12 de outubro de 2015

COMO É QUE COMEÇA A GUERRA


- Papá, como é que começa a guerra?
- Olha, supõe que a Espanha, por exemplo, apreendia um barco dos nossos...
- Ó homem! Não ensines uma coisa dessas à criança. A Espanha nunca nos fazia isso. De mais a mais, estamos em óptimas relações.
- Mas isto é só uma suposição...
- Mas é uma suposição parva. Não tem jeito nenhum.
- Ó mulher, cala-te. Isto é só como exemplo...
- Cala-te tu, que tu é que estás dizendo as asneiras.
- Fazes-me perder a paciência, diabo!
- O quê? Estás a ameaçar? Julgas que me metes medo?
- Ó mulher... eu...
- Pronto, papá! Pronto! Já sei como é que começa a guerra.

BOA SEMANA!

39 comentários:

  1. Este texto prova que não é necessário ir tão longe para ir buscar exemplos. Basta olharmos para nós mesmos. O mundo está também dentro de nós.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitas vezes os melhores exemplos estão dentro da nossa própria casa, Miss Smile
      Beijinho, boa semana

      Eliminar
  2. How to start a war, Pedro?

    Agora temos dessa brincadeira, noutra escala,no Largo do Rato.

    Aquele abraço e votos de excelente semana para si e suas princesas, meu amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lembra-se dos Culture Club, Ricardo?
      War, war, supid
      E mais não digo :)))
      Aquele abraço, boa semana para si e as suas mais que tudo

      Eliminar
  3. ~~~
    ~ Kkkk...kkk...

    ~ Ótima semana, Pedro. Beijinhos.
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
  4. rrrss rrsss

    Exemplo prático é sempre o melhor...


    Boa semana, Pedro

    ResponderEliminar
  5. Nada como ter um exemplo por perto para se perceber como começa uma guerra.
    Boa semana, Pedro, um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um exemplo que procuro não dar às minhas filhas, António.
      Não andamos às turras?
      Claro.
      Mas tentamos que não seja com as meninas presentes.
      Aquele abraço, boa semana

      Eliminar
  6. Os pais são um bom exemplo para esta explicação :)

    Um beijinho e boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando deviam ser o exemplo oposto, Fê
      Enfim....
      Beijinhos, boa semana

      Eliminar
  7. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Agradeço e retribuo os auspiciosos votos.
    O petiz aprendeu como uma guerra pode começar.
    Caloroso abraço. Saudações belicosas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando lia esta anedota sabe o que me veio à memória, Amigo João Paulo de Oliveira?
      O filme The War of The Roses, com Michael Douglas, Kathleen Turner e Danny de Vito.
      Aquele abraço, boa semana

      Eliminar
    2. Leve, mas muito bem disposta, Amigo João Paulo de Oliveira :))

      Eliminar
  8. Um belo exemplo da falta de respeito que origina uma guerra doméstica e não só!!

    Por cá parece que vamos ter guerra também, Pedro! Ninguém respeita a vontade do povo, depois dizem que ele é quem mais ordena!

    Beijinhos e que tenha uma semana de muita paz e harmonia, pessoal e profissional!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por aqui também se comenta, e de que maneira, o resultado eleitoral e os possíveis cenários.
      Já disse o que tinha a dizer sobre o assunto.
      Vamos ver o que diz agora o PR.
      Beijinhos, votos de uma linda semana

      Eliminar
  9. E assim começa uma guerra doméstica…
    Bom semana, Pedro, sem guerra.
    : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma nova versão de The War of the Roses, Catarina :)))
      Boa semana

      Eliminar
  10. Tantos exemplos se seguem, muitos pensando ser os melhores, principalmente quando têm os pais como heróis.

    Boa semana Pedro, até breve.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai correr tudo bem, Adélia.
      Não se assuste, pense antes que se vai ver livre de um problema que a vem atormentando seriamente.
      Beijinhos

      Eliminar
  11. Portanto o pai e a mãe resolveram os dois explicar representando como se estivessem a discutir a sério, certo? :)

    ResponderEliminar
  12. Ah pois é. A demonstração é eficaz. E explicar como se alcança a paz também seria necessário. :)

    ResponderEliminar
  13. ainda bem que o miúdo não os deixou passar aos actos!
    até amanhã Pedro


    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É algo que me tira do sério, Angela - violência, física ou verbal, entre o casal com os filhos a testemunhar

      Eliminar
  14. Nada como um bom exemplo vivo!....

    Beijinhos divertidos.

    ResponderEliminar
  15. Infelizmente, é mais fácil do que aquilo que parece...

    Beijinhos, Pedro. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E (demasiado) habitual, Maria Eu :(
      Beijinhos, boa semana

      Eliminar
  16. É mesmo assim que começam as guerras.

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo bem explicadinho, Agostinho :))
      Aquele abraço

      Eliminar
  17. Mas está aqui um bom exemplo prático, Elvira Carvalho

    ResponderEliminar