24 de outubro de 2017

Congresso do Partido Comunista Chinês


O Congresso do Partido Comunista Chinês, que decorre em Pequim desde o dia 18 p.p., está a produzir os resultados esperados.
Já todos sabemos que o regime político chinês é avesso a surpresas, a golpes teatrais de última hora.
Neste enquadramento em nada surpreende o reforço do poder de Xi Jinping dentro do Partido e dentro do País.
O País que Xi Jinping já disse alto e bom som vai estar bem atento às duas Regiões Administrativas Especiais, sobretudo a quaisquer intenções de sedição (as diatribes de Hong Kong e os movimentos independentistas na Europa enervam Pequim).
O mesmo País que vê reforçada a sua imagem internacional muito à custa de um errático Donald Trump.
Afirmando o seu poder a nível interno, conseguindo inclusivamente que se reúna à sua volta um culto de personalidade há muito distante da política chinesa, Xi Jinping vai simultaneamente reforçando a importância e o poder da China no contexto político e económico mundial.
Do Congresso do PCC não se esperam grandes surpresas, nunca se esperam grandes surpresas.
A maior poderá mesmo ser uma formalização desse culto de personalidade à volta de Xi Jinping que poderia mesmo passar pela inclusão do seu nome nos estatutos do PCC, uma honra até agora apenas reservada a Mao Tse-Tung e Deng Xiaoping.

22 comentários:

  1. Trump vai à China em novembro. Alguns pró-trumpistas estão a prever que ele trará milhares de milhões de $$ em investimentos chineses.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É possível, Catarina.
      Mas, pergunto eu, a troco de quê?
      Os chineses não investem à toa, muito menos deixam o dinheiro, que lhes vai render juros a nível económico e poder a nível político, nas mãos de terceiros sem rigorosa supervisão.

      Eliminar
    2. As reservas monetárias da China são brutais, Catarina.
      Não é por causa de praticarem caridade...

      Eliminar
  2. Hoje, Pedro Coimbra, limito-me a tomar conhecimento...

    Um abraço num dia de sol e que parece vir a ser quente de novo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Decide-se ali muito do que vai ser o futuro a nível mundial, João Menéres.
      O Dragão acordou e expele cada vez mais fogo.
      Aquele abraço com muito sol também, muito menos calor e humidade (sem dúvida a melhor época do ano em Macau).

      Eliminar
  3. A China está cada vez mais forte (economicamente e militarmente)e a ganhar domínio a nível mundial.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem fazer grande alarido a China vai crescendo a todos os níveis, Francisco.
      E a actual liderança está apostada em fazer o país crescer ainda mais.
      Agora à sombra de um líder cada vez mais poderoso.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. Preparam-se para serem os Senhores do Mundo e já não falta muito.
    Um abraço.
    Autografos Futebol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já há confirmação oficial do que se antevia, Francisco Emanuel - o pensamento político de Xi Jinping passa a fazer parte da Constituição chinesa e a ser ensinado nas escolas.
      Agora pode mesmo dizer-se que é o homem mais poderoso do Mundo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Tudo isto me traz a memória de um livro intitulado !Quando a China Acordar..." e me parece que já acordou e de olhos bem abertos.

    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já, São, já acordou, está de olhos bem abertos, sabe para onde quer ir e os caminhos para lá chegar.
      Boa semana também

      Eliminar
  6. Pois é Pedro, ele se transformou numa figura histórica.
    Xi Jinping já é considerado o dirigente mais poderoso da China dos últimos 25 anos, status de governante chinês mais poderoso em décadas, com a inclusão de seu nome nos estatutos do Partido Comunista da China (PCC), um símbolo que o coloca à altura do fundador do regime, Mao Tsé-Tung.
    Boa semana!
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ficou ao nível de Mao e de Deng, Smareis.
      O seu pensamento político ficará a fazer parte da Constituição e será ensinado nas escolas.
      Líder do Partido, do Exército, do País.
      Mais poder que isto...
      Beijos, boa semana

      Eliminar
  7. Coimbramigo

    Os congresso do PCC são repises mais ou menos "condimentadas"; mas são a demonstração duma China que está sempre a crescer, mas parece que muito boa gente não entendeu que a China já é uma Grande Potência.

    Penso que é preciso estar muito atento ao que se na China. É uma aliada do louco "presidente" da Coreia do Norte que, não sejamos distraídos ou parvos, há que atender a tal circunstância.

    Talvez "menos aliados>", mas nada nada ou quase se sabe sobre qual seria a reacção de Beijing se dois loucos, Kim Jong-un e Donald Trump carregassem nos respectivos botões da morte.

    Amigos amigos mas negócios à parte? Se houver/houvesse - longe vá o agouro - uma terceira guerra mundial, sem dúvida ela seria nuclear. Seria a matança da Terra? Não mas que leve Diabo a quem souber. SÓ sei que ignora a China não é perigoso - é perigosíssimo. Por isso muita atenção aos sinais que vêm do Congresso. Quem te avisa teu amigo é. Mas também é melhor ter inimigos que são mais do que os amigos...

    Triqjs e um abç para tu

    Henrique, o Leãozão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A aliança com a Coreia do Norte é uma aliança de conveniência, FerreirAmigo.
      Nem a China se mete nos assuntos internos de outros países (quem tem telhados de vidro não atira pedras...) nem está propriamente interessada em ver o regime norte-coreano desmantelar-se e ver milhões de norte-coreanos a entrar pelas fronteiras do país.

      Já se conhece oficialmente o novo estatuto de Xi Jinping, agora sim o homem mais poderoso do Planeta.
      Hoje vamos conhecer os outros cinco nomes do grupo dos sete magníficos.
      Não haverá grandes surpresas.

      Aquele abraço para ti, beijos para a Raquel

      Eliminar
  8. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Acho que não sabes, mas fui filiado ao Partido Comunista do Brasil - PC do B, de 1998 a 2003, inclusive fiz parte do Diretório Municipal de Diadema.
    Um dos motivos, que foi preponderante para minha desfiliação, foi a teoria e prática, nem sempre a caminharem de mãos dadas.
    Caloroso abraço. Saudações desiludidas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já aqui tinha contado essa filiação, Amigo João Paulo de Oliveira.
      O problema de muitas ideologias não são as ideologias em si mesmas.
      São as interpretações que se fazem das mesmas e as pessoas que fazem essas interpretações.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Causa-me impressão uma única árvore dar sombra a uma floresta gigante. Sabemos que, sem luz, as pequenas árvores poucas hipóteses têm de medrar.
    Por outro lado, a Coreia do Norte não passa duma carta na mão da RPC para o grande jogo (já a decorrer) - a disputa do primeiro lugar do pódio. A hegemonia mundial. Um jogo com muitos riscos, como sabemos.
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O culto da personalidade é um fenómeno muito oriental, Agostinho.
      Agora é a era Xi Jinping.
      Outras houve, outras se seguirão.
      Com a China cada vez mais como grande player no tabuleiro do xadrez mundial.
      Grande abraço!

      Eliminar
  10. Confirmou-se aquilo que o Pedro e eu tínhamos antecipado há uma semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De Pequim nunca chegam grandes surpresas, Carlos.

      Eliminar