24 de abril de 2014

Duas vezes por ano até 2038?!


Ao ler as notícias que chegam de Portugal fico com a forte impressão que, afinal, Portugal pode realmente ser um bom aluno como tem sido frequentemente apregoado.
Mas que não se livra facilmente da fama de cábula por tendência - se deixado à solta, não faz os trabalhos de casa.
Vigilância reforçada, com visitas duas vezes por ano, por parte dos credores oficiais (fundos europeus, Comissão Europeia e FMI), possibilidade de sanções por incumprimento das metas fixadas com muito maior facilidade e rapidez, é recompensa que se dê a um bom aluno?
Soa mais a uma régua e umas orelhas de burro ao canto da sala sempre prontas a ser utilizadas.
E a transmitirem uma mensagem subliminar - portem-se bem nos próximos 24 anos e talvez venham a ser considerados definitivamente como alunos bem comportados e a merecer alguma confiança.
Realmente, citando um bom amigo, há famas terríveis.
E que tardam a desaparecer.
Leiam a notícia aqui

18 comentários:

  1. A roubalheira também chega para eles.
    É triste ver o ponto a que chegámos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É curioso que se dê um tratamento de choque a um bom aluno, a um aluno aplicado, luís.
      Essa costumava ser a receita para os cábulas.
      Já não percebo nada!

      Eliminar
  2. Vamos deixar uma pesada herança a filhos e netos...e sem culpa nenhuma!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como eu gostava de poder discordar dessa opinião, Rosa dos Ventos.
      Infelizmente, tenho que concordar inteiramente :(

      Eliminar
  3. Diariamente, repito, diariamente somos, nós e os outros, escrutinados pelos "mercados", a vigilância de que se fala poderá condicionar os movimentos a principio, mas acredito que o Mundo da muitas voltas e a uma velocidade superior à que se imagina.

    Meu caro, votos de um excelente fim de semana para si e suas princesas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse escrutínio diário é normal, Ricardo.
      Mas, neste caso, estamos a falar de um escrutínio muito mais em estilo de castigo a meninos mal comportados e nos quais não se pode confiar.
      Um fds, prolongado, em grande para si e família!!

      Eliminar
  4. O mal está enraizado há séculos, sempre na pedincha e a pedí-las - as réguadas e as orelhas de burro. Sabe-se que pedimos dinheiro a mais, para coisas inúteis e, por isso, temos uma dívida que nos transformou em cachorros. No entanto, mesmo sabendo-se que a dívida aumentou, a narrativa oficial é de que é sustentável e, alegremente, o desgoverno manda dizer que estamos em condições de nos financiar nos mercados como em 2010. Para alimentar o negócio dos amigos da onça!
    O pagode, “ai aguenta, aguenta”, percebe-se nas conversas do dia-a-dia parece ir votar como no futebol. Sem vaselina. Porra!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A conversa dos bons alunos foi por água abaixo com esta atitude, Agostinho.
      Portamo-nos bem, ou temos que ser vigiados como meninos ladinos?
      Já não percebo nada.

      Eliminar
  5. Esta estória do "bom aluno" ,que já vem do tempo em que a criatura de Boliqueime era primeiro.ministro , com milhões a entrarem diariamente para ele pagar a destruição de tudo quanto era produtivo, não serve rigorosamente para nada!

    Vivi até aos 24 anos sob uma ditadura e vou morrer sob intervenção estrangeira e com uma governança colaboracionista e sem sentido patriótico à maneira de Pétain!

    E se a Troika é tão exigente em determinados itens, porque razão não ameaça não enviar dinheiro uma vez que verifica a sistemática recusa de Herr Passo e sus muchachos em cortar as rendas excessivas?!

    Se até as entidades patronais acham que a legislação laboral está bem , mas há custos de contexto, que tem a Troika a ousar interferir na nossa soberania...ou está a fazer um frete ao bando do Poder?!

    Até terça, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Toca num ponto essencial - com tanta exigência, com tanta vigilância, o regabofe das PPP, dos negócios ruinosos, da promiscuidade entre a política os negócios, a vergonha dos bancos privados, continuam intocados.
      Filhos de um deus maior?!
      Até terça, São!

      Eliminar
  6. Bons alunos fomos e somos nós agora quem governa e ou governou, aviou-se, avia-se, cuida dos amigos (fundações e outros ões) e o resto que se lixe. Pena é que o povo ainda vá nas suas cantadas, que o não ir votar é a melhor via de mostrar um cartão vermelho...e o resto?

    Culpam a TROIKA pois claro...mas em lado nenhum se viu escrito a "forma dos cortes cegos e sempre nos mesmos Ministérios - Educação, Saúde, Estado Social e a maioria dos outros que não servem para nada? Depois perdoam-se milhões a Jardins Gonçalves e no entanto quem comprove que não pode pagar uns míseros mil euros...vai lá vai!!!

    Tá-se bem temos o futebol que dá "pica e mais interesse" e outras coisas para enquanto existir a euforia...já saíram mais decretos e aumentos! Possas!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, Fatyly - os bons alunos são os que estão realmente a pagar a factura.
      Não aqueles que estão ao leme.
      Agora e no passado recente.

      Eliminar
  7. E pôs o outro um relógio a funcionar, dizendo que era um novo 1640 (feriado com que aliás acabaram) e mais não sei o quê... 2038?!? Parece gozo, pois por essa altura já muitos destes dirigentes terão morrido, mas estão a ditar regras para as gerações vindouras, tal como qualquer ditador com falta de discernimento... :P

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bela herança a minha geração deixa às gerações vindouras, Teté! :(
      Beijocas

      Eliminar
  8. Como bons alunos que somos merecíamos melhor sorte?...e pensar que os nossos netos é que vão pagar as favas!:(
    Os nossos e os deles, se não derem às de Vila Diogo!
    É para o que estamos guardados. Tristeza!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é a grande tragédia, Janita - a herança que vamos deixar às futuras gerações.
      Não foi isto que nos foi ensinado pelos nossos pais.

      Eliminar
  9. Fazer papel de cabulão é muito triste num país com uma história tão valorosa...
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não faz sentido nenhum, Miú Segunda.
      Mas não éramos nós os bons alunos?
      Em que é que ficamos, afinal?!
      Beijinhos

      Eliminar