24 de abril de 2013

O fim de um mito?


A meia-final mais desequilibrada dos últimos 24 anos numa Taça dos Campeões/Liga dos Campeões pode ser o indicativo do estertor  do mito Barcelona, melhor equipa da história do futebol.
Os 4-0 de Munique são o reflexo de duas concepções de jogo opostas.
Ao rendilhado do futebol do Barcelona, o Bayern contrapõe um futebol rectílineo, em força (embora possua algumas unidades de grande craveira técnica) servido por jogadores fisicamente possantes e com uma forma de jogar muito prática.
Também é bonito, mas é uma beleza diferente, mais rude, mais musculada, menos burilada, menos filigranada, relativamente ao tiki/taka do Barcelona.
E, nesta altura, muito mais forte.
Num jogo que teve muitos erros de arbitragem (não, não é só em Portugal que acontecem) o Bayern destroçou o Barcelona.
Só um milagre permitirá aos espanhóis chegar à final da Champions.
Do outro lado, só uma hecatombe evitará mais uma final com a equipa bávara presente.

Deixando de lado o jogo de ontem, e olhando the big picture, este Barcelona, que muitos consideraram a melhor equipa da história do futebol (nunca foi o meu caso) terá já entrado na fase de declínio.
Um declínio que acompanha, e é um reflexo, do declínio das suas unidades mais importantes - Xavi e Iniesta, acima de todos.
Não, não estou a esquecer Messi.
Mas Messi, nesta altura fisicamente debilitado, não rende quando a dupla Xavi/Iniesta não faz a equipa funcionar.
Este duo foi sempre o pêndulo do futebol barcelonista.
Com muitos jogos nas pernas, sem a mesma frescura física e a mesma clarividência e disponibilidade mentais, a dupla funciona muito pior.
E, quando a dupla funciona pior, a equipa ressente-se e claudica.
O tiki/taka caminha para o fim?
O Barcelona vai ser campeão de Espanha.
Mas não ganhará mais nenhum troféu.
Estou curioso agora para ver o que acontecerá na próxima época.
Porque, também é bom não esquecer, esta época o Barcelona teve que enfrentar duas tragédias - as terríveis doenças do treinador e de Abidal.
Ainda assim, a sensação com que fico é que os tempos de esplendor na relva na cidade condal estão a chegar ao fim. 

19 comentários:

  1. Não sou virado para os eventos desportivos.
    Que ganhe o melhor
    Que saibam amar o desporto e fazer sempre excelentes espectáculos e ...sem violência...

    ResponderEliminar
  2. A maior violência aqui foi a "tareia" que o Bayern deu ao Barcelona, luis :))
    Aquele abraço!!

    ResponderEliminar
  3. Aos costumes disse:
    Sou culé, mas não sou cego!

    Grande Pedro, sem correr o risco de me tornar repetitivo, concordo com quase tudo o que V.Exª aqui escreveu. De facto, ontem, o FC Barcelona foi "atropelado" pelo Bayern Munchen FC a uma velocidade supersónica, diria que foi surpreendido por um Bayern pressionante e letal no contra-ataque e, desculpe-me, a beneficiar da complacência de um quinteto de arbitragem que não vale nada (atente-se ao 2º e 3º golo do Bayern), não querendo com isto retirar mérito à equipa bávara.

    Pedro, este Barcelona foi a equipa que mais prazer me deu a ver jogar, é um questão de gosto pessoal, no entanto, sinto que é o fim de uma era de quase uma década, é o ocaso de Xavi (não concordo com a sua visão sobre Iniesta), de Puyol, de Dani Alves, enfim, mas muitos outros se fabricarão em "La Masia" disso não tenho dúvida nenhuma.

    Tirando as "tragédias" que abalaram o plantel esta temporada, falo, claro está, das doenças de Tito e de Abidal, mas mais Tito, afirmo aqui que uma equipa não pode viver sem líder e há um FC Barcelona com Tito e outra sem Tito ou com Tito a "meio gás".

    Amigo, será uma grande final, em Wembley, entre Bayern e Real Madrid e, desde já, posso dizer...Hala Madrid!!!

    Aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São muitos jogos, muitos quilómetros nas pernas, Ricardo.
      Quando apanham pela frente aqueles panzers é muito complicado de os apanhar.
      A espinha dorsal do Barcelona - Dani Alves, Puyol, Xavi, Iniesta - está envelhecida e cansada.
      E não vai ser nada fácil substituir gente deste calibre.

      Obviamente, esta época, conviver diariamente com aquelas tragédias deve ter sido terrível.
      Nem podemos imaginar o quanto.

      O árbitro, fraquinho, só veio mostrar, mais uma vez, que mesmo ao mais alto nível os árbitros cometem erros.
      Erros crassos até.
      Mas, insisto, não é por aí.

      Também aposto numa final disputada pelo Bayern e pelo Real.
      E de resultado imprevisível.

      Tarefa complicada a que espera Guardiola.
      Como é que será possível fazer melhor que isto?

      Aquele abraço!!

      Eliminar
  4. Espero bem que o Barcelona não esteja em agonia, porque se não é a melhor equipa do mundo , é -seguramente - uma das melhores!

    Quanto a arbitragens penso que alguns árbitros deveriam ter cursos intensivos etambém dava jeito alguma vergonha.

    Estou a lembrar-me de Capela no recente Benfica_Sporting, onde os dois golos do benfica foram muito bons e sem contestação, mas houve penalidades por marcar a favor do Sporting.

    Bom dia, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Barcelona é uma equipa fenomenal, São.
      Mas não a melhor de sempre.
      Assim, de cabeça, lembro-me logo do Santos, de Pelé; da selecção do Brasil de Pelé, Garrincha; do Ajax de Cruyff e da laranja mecânica dos anos 70; do Bayern dos anos 70 (Beckanbauer, Muller); do Real Madrid de Di Stefano e Puskas; da selecção brasileira que jogou o Mundial de Espanha (Zico, Falcão, Sócrates).
      Como todos estes colossos, também o colosso Barcelona terá um fim.
      Que sinto que se aproxima.

      Os árbitros erram.
      Como os jogadores erram.
      Uns mais que outros.
      Nos dois casos, porque há bons e maus (árbitros e jogadores)

      Eliminar
  5. O meu filho que é fã do Barcelona deve estar muito mal disposto...

    ResponderEliminar
  6. O meu filho que é fã do Barcelona deve estar muito mal disposto...

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Tudo tem um fim, luisa
      O Barcelona não é excepção

      Eliminar
  7. Poderá estar a acontecer ao 'Barça' o que aconteceu, em tempos, ao AC Milan.
    Durante alguns anos, a equipa onde militavam os holandeses Frank Rijkaard, Ruud Gullit, "Marco" van Basten, entre outros, foi uma máquina de bem jogar futebol e de imbatibilidade.

    Não digo que seja o fim dos catalães mas uma coisa é certa. O seu tipo de futebol está esgotado e, com alguns dos seus elementos preponderantes em 'baixa', torna-se quase irreconhecível.

    No encontro de ontem, a juntar à apatia 'blaugrana', surgiu um Müller em grande forma.

    Aposto numa final germânica.


    Fußball-Club Bayern München X Ballspiel-Verein Borussia 1909 V. Dortmund

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu aposto numa final germânica.

      E o vencedor chama-se BORUSSIA DORTMUND!!!

      Até ao dia 25 de Maio 2013 em Londres.

      Eliminar
  8. Ora aí está outro exemplo do que era um equipa de sonho, António.
    E o diagnostico está muito bem feito - o chip é aquele e não permite alterações.
    O problema é que is adversários já descobriram o antídoto
    Uma final alemã?
    Não ficaria de queixo caído
    Quem disse que o campeonato alemão era o mais forte?
    Deu risota.
    Será que ainda se riem?
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  9. Respostas
    1. Lá irei hoje, Carlos.
      Porque também é o fim de um ciclo.

      Eliminar
  10. Goleada do Bayern sobre o Barcelona!!!

    Goleada do BORUSSIA DORTMUND sobre o Real Madrid!!!

    A minha alma alemã anda em euforia.


    PS: Muito obrigada pelas suas gentis palavras no aniversário do ematejoca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ematejoca,
      Hoje escreverei sobre isso e sobre o domínio alemão na Europa.
      Agora, a Europa do futebol.

      O blogue é um dos que merece uma visita diária, um must.

      Eliminar
  11. Dizem que não há império que dure para sempre... Mas 4 secos foi pesadote! Este jogo não vi...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há mal que sempre dure.....não é Poppy?

      Eliminar