4 de outubro de 2017

Possuir armas não é um direito fundamental


Infelizmente com grande regularidade as tragédias envolvendo a posse e a utilização de armas nos Estados Unidos da América acontecem e chocam o país e o resto do Mundo.
Agora foi a vez de um assassino lunático martirizar largas dezenas de pessoas que se encontravam tranquilamente a assistir a um concerto de música country em Las Vegas.
Um lunático que tinha um verdadeiro arsenal de armas no quarto de hotel e outro em casa.
Um lunático que, vá-se lá perceber como, se deu ao luxo de andar a instalar câmaras de vigilância no interior do hotel para ter a certeza que as suas intenções assassinas não seriam frustradas.
Quando estas tragédias acontecem fazem-se ouvir as vozes que defendem o controlo da venda de armas nos Estados Unidos da América.
Vozes que são logo abafadas ou silenciadas pelo poderoso lóbi armamentista.
Um lóbi que conta com o apoio de figuras muito poderosas, muito influentes.
A começar no próprio Presidente Donald Trump que se apressou a afirmar, quando confrontado com a hipótese de se dar início ao debate acerca do controlo da venda e posse de armas (só o debate, não o controlo em si mesmo), que "talvez venha a acontecer" (sic).
Não vai acontecer, já todos o sabemos.
Porque há muita gente, gente muito poderosa, que se recusa a perceber que o direito a possuir armas não é um direito fundamental.

50 comentários:

  1. A NRA ajudou a eleger o atual presidente. Gastou $30 milhões em publicidade. Uma associação poderosa e riquíssima.

    Boa semana, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E assim se vai perpetuando a loucura armamentista nos Estados Unidos, Catarina.
      Por mais massacres que ocorram nada de relevante acontecerá.
      Boa semana

      Eliminar
    2. O que é a eventualidade de alguns poderem ficar feridos ou mortos por um louco qualquer por todos terem acesso a armas como se fossem doces a sair numa máquina automática, perante 30 milhões??

      Ora, francamente!
      30 mortos ou 30 milhões??
      O que se guarda melhor no banco? O que te compra um jato particular??

      Eliminar
    3. O negócio das armas é muito rentável, Portuguesinha.
      E de muitas maneiras.
      Ainda há pouco estava a ver uma reportagem em carreiras de tiro em Las Vegas, a cidade que se diz destino familiar de lazer.
      Quando a família vai jogar e dar tiros para se divertir há algo que não está a funcionar muito bem.

      Eliminar
  2. Sempre foi assim, Pedro. As armas movimentam milhões, e o dinheiro é o maior poder da terra.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pior ainda quando, como bem refere a Catarina, financiam campanhas eleitorais, Elvira Carvalho.
      Um abraço

      Eliminar
  3. Um louco e só não percebo como passou despercebido no hotel onde, segundo dizem, há sempre uma vigilância apertada. Segundo o que ouvi até a própria família nada sabia.

    Trump nada fará e a saga das armas que movimenta milhões irá continuar e se os jovens podem levar armas para as escolas...está tudo dito. Enfim pobre de quem morreu e de quem ficou para contar o horror que viveu.

    Beijocas e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Never ending story, Fatyly.
      para que tivesse um fim era necessário que houvesse alguém com coragem para afrontar o lóbi armamentista.
      E não há.
      Nem é só Trump, já foram muitos outros antes dele.
      Beijocas, um bom dia também

      Eliminar
  4. Bem sei que existe essa força poderosa do negócio das armas, mas impressiona-me que com tantos casos de massacres e de acidentes com armas, com crianças por exemplo, os EUA ainda não tenham conseguido restringir o seu uso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obama ainda tentou, luisa.
      Foi logo trucidado pela poderosíssima máquina da NRA.
      Parece mesmo tarefa impossível.

      Eliminar
  5. Um lóbi muito forte nos Estados Unidos e que não há coragem de acabar e as tragédias vão-se sucedendo a um ritmo cada vez mais terrível.
    Um abraço, boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por muito que isso nos choque, e custe admitir, o controlo da venda e posse de armas nos EUA só acontecerá quando e se o NRA quiser, Francisco.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Bom dia Pedro, concordo com vc amigo, em todo o mundo acontece o mesmo, aqui no Brasil, a venda de armas é feita à luz do dia, tão normal como se vendessem um alimento qualquer... Ao meu ver uma das piores concessão ao ser humano.
    Que seja leve o seu dia!
    Abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A venda de armas, sem restrições, é um flagelo, Diná.
      Porque atrás desse negócio nunca vêm coisas boas.
      Um abraço

      Eliminar
  7. Olho para o último parágrafo do seu texto e sinto-me impelido a assinar por baixo.
    Quem é que está, de facto, interessado em alterar a legislação sobra a venda de armas? No body, I say!

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem tentou, e Obama tentou, foi barrado à partida, António.
      Depois choram lágrimas de crocodilo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Também escrevi sobre este massacre.

    Que me desculpe quem aprecia os EUA , mas para mim aquela sociedade é muito desequilibrada e tem laivos patológicos. Escusado será dizer que existem excepções e pessoas com valores e juízo.

    Trump quer lucro e nada mais..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estive agora mesmo a ouvir as declarações de Trump no Porto Rico, São.
      O homem é mesmo desiquilibrado e não tem noção daquilo que diz.
      O que não seria grave não fosse o facto de ser o Presidente da única superpotência no Mundo.

      Eliminar
  9. Completamente de acordo com o comentário da São, aqueles "rapazes" são mesmo desequilibrados e perigosos.
    Um abraço.
    Autografos Futebol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sobretudo por disporem das armas mais sofisticadas, Francisco Emanuel.
      Os Cowboys verdadeiramente nunca desapareceram.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Apreciei sobremaneira tua irretocável reflexão.
    O mais inquietante é saber que está incorporado na cultura americana, que é direito - sem restrições - o porte de arma.
    Também o que está por trás deste "direito" questionável é o grande poder que tem os fabricantes de armas, com a complacência das autoridades constituídas.
    A fala que transcreveste do mandatário mor estadunidense, deixa patente a certeza que nada mudará.
    Por ora, o clamor é veemente, mas declinante, com o passar do tempo, até que uma nova tragédia anunciada causar outra comoção.
    Caloroso abraço. Saudações exasperadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um direito constitucionalmente consagrado segundo a interpretação de muitos, Amigo João Paulo de Oliveira.
      E é exactamente como refere - enquanto as pessoas estão chocadas tudo se discute.
      Quando esse efeito passar, e passa depressa, fica tudo na mesma.
      Até ao próximo choque.
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. este é daquele tipo de coisas que não se compreendem. não se compreende o porque do possuir armas, só porque sim, é legal :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Constitucionalmente consagrado, mami.
      Uma das emendas da Constituição.

      Eliminar
  12. A minha filha Vannie esteve quase para ir a Las Vegas a esse concerto de música country. Uma amiga da minha filha estava em Las Vegas no casino e pensou que se tratava de foho de artifício🔥

    Também se pode comprar armas ilegalmente como se faz na Alemanha. O fruto proibido é o mais apetecido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A grande diferença é que na Alemanha compram-se ilegalmente, Teresa.
      Nos EUA é um direito.
      Um direito muito estranho convenhamos.

      Eliminar
    2. Mas as armas ilegais também matam. O que eu quero dizer é que sou contra todas as armas ilegais ou legais.

      Também sou contra a exportação de armas que a Alemanha pratica sem qualquer tipo de pudor.

      Eliminar
    3. Não podia estar mais de acordo, Teresa.

      Eliminar
  13. Eu penso que isso nunca vai mudar, e tão pouco acabar... A venda de arma é um negócio bem lucrativo, e é muito fácil adquirir. A cada dia a criminalidade soma devido a essa facilidade, até uma criança consegue comprar uma arma de boa nesses mercados livre, em farol, no meio da rua.
    Muito triste ver essas tragédia cometida por esses loucos, desequilibrado. Hoje está perigoso ficar em lugar aberto no meio de multidão, nunca se sabe de onde vem uma bala.
    Boa semana Pedro!
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os EUA nesse aspecto são um fenómeno único, Smareis.
      E de nada vale vivermos a vida assustados, com medo de tudo.
      Não adianta nada.
      Beijos

      Eliminar
  14. Talvez um dia ali pelos EUA pare de chover no molhado...
    Mas temo que só um CATACLISMO poderá ter a força da mudança.
    E como não desejo um... que chova no molhado. Eles ali são muuuuito lentos para entender que armas não servem para nada. A não ser para massacres e mortes de pessoas queridas. Acham, iludidos que estão, que as armas oferecem segurança e defesa, dos bandidos - que estão armados.
    Mas estão errados. Armas para todos significa o caus, o faroeste. Bang-bang para todos os lados.

    Há muita hipocrisia em muitas sociedades desenvolvidas tidas como de primeiro mundo. No EUA é capaz de ser isto das armas. Aqui no UK diria que é o ÁLCOOL.

    Porque há semelhança das armas, eles não querem que os jovens bebam e fiquem podres de bêbados, mas não estabelecem nenhum limite de bebida nem deixam de oferece-la de forma apelativa nas mais diferentes circunstâncias de perigo: em estações de serviço para gasolina, nos aeroportos, nos muitos PUBs que aqui abrem logo de tardinha, fechando tudo o resto....

    E depois ainda incutem a TERCEIROS (isto é tão british!) a RESPONSABILIDADE pela intoxicação de álcool dos outros. Cabe ao tipo atrás do balcão recusar bebida, cabe ao porteiro não os deixar entrar, etc etc. Porque se cometerem um único deslize, a tolerância é ZERO e vem a coima, a perda de emprego para a pessoa e todos realmente, porque o estabelecimento encerra. Uma coisa do outro mundo... Mas colocarem um LIMITE de bebida por local - isso não fazem.

    Enfim, um tema que tem andado a povoar os meus neurónios e que quase dava um post. Acabou que esse «post» veio parar aqui :D

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O abuso do álcool, como todos os abusos, é um problema muito sério.
      Não advogo que se obriguem as pessoas a seguir o meu exemplo e a serem abstémias.
      Confesso que até gostava de saber apreciar um bom vinho.
      Não sei, sabe-me mal.
      Mas o que advogo, já o fiz em público e profissionalmente, o que até me custou alguns dissabores, é tolerância zero em algumas situações.
      Por exemplo na condução de veículos.
      Defendi, defendo, defenderei, até para evitar dúvidas (quantas bebidas e que tipo para conseguir uma taxa X), a taxa zero de alcoolémia para quem conduz.
      Conduz?
      Não bebe, ponto final.
      Um abraço

      Eliminar
  15. É complicado. Aqui no Brasil por exemplo é proibido, porém com o alto índice de violência, assaltos e mortes, a população precisa se prevenir.

    Nem vou me expandir sobre esse assunto, pois sempre tem os pós e os contras sobre tudo isso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Felizmente esse é um dos domínios em que Macau é um sossego, Walter Segundo.
      A segurança que se sente nas ruas, no nosso dia-a-dia é um bem muito precioso.

      Eliminar
  16. É tão assustador o número de mortes por armas de fogo, quanto a recusa em rever a Segunda Emenda. Trump chutou para canto quando confrontado com essa necessidade. Escroque!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A resposta de Trump foi a de sempre - a ver vamos.
      Não vamos ver coisa nenhuma, não vai haver debate nenhum, não vai mudar nada.
      Até ao próximo massacre.
      Only in America, Célia.

      Eliminar
  17. As armas fazem parte da cultura americana,já os loucos, esses aparecem um pouco pelo mundo inteiro. Foi um ato brutal como todos os que se lhe assemelham.

    Uma coisa é certa, nós europeus não queremos reconhecer que temos os EUA a criar crianças armadas, pois aos 9 anos ou de inferior idade já sabem disparar. E são os pais que as ensinam a disparar.

    É algo que não cabe na nossa sociedade europeia que tanto se repugna com este tipo de atitudes quando se trata de educação de menores.

    Pedro, no global sabemos que o negócio das armas é muito poderoso e que existe um mundo legalmente apoiado e depois o outro, todo um submundo por nós desconhecido a este respeito.

    E os loucos e (ou) os conscientes, usam-nas para o bem e para o mal.

    Bom feriado,
    Bejinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As armas fazem parte daquilo que muito boa gente gosta de designar por cultura americana, ou por american way, mz.
      Armas que, em si mesmas, não fazem mal a ninguém.
      O problema é serem utilizadas descontroladamente.
      E aí é que surgem os problemas e os loucos.
      Beijinhos

      Eliminar
  18. Custa acrer como eles consideram isso um direito fundamental, sem considerarem os contras! :((
    Aos nossos olhos é inconcebível
    Parece que ainda estamos (lá), no tempo das coboiadas !

    Abraço, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A célebre Segunda Emenda, Rui.
      Que pode ser interpretada de muitas maneiras mas é invariavelmente interpretada no sentido de ser um direito possuir armas.
      Aquele abraço

      Eliminar
  19. Pedro creio que a incógnita está no por quê da ocorrência desse lunáticos? Por que em outros países não ocorre essas demências perversas? Deve haver um gene aí de mocinhos e bandidos do velho oeste... Grande abraço. Laerte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais, Laerte.
      É o espírito das cóboiadas que teima em manter-se por terras do tio Sam.
      Aquele abraço

      Eliminar
  20. Difícil esse assunto, Pedro, aqui no Brasil não podemos ter armas, a população toda foi desarmada, só bandidos que compram com muita facilidade. Entram em nossas casas, roubam carros, celulares na rua o quando entregamos, sem pestanejar, ainda levamos um tiro na cara!
    Todos eles têm um arsenal de exército, armas potentes, de exército. Mas pais de família não podem ter. E isso acarreta que os bandidos não respeitam nem mais os policiais, suas armas são melhores. Então pergunto: o que fazer? Continuarmos a sermos mortos sem defesa alguma ou tentar defender nós e nossas famílias? Como resolver? Veja o que acontece no Rio de Janeiro e em todo o Brasil.
    O que você faria?
    Beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema que expõe é um problema de segurança pública, Tais Luso.
      Que tem que ser resolvido pelas estruturas do Estado, pelas forças de segurança, e não através de distribuição de armas à população, julgo eu.
      O monopólio do uso da força deve ser mantido no Estado, não pode ser espalhado sob pena de se criar uma sociedade em constante violência.
      Beijos

      Eliminar
    2. Sim, certamente, concordo, o que acontece aqui é que há tanta corrupção de 15 anos para cá, que o país está atolado em dívidas e salários congelados ou parcelados. Não há governabilidade que aguente tamanho saque. Levará algumas gerações para que o Brasil volte a ser uma Nação feliz, com sua saúde, educação e segurança fortes. Enquanto isso não acontece e não será a curto nem a médio prazo, ficamos todos a mercê de bandidos e policiais morrendo, mais de 110 num mês no Rio de janeiro. Sei que a função de segurança é do Estado, porém, não existe com satisfação, nem perto do que deveria haver. Só sendo brasileiro, morando aqui e vendo nosso dia-a dia, é que alguém poderá entender o que foram esses bilhões de saques, de desmonte, de irresponsabilidade dos governantes. O país é rico, mas o povo não! O dinheiro não está empregado aqui dentro... todos sabem. A única coisa que confiamos atualmente é na LavaJato ( Juiz Sergio Moro), no Ministério Público e na Polícia Federal. Mais nada. E cada dia surgem mais surpresas...

      Eliminar
    3. Vou acompanhando a situação política e social no Brasil, Tais Luso.
      Mas, como bem refere, é MUITO diferente acompanhar nas notícias e viver por dentro os problemas.
      Só posso desejar, do fundo do coração, que o Brasil encontre depressa o seu caminho.

      Eliminar
  21. What happened in las Vegas is scary and shameful act.

    A 64 years old a mature man killed many innocent people .

    i don't take it is fun of single man without any visible and logical motive .


    political and bureaucratic involvement can not be denied which is provoking extremism followed by terrorism to take personal advantages that are beyond the insight of common men

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Now there's the possibility of the killer to have acted in conjunction with other people, baili.
      How is it possible for ONE guy to disarm security in a casino, install video cameras, break two unbreakable windows and shoot radamonly at people?
      We are going to continua to have news about this massacre for some time to come.

      Eliminar
  22. Aqui no Brasil só os bandidos podem ter armas...:(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os bandidos têm armas em toda a parte, Poemas em dó menor.
      Infelizmente é assim.

      Eliminar