20 de janeiro de 2016

Fui ali entregar-me e já venho


O caso dos cinco livreiros da livraria Causeway Bay Books, e da editora Mighty Current, com sede em Hong Kong, que vendem e publicam obras críticas do regime comunista chinês, e se encontram desaparecidos há já algum tempo, torna-se cada vez mais estranho.
Depois de confirmada pelas autoridades chinesas a presença de Lee Bo em Guangdong, sem que haja qualquer registo da sua passagem pelos postos fronteiriços da Região Administrativa Especial de Hong Kong (RAEHK), agora foi a vez de se saber que também Gui Minhai se encontra no interior da China.
Notícia confirmada pelo próprio, numa gravação difundida pela CCTV, na qual o livreiro de Hong Kong se assume como culpado de um crime de atropelamento e fuga, presumivelmente ocorrido em 2004, do qual estaria profundamente arrependido e pelo qual pretenderia ser exemplarmente punido.
Estas explicações roçam o patético, o imbecil, e tratam os destinatários da mensagem como perfeitos debilóides.
Cinco livreiros desaparecidos, todos profundamente críticos do regime comunista chinês, dois dos quais presumivelmente a colaborar voluntariamente com o regime que tanto criticam.
E os outros três?
Também estão a colaborar voluntariamente??
Num caso potencialmente tão grave, que pode muito bem envolver uma violação flagrante do princípio "um país, dois sistemas", pretender apresentar este tipo de explicações é quase ofensivo.
Quando via e ouvia as declarações de Gui Minhai confesso que só uma frase me vinha à memória - "o coelhinho foi com o Pai Natal e o palhaço no comboio ao circo".
Convenhamos que a explicação oficial dada para supostamente justificar uma situação de extrema gravidade é em tudo equivalente a este célebre slogan publicitário.

36 comentários:

  1. Gosto de ler este blogue maravilhoso
    abraços

    ResponderEliminar
  2. Muito obrigado, alfacinha.
    Vou visitar o seu espaço também.
    Abraços

    ResponderEliminar
  3. Uns de forma mais evidente que outros, mas todos os governos tratam os seus governados como debilóides.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As autoridades chinesas nesse particular não têm concorrência, Elvira Carvalho.
      Um abraço

      Eliminar
  4. Pois é Pedro, tenho lido e acompanhado este caso. Em nada me estranha e não acredito "nesta entrega de um deles dando-se como culpado de algo ocorrido há uma década", porque se em países democráticos ocorrem coisas terríveis, em ditaduras ainda é pior.

    Durante quase 50 anos e com o que tivemos desapareceram famílias inteiras etc, etc. e até hoje ainda o "gajo" é abençoado e louvado por muitos.

    Todo o caso que relatas nada tem de estranho, foram e ou estão (se ainda estiverem vivos) porque há dois sistemas etc e tal!

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E um deles foi parar à China sem haver registo de saída dele de Hong Kong, Fatyly.
      Milagre???
      Fazem de nós parvos!
      Beijos, um bom dia para Portugal

      Eliminar
  5. Há coisas que nunca mudam, Pedro! :/

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tal e qual, Ricardo.
      Vícios profundos que é difícil fazer desaparecer.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. A China no seu melhor passando uma imagem para o exterior contrária às suas práticas internas.
    Um abraço amigo Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estas histórias da carochinha já não convencem ninguém, Francisco.
      Pelo contrário, são profundamente irritantes.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Essa trágica situação trouxe-me à memória os terríveis julgamentos de Moscovo na ditadura de Estaline.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As ditaduras seguem sempre os mesmos métodos, São.

      Eliminar
  8. Os regimes como o da RPC mantêm o poder pela manutenção da harmonia do rebanho. Todas as ovelhas "tresmalhadas" necessitam de processos de normalização.
    Para pensar existe o partido.

    BFS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é mesmo esse o discurso oficial, Agostinho.
      Evitavam era de fazer de nós parvos e burros.
      Bfds

      Eliminar
  9. ~~~
    Muito grave!
    A China continua a mostrar ao mundo que não cumpre
    minimamente os direitos humanos e que do ocidente,
    só lhe interessam lucros.

    Pessoas bem formadas continuam a perguntar como foi possível Pequim ter sido palco de uns jogos olímpicos!

    ~~~ Beijinhos, Pedro. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes vícios estão tão entranhados que vai ser muito complicado extraí- los, Majo.
      E é tão irritante!!
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Histórias para enganar criancinhas, Pedro?

    Há coisas difíceis de engolir!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que nem criancinhas enganam, Janita
      Beijinhos

      Eliminar
  11. Sempre ouvi dizer e até repeti várias vezes que «há pessoas capazes de tudo» mas agora, quanto mais envelheço melhor compreendo essa frase tantas vezes papagueada!
    Há vidas muito dificeis.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se já não fosse suficientemente grave o facto de os cinco terem desaparecido misteriosamente, virem agora com estas explicações é irritante, papoila.
      Bjs

      Eliminar
  12. Pois, essa história parece mesmo muito mal contada. Um bocado como o Assange ter violado duas suecas, daí quererem julgá-lo pelo "crime" e, quem sabe,se extraditá-lo para os States... ;)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar foram duas suecas, dois jogos de cartas, e o tipo fez batota, Teté.
      Irrita tanto fazerem de nós estúpidos!!
      Beijocas

      Eliminar
  13. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Fiquei estupefato em saber sobre as evasivas do governo de tentar "tapar o Sol com peneira".
    Caloroso abraço. Saudações dissimuladas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços com muita imaginação e com muito gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a peneira, neste caso em concreto, tem uns orifícios demasiado evidentes, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Até um cego vê!!
      Aquele abraço

      Eliminar
  14. Viver em regime de ditadura é, no mínimo, «duro»!
    Mau de mais!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os regimes ditatoriais têm destas pérolas, Graça.
      De tirar do sério a mais paciente das criaturas!

      Eliminar
  15. Subestimam nossa inteligência...
    China, Coreia do Norte, Cuba, Venezuela e tantos outros países que abusam do povo e ninguém faz absolutamente nada...Lamentável!

    ResponderEliminar
  16. O poderio Chinês numa das suas facetas negras.

    Beijinhos, Pedro :)

    ResponderEliminar
  17. Porque será que estas situações não me surpreendem ? ... Todos nós sabemos como funcionam os regimes totalitários, por muito que queiram fazer para disfarçar a suas acções !

    Abraço !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao disfarçar ainda se tornam mais ridículos, Rui.
      Fazer dos outros cretinos é muito feio.
      E não resulta.
      Aquele abraço

      Eliminar
  18. One-country-two-systems is just a slogan. It would be naive if anyone who would believe that it is true, and the Chinese government would honor such a one-of-a-kind system for 50 years. Look at Macau, who are managing the government behind the curtain these days? Macau is, unfortunately, a one-voice-city from Day 1. Who is the boss behind he scene? Who has the gut to say no? One-country-two-systems never happen in Macau. HK? For a short while in the beginning, but not now.

    If the bookstore was in Macau instead of in Hong Kong, I would say that the bookstore would have been disappeared (forced to close or used some gangsters to get the people in trouble) for a long time. Moreover, the owners probably would have been disappeared the same as well or "committed" suicide.

    So sad and disappointed to see what already had happened both in Macau and Hong Kong.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Charles,
      You're really disappointed with what you see im Macau and Hong Kong!
      Sure the Central Government's invisible hand would always be felt in both SAR's.
      A very wise macanese (Carlos D'Assumpção) used to say something that perfectly depicts the whole picture - "the chinese never organize an election without knowing who's going to win".
      This is the general mindset.
      Nothing is left to chance and we know it.
      In this case things have gone too far and the explanations (???) are absolutely ridiculous.
      Big hug for you, kisses to the girls

      Eliminar
  19. Hi Pedro,

    A better explanation would be that someone kidnapped these five people and illegally brought them over to China. Someone sent a letter to Lei Bo's wife and said they wanted $1 million dollar. With the help of the China police and the secret agents, they found the five people.

    These five people were so appreciative of the Chinese government help, they said they wanted to stay over the China to help solve this kidnap. So the drama is done.

    Abraco!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. If that's the reality, and it probably is, we are facing a direct attack to Basic Law of Hong Kong, Charles.
      Both the Basic Law of Hong Kong and Macau are clear about the right of Hong Kong and Macau citizens to face trial in their respective areas and under their specific laws.
      If what happened is what we think it happened, "one country, two systems" suffered its most severe blow!
      Aquele abraço

      Eliminar