3 de abril de 2014

Otelo continua a apelar a derrubes de governos pela força


Otelo Saraiva de Carvalho é uma figura que não me é minimamente simpática.
Presunçoso, é uma daquelas pessoas que acha que, por ter tido intervenção directa e importante na Revolução de Abril de 74, o País tem que suportar todas as suas diatribes, escutar e seguir todas as suas opiniões.
Sem recuar muito no tempo, nomeadamente aos tempos do PREC e das FP-25, e sem grande pesquisa, que a criatura não me merece essa perda de tempo, de memória cito três apelos de Otelo ao derrube, pela força, de governos eleitos democraticamente.
Aconteceu quando José Sócrates era primeiro-ministro, aconteceu já por duas vezes com Pedro Passos Coelho como primeiro-ministro.
Não está em causa a performance (má, muito má) de um e de outro.
O que é preciso perceber é que Otelo, enquanto fala no povo, e no poder popular, sonha com um Estado musculado, dirigido com pulso de ferro por um Exército no qual, ele, Otelo, possa ter intervenção directa e forte.
Sempre me ensinaram que a liberdade tem de andar de mão dada com a responsabilidade.
Sob pena de se converter em libertinagem.
Otelo é libertino, irresponsável, presunçoso e perigoso, muito perigoso.
E protagonista de uma atenção mediática que só pode encontrar justificação na concorrência desenfreada e desregrada que pauta a actuação dos diversos órgãos de comunicação social em Portugal.

44 comentários:

  1. Eu diria mais: intragável e totalmente alienado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que é curioso é que lhe continuem a dar tempo e espaço mediático para dizer estas barbaridades, mor.
      Sem consequências a nível legal.

      Eliminar
    2. Nós somos os maiores inimigos de nós próprios, o que vale é que estes "Otelos" são as minorias da sociedade, tal como os " BE´s" , PCP´s ou CDU´s. No fim a maioria sabe separar o trigo do joio.

      Eliminar
    3. Este é nosso,
      Apelar, neste momento da vida colectiva portuguesa, a derrubes de governos pela força das armas é criminoso!

      Eliminar
  2. Tenho mito respeito por Otelo, porém não aceito a sua ideologia.
    Não deixa de ter razão.
    A comunicação social aproveita-o para as grandes linhas de imprensa ou para os níveis de audiência...O povo foge dele com medo das suas promessas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apelar à insurreição militar para derrubar governos, atenção que é mesmo plural!!, democraticamente eleitos, luís??!!
      Este sacana devia estar na cadeia, não era a vomitar estes dislates para a comunicação social.

      Eliminar
    2. Vomitar dislates para a comunicação social é a única ocupação dos políticos velhos e senis como um Mário Soares, só que o Otelo Saraiva de Carvalho é uma figura muito mais radical, todavia, não tem a autoridade para derrubar o actual governo.

      Eliminar
    3. ematejoca,
      Nisso estamos de acordo - nesse aspecto ele está muito bem acompanhado!

      Eliminar
  3. Faço minhas as tuas palavras: "Otelo é libertino, irresponsável, presunçoso e perigoso, muito perigoso." mas para todos e mais alguns com as mesmas atitudes dele gozam com grandes reformas e em liberdade.

    Nunca gostei dele e nem sequer o oiço porque...fico-me por aqui!

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatly,
      Nem é preciso mais.
      Está tudo dito e subentendido acerca da criatura.
      Beijos

      Eliminar
  4. O homem TEVE um dia a sua oportunidade. O "povo" precisa dos seus heróis. Os media gostam de fábulas. Ele é um aventureiro.
    Não lhe reconheço perfil nem de santo nem de herói, foi tão só um instrumento na Revolução de 25 de Abril de 1974, tal como muitos outros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem herói, nem santo, Agostinho?
      Ele é valente sacana.
      E um sacana perigoso.

      Eliminar
  5. Este é cada cavadela sua minhoca, Pedro!

    Meu Deus, se ridículo matasse este há muito estava do outro lado!

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas continua a ter um tempo de antena bestial, Ricardo.
      Nem que seja para dizer baboseiras.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. ~ Estamos muito mais perto de uma ditadura militar do que se pensa...

    ~ Mas seria boa ideia paralisar o país e acabar com a atrocidade cortadora do governo de alienados, que está conduzindo o país a um abismo sem retorno,

    ~ ~ ~ "Good evening!" ~ ~ ~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acredito nisso, majo.
      E acredito que, quando o Povo quiser, com os instrumentos democráticos de que dispõe, mudará as pessoas, o regime até.
      Eu acredito nisso.
      Este cretino quer ver a tropa na rua, quer uma guerra civil em Portugal.

      Eliminar
    2. ~ Nem ele acredita no que diz. Serve para animar a informação bombástica. É um velhinho rabugento, com mania de guerrinhas.

      ~ Na manifestação policial, altas patentes do exército, estiveram a seguir atentamente todos os movmentos...
      ~ Por enquanto, não estamos numa república de bananas....
      ~ Mas a um passo...
      ~ ~ ~ Bjnh. ~ ~ ~

      Eliminar
    3. Acredita, acredita, Majo.
      E isso é que o torna perigoso.
      Se encontra loucos como ele, é um perigo.
      Portugal atravessa um período muito complicado.
      Mas está longe de ser uma república das bananas.
      Há muitas coisas a corrigir?
      Sem dúvida.
      Mas há muita de que nós devemos orgulhar.
      Inclusivamente de gente desta ter a liberdade de dizer estas coisas em espaço público.
      Beijinho

      Eliminar

  7. No meu humildíssimo ponto de vista (sabes bem que não me meto na política e abomino politiquices) este senhor nunca deixou de ser um terrorista. Tem um entendimento muito obtuso sobre o que é a Democracia e custa-me a entender como ainda há quem o respeite, visto que não deixa de ser um criminosos que nem chegou a cumprir cabalmente a sua pena.
    Sinto arrepios sempre que olho para a cara dele ou ouço falar no seu nome.


    Beijinhos Pedro, espero que esteja tudo bem contigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não percebo como é possível respeitar este tipo, Afrodite.
      Pelo que fez no 25 de Abril?
      E agora temos que lhe aturar tudo.
      Incluindo incitamento a actividades criminosas?
      Era o que faltava!
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Quando Otelo se põe a dizer dislates como o que ouvi ontem e me lembro dos mandatos de captura em branco("explicados" pela falta de tempo), das "armas em boas mãos", da acesa e acalorada discussão que teve com Vasco Lourenço em que a situação se tornou muito perigosa, do COPCON e de tudo o mais, só me lembro da falecida Vera Lagoa que uma vez escreveu algo como "Portugal até tem a pouca sorte e o ridículo de um militar da Revolução se chamar Otelo!".

    De qualquer modo, penso que estamos sob uma ditamole, pois Passos e Cavaco acham que ter a maioria dá ao Governo o direito de tudo fazer, até destroçar milhões de vidas e destruir o país.

    Ora que eu saiba, uma legislatura não é uma ditadura de quatro anos!!

    Bom dia, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São,
      Completamente de acordo.
      Mas isso sim, são instrumentos legítimos.
      O Governo ser afastado pelo PR e/ou pela contestação popular, pela AR, é algo que eu compreendo e advogo.
      Nas ruas, com armas na mão?
      Este gajo é louco varrido!
      Bom dia para Portugal!!

      Eliminar
    2. Sabe quem é que acho o mais puro simbolo de Abril? Salgueiro Maia, que fez o que tinha a fazer e se retirou imediatamente de cena.Já agora o meu respeito para o militar que se recusou a abrir fogo contra a sua coluna.

      Imperdoavel e vergonhosamente, Cavco Silva recusou uma pensão à família de Maia e deu-a a dois agentes da antiga PIDE!!

      Quanto a Otelo , mesmo com o descontentamento e indignação reinantes, não tem quem o siga neste desvario de pegar em armas...

      Aqui é boa tarde, rrss

      Eliminar
    3. Ora aí está o absoluto contraste, São.
      Salgueiro Maia nunca se pôs em bicos dos pés e nunca pôs o Pais a agradecer-lhe eternamente.
      Aqui já é quase meia-noite :)))

      Eliminar
  9. Vamos todos a caminho de Viseu, disparate, do CAMPO PEQUENO, dizia eu.

    Bom dia, Pedro!

    O meu introito parece "gracioso", mas, não tem graça nenhuma.
    Este homem irá morrer, um dia, como todos nós, pensando que, concretizou o seu antigo sonho.

    Já não o considero perigoso, porque a atual conjuntura e a Europa, em que estamos inseridos, não o permitem.
    Os destravados, os "loucos políticos", têm de estar, em sítios próprios, sejam eles, campos pequenos, ou grandes.
    Este, é um um homem com mau caráter, que não fala, "ladra", berra, autoritariamente, e que continua a pensar, que tudo está como na e no pós Abrilada.
    Arrogante, prepotente, mal educado, militarista (sem charme), louco, inconsequente, bruto na forma e no conteúdo, enfim...será que ele não quererá emigrar? Não lhe interessa, porque está à espera da concretização do seu sonho, e de mostrar aquilo que, EFETIVAMENTE, é e "vale".

    Pode ser, que, um dias destes, "Deus ande pelo mundo", como se diz no "meu" Alentejo, e que se vire o "feitiço contra o feiticeiro".
    Tenha cuidado, "camarada" Otelo, porque, "NÓS SEREMOS A MURALHA DE AÇO"!

    As televisões são, mais ou menos, todas iguais, e quanto mais coisas disparatadas e gente desmiolada, aparecer, por lá, tanto melhor. A guerra das audiências é um ato estúpido e incongruente, mas é uma realidade.

    Continuação de boa semana. Aqui, hoje, está um sol tímido, e, inevitavelmente, frio.

    See you.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele é perigoso porque, à semelhança de outros extremistas, cavalga a onda da indignação.
      E, na conjuntura que Portugal vive, isso pode ser um rastilho complicado.

      Eliminar
  10. Otelo não oferece o mínimo perigo!
    Já ninguém lhe dá qualquer importância!
    Teve a importância que teve no contexto inicial da revolução depois perdeu-se em meandros extremistas!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero bem que assim seja, Rosa dos Ventos.
      Eu não gosto nada destes discursos
      Abraço

      Eliminar
  11. Sem o Otelo Saraiva de Carvalho não tinha havido o 25 de Abril de 1974!!!

    Já simpatizei com ele como também já simpatizei com o José Sócrates.

    Agora não simpatizo com nenhum político, nem mesmo com a minha amiga Angie!!!

    Bom fim-de-semana, Pedro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O papel dele em Abril de 74 é inegável, ematejoca.
      Mas isso não lhe dá o direito de enveredar por estes caminhos.
      Amanhã ainda há anedotas, ematejoca.
      Segunda-feira é que não há blogue

      Eliminar
  12. Discordo de quase tudo o que diz Otelo mas, ao contrário do Pedro, para mim ele é uma figura simpática. Sem ele não teria havido 25 de Abril e estar-lhe-ei eternamente grato por isso. Como estou ao Salgueiro Maia e outros que fizeram Abril.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Repito o que comentei com a ematejoca, Carlos.
      Esse papel, inegável, não lhe dá todos os direitos para o resto da vida.
      Era o que faltava!

      Eliminar
    2. Pedro, vai-me desculpar, mas considero que Otelo, tem todo o direito de poder afirmar do alto dos seus 78 anos, as ideias e os sentimentos que tem sobre o seu país. Afinal é a ele que devemos também a revolução dos cravos. Não podemos desmerecer a nossa história, apagando os seus protagonistas e não percebendo que o Mundo continuou aí. O Mundo não parou em 74 e é muito justo e até interessante, perceber de que forma é que um homem destes consegue validar a intervenção que têve no curso da história recente portuguesa. Podemos concordar, discordar..., mas é preciso uma certa dose sã de loucura para poder fazer diferente e abanar as mentes distorcidas destes liberais que tomaram conta do país. É preciso endurecer o discurso e inspirar os portugueses. Tempo de antena a mais é dado a estes politicos neoliberais que têm desgraçado e calado Portugal e destruido por completo as conquistas civilizacionais que o 25 de Abril nos trouxe.

      Eliminar
    3. Não esqueci, nem nego, o papel histórico dele.
      Nem esqueci o resto, Raquel Mark.
      Não o condeno eternamente, não lhe dou o direito de fazer o que lhe dá na gana eternamente.

      Eliminar
  13. ... E são estes e outros do mesmo tipo que se acham os verdadeiros democratas ! :(( .. Qual Democracia ?... Saberão eles o que é a Democracia ? ... A este, "pobre diabo", já completamente descredibilizado, felizmente que já ninguém dá crédito, mas infelizmente há por aí outros, que tendo em conta "quem foram", têm dito "idênticos disparates" e deviam ter mais tento na língua e também uma melhor memória !

    Abraço, Pedro !
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu estou farto dessa malta que acha que o Pais tem que lhes aturar tudo só porque tiveram um papel importante numa determinada época histórica.
      Há tanta gente humilde, anónima, que sofreu imenso e que não tem esta postura, Rui.
      Raio que os parta!
      Aquele abraço!!

      Eliminar
  14. Com tanta gente a fazer de maluco e a armar ao pobre coitado que não sabe o que diz, Otelo corre o risco de passar despercebido.
    É apenas mais um.
    O que diz não vale um minuto de atenção.
    E o que faz a comunicação social? O costume. Agarra em nada e transforma em coisa nenhuma.

    Que crédito tem, repare, Pedro, eu disse 'tem', para que com ele se perca tempo e se lhe dê espaço?

    Esqueçamos o Otelo belicista e olhemos para ele tão só como pessoa.
    Não se espante, meu caro amigo, porque é verdade. Otelo é um gajo porreiro.

    Aquele abraço e um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António,
      Eu só conheço o Otelo figura pública.
      E esse é insuportável
      Se, como pessoa, na intimidade, é muito diferente, só é bom para ele próprio
      Amanhã há palhaçada, António.
      Segunda-feira é que não há blogue (tolerância de ponto)

      Eliminar
  15. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Tenho o desprazer de informá-lo que aqui também temos pessoas com este mesmo perfil.
    Caloroso abraço! Saudações inconformadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há destes espécimes pelo Mundo inteiro, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Aquele abraço!

      Eliminar
  16. Não morro de amores por ele, mas este governo bem merecia ser tirado de lá à força!! De outra forma não sai de lá e tem culpas feias de mais no cartório...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com a tropa na rua, não, Graça.
      Nem este, nem qualquer outro governo

      Eliminar
  17. As revoluções têm sempre algo de loucura. Se não ousassem contra a corrente não havia ondas, apenas gente bem educada, polida e conformada.
    Não gosto de gente conformada e aprecio em Otelo o seu tom torrencial. É preciso que existam vozes dicordantes, que com as suas diferenças, provoquem as consciências e agitem a sociedade civil desta inércia em que Portugal se tornou. Otelo têve o seu papel no 25 de Abril e ainda bem que o têve. Bem haja por ter ousado na sua loucura! Não queremos uma guerra civil, mas queremos um país que pense, mesmo que para isso tenha de ser provocado no seu âmago. Nesse sentido, Otelo, tem o seu papel e sua utilidade pública. Uma sociedade evoluida tem que ter um laivo de loucura para não perder a sua afectividade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste momento da nossa vida colectiva, o apelo a um derrube de um governo, qualquer que seja, pela força, pelo exército, não é sã loucura, Raquel Mark.
      É irresponsabilidade criminosa.
      Dispenso a democracia que Otelo professa.
      Lá vou eu citar o Sérgio Godinho - para pior já basta assim!

      Eliminar