23 de abril de 2013

Requiem de Mozart na Sé Velha em Coimbra



Quem não se lembra do filme “Amadeus” e do misterioso personagem que surge perto do fim  para encomendar a Mozart um Requiem?
 No filme, o compositor Salieri, simultaneamente apresentado como rival despeitado e secreto admirador de Mozart, ajuda este, já no leito de morte, transcrevendo para uma pauta em ritmo frenético a incrível arquitectura de sons que Mozart tinha concebido e  estava em risco de perder-se com a sua morte.


A realidade não foi tão dramática. O pobre do Salieri não tão teve qualquer intervenção na morte de Mozart nem foi ele que secretamente encomendou o Requiem que viria a ser a última obra do Mestre.

Deixado incompleto por Mozart, o Requiem foi posteriormente completado por um seu discípulo e amigo – mas pouco: depois da morte Mozart ele quis apresentar a obra como sendo sua exclusivamente - , Franz Xaver Süssmayr, a pedido da viúva do compositor que, em grandes dificuldades financeiras, tinha necessidade de entregar a obra para poder receber o estipulado pagamento.

Sabe-se hoje que o verdadeiro autor da encomenda foi um pretensioso conde von Walsegg que pretendia comemorar a morte da esposa através de um Requiem, de que se queria apresentar como autor.

Mas para Mozart, já debilitado e doente, todo aquele mistério e a natureza do tema, foram de mau agoiro. Ao compor o Requiem ele julgou estar a compor seu próprio Requiem, obra em que condensou não só as concepções inovadoras que tinha desenvolvido ao longo da sua curta vida mas também, muito daquilo que tinha apreendido estudando os velhos mestres. Daí que, ainda que incompleto, o seu Requiem seja tido como uma obra-prima e um clássico da música universal que seguramente continuará a ser interpretado e a causar emoção pelos séculos fora. Como mais uma vez sucedeu na passada semana santa em Coimbra.



Numa organização do Coro Sinfónico Inês de Castro, o Requiem de Mozart foi apresentado na Sé Velha, com a colaboração da Orquestra do Norte, dirigida pelo Maestro José Ferreira Lobo, e tendo como solistas a soprano, Cristina Oliveira, a mezzo-soprano Ana Ferro, o tenor José Manuel Araújo e o baixo Luís Rodrigues


Foi um acontecimento memorável.  A velha catedral encheu e muita gente não conseguiu entrar. Felizmente, eu fui autorizado a gravar esse concerto, cuja gravação aqui coloco ao vosso dispor.

Espero que gostem. E que relevem os seus defeitos: é uma gravação ao vivo, feita no meio do público e com os mais limitados recursos. Não pode ser comparada ás gravações profissionais.

Mas é isso vou fazer. Apresentando, em anexo a este email, um dos andamentos que gravei – Hostias - e o mesmo andamento interpretado em gravações profissionais, por conceituados maestros. Para verem como a mesma obra permite variadas interpretações. E também como aperitivo e estímulo para que façam o download e ouçam a totalidade da gravação. Se no final tiverem algum comentário, terei todo o gosto em recebê-lo, ainda que seja desfavorável.

As instruções para poderem descarregar a gravação seguem-se à tradução do texto latino do Requiem. Se repararem, na foto ao lado, em baixo à direita, a mancha branca é a minha careca e por cima os dois microfones que usei.

Manuel Lameira



1. Requiem
Requiem aeternam dona eis, Domine, et lux perpetua luceat eis. Te decet  hymnus, Deus in Sion, et tibi reddetur votum in Jerusalem;
Exaudi orationem meam, ad te omnis caro veniet.
Requiem aeternam dona eis, Domine, et lux perpetua luceat eis.
Kyrie eleison, Christe eleison, Kyrie eleison.

1 - Repouso
Repouso eterno lhes dá, Senhor, e luz perpétua os ilumine.
Tu és digno de hinos, ó Deus, em Sião, e a ti rendemos homenagens em Jerusalém:
Ouve a minha oração, diante de Ti toda carne comparecerá.
Repouso eterno lhes dá, Senhor, e luz perpétua os ilumine.
Senhor, tem piedade, Cristo, tem piedade. Senhor, tem piedade.

2. Dies irae
Dies irae, dies illa solvet saeclum in favilla, teste David cum Sybilla.
Quantus tremor est futurus, quando judex est venturus, cuncta Stricte discussurus.

2. Dia de ira
Dia de ira, aquele dia no qual os séculos se desfarão em cinzas assim testificam Davi e Sibila.
Quanto temor haverá então, quando o Juiz vier, para julgar com rigor todas as coisas.


3. Tuba mirum
Tuba mirum spargens sonum per sepulchra regionum, coget omnes ante thronum.
Mors stupebit et natura, cum resurget creatura, judicante responsura.
Liber scriptus proferetur, in quo totum continetur, unde mundus judicetur.
Judex ergo cum sedebit, quidquid latet apparebit, nil inultum remanebit.
Quid sum miser tunc dicturus? quem patronum rogaturus, cum vix justus sit securus?


3 - Trombeta poderosa
A trombeta poderosa espalha o seu som pela região dos sepulcros, para juntar a todos diante do trono.
A morte e a natureza se espantarão com as criaturas que ressurgem, para responderem ao juízo.
Um livro será trazido, onde tudo está contido,
pelo qual o mundo será julgado.
Logo que o juiz se assente, tudo o que está oculto, aparecerá: nada ficará impune.
O que é que eu, miserável, poderei dizer? A que advogado poderei recorrer, quando apenas o justo estiver seguro?


4. Rex tremendae
Rex tremandae maiestatis, qui salvandos salvas gratis, salva me, fons pietatis.


4 - Rei tremendo
Ó Rei, de tremenda majestade, que ao salvar, salvas gratuitamente, salva-me, fonte de piedade.


5. Recordare
Recordare Jesu pie, quod sum causa tuae viae, ne me perdas illa die.
Quaerens me sedisti lassus, redemisti crucem passus; tantus labor non sit cassus.
Juste judex ultionis, donum fac remissionis ante diem rationis.
Ingemisco tanquam reus, culpa rubet vultus meus; supplicanti parce Deus.
Qui Mariam absolvisti, et latronem exaudisti, mihi quoque spem dedisti.
Preces meae non sum dignae, sed tu, bonus, fac benigne, ne perenni cremer igne.
Inter oves locum praesta, et ab hoedis me sequestra, statuens in parte dextra.


5 – Lembra-te
Lembra-te, Jesus piedoso, que fui a causa da tua peregrinação, não me perca eu naquele dia.
Procurando-me, ficaste exausto a procurar-me e redimiste-me morrendo na cruz; que tanto trabalho não tenha sido em vão.
Juiz de justo castigo, dá-me a remissão no dia do juízo.
Choro e gemo como um réu, a culpa enrubesce o meu semblante. A este suplicante poupa, ó Deus.
Tu, que absolveste a Maria, e ao ladrão ouviste, a mim também deste esperança.
As minhas preces não são dignas, mas tu, bondoso tem misericórdia, para que eu não queime no fogo eterno.
Dá-me lugar entre as ovelhas e afasta-me dos bodes; que eu me assente à Tua direita.


6. Confutatis
Confutatis maledictis, flammis acribus addictis, voca me cum benedictis.
Oro supplex et acclinis, cor contritum quasi cinis, gere curam mei finis.


6 – Condenados
Condenados os malditos e lançados às chamas devoradoras chama-me para junto dos benditos.
REzo, suplicante e prostrado, com o coração contrito, quase em cinzas, tomaiconta do meu fim.

7. Lacrymosa
Lacrymosa dies illa, qua resurget ex favilla judicandus homo reus.
Huic ergo parce Deus, pie Jesu Domine, dona eis requiem! Amen!


7 - Dia de lágrimas
Dia de lágrimas será aquele em que os ressurgidos das cinzas serão julgados como réus.
A este poupa, ó Deus, piedoso Senhor Jesus
Dá-lhes repouso. Amém.

8. Domine Jesu
Domine Jesu Christe! Rex gloriae! Libera animas omnium fidelium defunctorum de poenis inferni et de profundo lacu!
Libera eas de ore leonis, ne absorbeat eas Tartarus, ne cadant in obscurum:
Sed signifer sanctus Michael repraesentet eas in lucem sanctam, quam olim Abrahae promisisti, et semini ejus.


8 - Senhor Jesus Cristo
Senhor Jesus Cristo, Rei da Glória, liberta as almas de todos os que morreram fiéis das penas do inferno e do lago profundo:
Libertai-as da boca do leão. Não sejam absorvidas no inferno, nem caiam na escuridão:
Mas que o santo arcanjo Miguel as introduza na luz santa:
Conforme prometeste a Abraão e à sua descendência.

.
9 - Hostias
Hostias et preces tibi, Domine, laudis offerimus.
Tu suscipe pro animabus illis, quarum hodie memoriam facimus: fac eas,
Domine, de morte transire ad vitam, quam olim Abrahae
promisisti, et semini ejus.


9 - Sacrifício
Sacrifícios e preces a Ti, Senhor, oferecemos com louvores:
Recebe-os em favor daquelas almas, de que hoje nos lembramos:
Fazei-as, Senhor, da morte passarem para a vida,
conforme prometeste a Abraão e à sua descendência.


10. Sanctus
Sanctus, sanctus, sanctus Dominus Deus Sabaoth!
Pleni sunt coeli et terra gloria tua.
Osanna in excelsis.

10 - Santo
Santo, Santo, Santo, Senhor Deus dos Exércitos.
Cheios estão os céus e a terra da Tua glória.
Hosana nas alturas.
11. Benedictis
Benedictis, qui venit in nomine Domini.
Osanna in excelsis.

11 - Bendito
Bendito o que vem em nome do Senhor
Hosana nas alturas.

12. Agnus Dei
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, dona eis requiem.
Agnus Dei, qui tollis peccata mundi, dona eis requiem
sempiternam.
Lux aeterna luceat eis, Domine, cum sanctis in aeternum, quia pius es.
Requiem aeternam dona eis, Domine, et lux perpetua luceat eis.

12 - Cordeiro de Deus
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo: dai-lhes o repouso.
Cordeiro de Deus que tirais os pecados do mundo: dai-lhes o repouso eterno.
Que a luz eterna os ilumine, Senhor, com os teus santos pela eternidade: pois és piedoso.
Dai-lhes o repouso eterno e que luz perpetua os ilumine.



Como fazer o “download” da gravação do “Requiem de Mozart”

O conjunto das partes do Requiem em formato mp3, e o Programa do concerto, em formato pdf, foram incluídos num ficheiro WinRar que pode ser facilmente aberto com qualquer programa de descompressão de ficheiros. Nomeadamente com o programa gratuito 7zip que pode ser obtido facilmente na net ou com os clássicos Winzip ou WinRar.

Para obter as gravações basta aceder ao site: (bastará clicar nos endereços abaixo e estar ligado à Internet)





e clicar no botão azul (Download) rodeado abaixo por um circulo vermelho.
  

13 comentários:

  1. Como admirador de Mozart, Pedro, não posso deixar de estar comovido com esta sua homenagem!

    Aquele abraço e bem-haja, Pedro!

    ResponderEliminar
  2. A qualidade da gravação é a possível, Ricardo.
    Foi gravado pela mesma pessoa que escreveu o texto que acompanha o post e foi-me enviado pela minha prima que teve a felicidade de estar presente no concerto.
    Coimbra, antes tão parada na vertente cultural, tem vindo a apresentar várias realizações de relevo nos últimos anos.
    Aquele abraço!!

    ResponderEliminar
  3. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Tomo a liberdade de assinar embaixo o irretocável comentário do nosso amigo Ricardo Meneses!
    Caloroso abraço! Saudações mozartianas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Diadema-SP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma das muitas iniciativas que Coimbra tem apresentado no campo da cultura, caro Amigo João Paulo de Oliveira.
      Fico feliz e orgulhoso por isso, confesso.
      Grande abraço!!!

      Eliminar
  4. Não sou um grande admirador de Mozart, mas gostei desta homenagem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Coimbra era muito parada neste tipo de eventos, Carlos.
      Felizmente, nos últimos anos, o panorama alterou.
      Para melhor.

      Eliminar
  5. Pedro,
    Que beleza!
    Soube desta iniciativa por mail da Casa da Cultura mas esqueci-me da data do evento e passou. :(
    Porém, agora maravilhei-me.
    Obrigada.
    Beijinho. :)

    ResponderEliminar
  6. Esqueci-me de dizer que adoro Mozart e que gostei muito do filme: "Amadeus"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi a minha prima que me enviou, ana.
      Ela, que esteve presente e se emocionou com o que viu.
      Eu também gosto muito de Mozart e gostei do filme Amadeus.
      Beijinho

      Eliminar
  7. Eu fiquei a conhecer Salieri no filme Amadeus, afinal ele não foi tão interventivo com pensava. Ainda bem que a obra não foi tida como sendo de outro, também seria de duvidar!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Coimbra passou a ter umas realizações muito interessantes na vertente cultural, Poppy.
      Há que reconhecer isso.

      Eliminar
  8. Na texto acima há uma pequena parte que não faz sentido, aquela que se refere às várias versões do Hostias que constavam da versão original distribuída por email a um limitado número de amigos.
    Para quem gostou do meu trabalho, preparei um pequeno ficheiro com versões melhoradas de algumas peças. No 01-Requiem esforcei-me pro atenuar uma tossidela forte junto aos microfones; no 07- Confutatis, por lapso, tinha eliminado um acorde que aparece isolado no fim e é importante como introdução ao andamento seguinte. Acrescentei também, mais a gosto de alguns, um final com palmas - houve 3 minutos de palmas mas eu deixei apenas o início e o fim - e o encore final que, em face do entusiasmo do público, o Maestro Ferreira Lobo concedeu.
    Não posso deixar de acentuar a grande generosidade do artistas envolvidos, ao permitirem a divulgação do seu trabalho. Trata-se de um grande serviço prestado á cultura que espero seja compensado para eles com mais oportunidades de trabalho e um público melhor preparado para os ouvir.
    Todos quantos estiveram presentes poderão, durante muitos anos, através da gravação, reviver esta noite maravilhosa na Sé Velha. E aqueles que ficaram de fora, e todos quantos gostam de Mozart, também poderão partilhar desse prazer. Estou certo de que, graças à gravação, todos estaremos muito melhor preparados para desfrutar, numa próxima apresentação do Requiem, em Coimbra ou onde quer que seja, o maravilhoso trabalho dos artistas e o génio de Mozart que, oxalá, tenha ficado com muitos mais e novos fãs. Sobretudo entre os jovens.
    Porque Mozart também foi um jovem, irrequieto e irreverente como eles, e se infelizmente morreu jovem, permanece eternamente jovem na beleza da sua música incomparável.

    Poderão obter o ficheiro com as correcções em:

    http://www.qfpost.com/file/d?g=TMhWTWxqY

    Manuel Lameira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Manuel Lameira,
      Publiquei como recebi.
      Publico agora a sua correcção
      Parabéns pela excelente iniciativa

      Eliminar