dois.
      Tenho esperança que assim seja, tenho receio da possibilidade de, quem vem a seguir, borrar a pintura.

      Eliminar
  18. Um Grande Passo histórico até para a humanidade !
    Oxalá seja bem aproveitado pelo menos pelos principais interessados !
    É caso para dizer : Uma verdadeira Páscoa (no verdadeiro sentido ) ! Uma ressurreição, uma história renascida ! Uma possibilidade de abertura de novos caminhos mais prósperos e abundantes !

    Abraço, Pedro ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Guerra Fria que chega ao fim, como dizia Obama.
      Mas, se a Guerra Fria chegou ao fim, tenho receio que uma nova guerra fria possa estar a nascer com a crescente militarização russa e a possibilidade de uma viragem à direita nos Estados Unidos, Rui.
      Aquele abraço

      Eliminar