8 de outubro de 2015

Afinal quem é que ganhou as eleições em Portugal?


Depois de Catarina Martins ter desafiado o PS para formar uma "alternativa de esquerda" (sic), agora é a vez de Jerónimo de Sousa afirmar que votará contra um Orçamento de Estado apresentado pela coligação vencedora das eleições (não há governo, muito menos Orçamento, mas o PCP já vota contra) e que estará disponível para viabilizar a tal solução (???) de esquerda com o PS à cabeça.
O Bloco de Esquerda e a CDU, que disseram acerca do PS de António Costa o que Maomé nunca disse do toucinho, apresentam-se agora solícitos para viabilizarem uma hipotética solução de governo que agruparia os partidos que não ganharam as eleições.
Sim, porque quer se goste quer não, quem ganhou as eleições do último domingo foi a coligação PSD/CDS.
Ver agora o PCP e o Bloco de Esquerda aliciar um PS do qual sempre se distanciaram, em termos programáticos e em campanha eleitoral, é deprimente.
Como também o é não ver o PS assertivamente afirmar que não está disponível para tomadas de poder à revelia do que foi o voto dos portugueses.
Muito menos em conjunção com partidos que nada têm a ver com o programa e o ideário dos socialistas portugueses.
São golpadas destas, politiquice rasteira, levada a cabo por politiqueiros, que fazem engrossar o número de pessoas que se alheiam da participação política em Portugal.
Depois admirem-se com os números da abstenção.

39 comentários:

  1. Pedro, gostei da sua análise objetiva e sóbria. O último parágrafo resume na perfeição o estado calamitoso a chegou a política em Portugal.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Miss Smile,
      Na vida, todos os dias, nos vários domínios, perde-se a ganha-se.
      Mesmo que a derrota seja dolorosa devemos saber aceitá-la, aprender com os erros cometidos, levantar, sacudir o pó e seguir.
      Não gosto nada de batotice.
      E o que está a ser proposto, que já assisti em boa medida, ainda que em cenário autárquico, há cerca de trinta anos, é pura batota.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Continue com as suas análises objetivas e sóbrias, PEDRO!

      Eliminar
  2. E depois de ler dois posts de enfiada e respectivos comentários posso dizer-te que concordo contigo.
    Aprecio pessoas honestas e com sentido de Estado... e tu és uma delas.

    Um beijinho de apreço
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Afrodite,
      Já me vão conhecendo para saber que eu gosto de brincar, de boa disposição (amanhã é dia disso).
      Não gosto nada, mas mesmo nada!!!, de ver quem quer que seja a brincar com coisas sérias.
      E estes tipos andam a brincar com a minha Pátria e os meus concidadãos .
      Respeito, porra!

      Eliminar
    2. Também eu aprecio pessoas honestas e com sentido de Estado, tu és uma delas, AFRODITE assim como o PEDRO.

      Eliminar
  3. Realmente é inevitável que a abstenção aumente. O povo está cansado das mesmas caras, dos costumeiros corruptos que sempre aparecem, da falsas promessas ...Fartos deste país em decadência e sem alternativas.
    Não é bom viver em Portugal.
    Na hora do voto a indecisão é brutal, pois nada se vislumbra ao fundo do túnel....NADA.
    Estas coligações são guerrilhas políticas que também a nada conduzem.Lutas partidárias apenas, pois pensar no estado caótico deste país ninguém pensa mesmo.

    Bom texto

    Bjgrande do Lago

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com esta postura da classe política, a abstenção só tenderá a crescer, Garça Real.
      Que motivação terão as pessoas, especialmente os mais jovens, para ir votar se o respectivo voto não é respeitado???
      Beijos

      Eliminar
  4. Esta postura do PCP revela várias coisas: Um total desrespeito e desprezo pela vontade popular expressa nas urnas, já que quem ganhou é que no mínimo deve ser convidado a governar. O PS ganhou? O PCP com esta atitude revela também falta de respeito para com Presidente da República que já tinha convidado Passos Coelho a formar governo e não António Costa. Ou seja, o PCP brinca com toda a gente.
    Para concluir, nada disto me admira muito vindo de um partido que odeia profundamente a democracia representativa de estilo ocidental em que nos inserimos. Bem fez o Presidente da República em afastar liminarmente o PCP e o BE da sua solução de governo na sua mensagem ao país, 18,5% de votos em forças profundamente marxistas e antidemocráticas, não podem condicionar os restantes mais de 70% que votaram PàF e PS.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mais curioso é que dois partidos que representam 18% dos votos queiram tornar todos os outros refréns das suas estratégias de poder, Paulo Lisboa.

      Acho que o PS se devia ter já demarcado claramente desta tentativa de batota eleitoral.
      Andar a conversar com quem não ganhou é mais um erro de António Costa.
      Que lhe pode sair bem caro.

      Eliminar
  5. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    No meu viés o alto índice de abstenção de votantes nas eleições lusitanas atestam o ceticismo dos teus patrícios com os partidos e candidatos.
    Caloroso abraço. Saudações céticas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas estão cansadas, desiludidas, fartas.
      E a ficar cada vez com menos esperança no futuro quando se vêem representadas por gente desta.
      Grande abraço!

      Eliminar
  6. António Costa era candidato a primeiro-ministro. Caso os portugueses quisessem um governo liderado por António Costa teriam certamente posto o PS à frente. Não puseram.

    Embora eu continue a ter um fraquinho pelo PARTIDO concordo com o Pedro e com o Paulo Lisboa.

    Um saco de ratos numa feira de vaidades e mesquinhez, politiqueiros que querem ver Portugal de rastos para castigar a vitória do actual governo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já aqui o referi, ematejoca - o país precisa de um PS forte, arrumado.
      O que não precisa é deste PS que parece atarantado, desorientado.
      E de manobras palacianas muito reles.
      Como bem refere, se os portugueses quisessem que o PS formasse governo tinham dado a vitória ao PS.
      Não deram, ponto final.
      Mas confiaram no PS para ser o fiel da balança, o partido que não deixe os partidos da coligação a governar sozinhos.
      Espero que o PS saiba perceber isso é saiba desempenhar esse papel muito importante.

      Eliminar
    2. Um socialista corajoso, Sérgio Sousa Pinto, que se atreve a discordar do desnorteado António Costa.

      Eliminar
    3. Há muita gente dentro do PS, e mesmo mais à esquerda, que não se revê nesta tentiva de golpe palaciano, ematejoca.
      O PS tem que arrumar a casa, fiscalizar a actividade do governo (foi esse o mandato que os portugueses lhe deram).
      Se fizer um bom trabalho, voltará a ser governo.
      Mas antes disso precisa mesmo de fazer muitas arrumações!

      Eliminar
  7. Resumindo meu amigo, estamos lixados !

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como eu gostava de negar essa afirmação, Fê!!
      Um beijinho

      Eliminar
  8. Quem ganhou as eleições? No imediato, ninguém. A curto e a médio prazo, veremos.
    Quem pode vir a ganhar terreno num futuro não muito distante? O PS, de quem depende claramente a governabilidade do país.
    Não se pede ao PS que se faça de morto. Pede-se sim que se mantenha atento e, sem fugir à sua ideologia, colabore para um país melhor (ou menos mau) e para o alívio dos portugueses.
    Não ser governo é o que de melhor pode ter acontecido aos socialistas no actual contexto. Tem tempo para digerir o que fez de mal nesta campanha e para respirar fundo tendo em vista o daqui para a frente.
    A coligação não tem grande margem para continuar a destruir, o BE e o PCP podem, pontualmente, ser úteis se não estremarem posições.
    A ver vamos como se comporta a economia mundial. Darão, ou não, uma folga para que por cá se possa/deva dar qualidade de vida ao povo luso.

    Um abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ganhou a coligação, António.
      Os portugueses deixaram claro que querem que a coligação continue governo.
      Com o PS a não deixar que os governantes cometam abusos, mas não que seja governo.

      O Bloco e a CDU, se souberem fazer o que os portugueses lhes pediram (travão nas políticas demasiado liberais e subservientes perante os credores) estarão a honrar os votos que receberam.

      Se enveredam por estas golpeadas palacianas são apenas batoteiros, daqueles que querem ganhar na secretaria, que não merecem credibilidade nem respeito.

      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Caro Pedro, deixo aqui o comentário que fiz logo pela manhã e que, pelos vistos, não ficou.

    Nunca Tocqueville esteve tão certo quando escreveu que «em política, a comunhão de ódios é quase sempre a base das amizades.»,estes miseráveis "políticos" de vão de escada preparam-se para perverter a vontade do povo no que diz respeito a quem querem que os governo, porém, o ódio cega e a política de "terra queimada" parece sobrepor-se ao interesse nacional.
    Um PS à deriva alia-se ao Partido Comunista (travestido de CDU) e aos radicais do Bloco de Esquerda, liderados pela inenarrável Catarina Martins e pelas gémeas Mortágua.

    Enfim, que porcaria de políticos temos nós, que piruetas fazem para arranjar um poleiro, um favor e se manterem à tona...

    CORJA!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E depois ficam indignados com os números da abstenção, Ricardo.
      Descaradamente gozam os votantes e acham que eles são o quê?
      Masoquistas?
      Tenho muita pena que assim seja, acredite, Ricardo.
      Acho que Portugal merecia muito mais e muito melhor.
      Mas não vejo como nem onde.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Caro Pedro
    Não partilho da generalidade dos comentários aqui colocados, mas espero que permita a diversidade de opiniões.
    O resultado das eleições indicou que em cada 5 portugueses, 2 querem a coligação no poder, e 3 não querem.
    Partindo do princípio que esses três não se entendem, terão que ser os dois a governar.
    Mas o facto de esses três se entenderem ou não, diz respeito a eles e não às opiniões adversárias.
    Será que consegui fazer-me entender?
    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Permito e prezo a liberdade e diversidade de opiniões, caro luso.
      Mas deixe-me fazer um paralelismo - o Braga, o Sporting e o Porto, juntos, fizeram MUITOS mais pontos que o Benfica no último campeonato, não fizeram??
      Mas quem é que foi campeão????!!!
      Há dúvidas?

      Os portugueses votaram e disseram claramente que não querem o PS no poder.
      E que confiam, goste-se ou não, na coligação para governar.
      Respeite-se a escolha das pessoas, feita livremente.
      Floreados para falsear esses resultados só têm um qualificativo - batota!
      Um abraço

      Eliminar
  11. É triste ver o meu país nas mãos de carreiristas, políticos por convicção, jamais existem e o pior disto tudo é que quem se lixa é o mexilhão.

    Um beijinho Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mais triste é isso mesmo, Adélia - enquanto decorrem estes joguinhos, estas manobras, as pessoas têm que continuar com a sua vida.
      Em grandes dificuldades, muitas delas.
      Beijinhos

      Eliminar
  12. É desesperante! Sem carácter, sem palavra sem tino...dispostos a tudo!!!
    realmente é mesmo apetecível deixar de votar.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. papoila,
      Mas é isso mesmo que vai acontecer cada vez mais.
      Se as pessoas vão votar, e depois o respectivo voto não é respeitado, que incentivo é que têm para continuar a votar?
      Não tenho nada a ver com a coligação PSD/CDS.
      Nem com os restantes partidos.
      Mas se há coisa que não suporto é batota, vitórias na secretaria.
      Que é que esta gentinha está a querer.
      Há momentos na vida em que gostávamos de não ter razão.
      Este é um deles.
      Comentei, quando os resultados das sondagens iam sendo conhecidos, que esta golpada era uma forte possibilidade.
      mas ainda tinha esperança que houvesse pudor, vergonha.
      Não há.
      Beijinhos

      Eliminar
  13. ~~~
    ~~~~ NÃO SE TRATA DE NENHUM JOGO DE FUTEBOL, PEDRO!

    ALIANÇAS SÃO POSSÍVEIS, LEGAIS E PRATICADAS EM TODA A EUROPA.

    NÃO CREIO QUE AC VÁ POR ESSE CAMINHO, MAS FAZ MUITO BEM TER

    ~~~ A DELICADEZA DE OUVIR PRIMEIRO E DEPOIS PRONUNCIAR-SE.

    ~~~~~~~ B E I J I N H O S. ~~~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas a Majo não responde à pergunta do título.
      É isso é que é essencial.
      Alianças à revelia dos vencedores têm um único qualificativo, Majo - golpada!
      Se os vencedores não souberem, ou não quiserem, apresentar soluções, venham as alianças.
      Não é isso que está a acontecer, pois não??
      Beijinhos

      Eliminar
    2. ~~~
      ~ Desculpe insistir Pedro, não se trata de nenhum jogo de futebol,
      em que quem mete mais golos é que ganha...
      ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

      Eliminar
    3. Pois não, Majo.
      Por isso é que a Constituição se refere expressamente ao partido ou coligação mais votados como sendo quem o PR deve convidar a formar governo.
      Quem é que foi o partido ou coligação mais votado?
      Atenção que eu não tenho nada a favor da coligação.
      Mas não gosto é de batota, de golpadas, de interpretação correctiva da Constituição.
      Beijinhos

      Eliminar
  14. MAS AINDA HÁ DÚVIDAS??????????????????? CARAMBA! FOI A PÀF. Tantos governos, SEM MAIORIA, já estiveram no poder, desde Guterres a Sócrates, e sei lá mais quem, e todos foram indigitados e governaram, mal ou menos mal e porquê tanta algazarra, agora? Há quem tenha um mau, péssimo perder. É o caso.
    Penso k devemos manter-nos serenos. A coligação tem de tomar posse e governar e o futuro a Deus pertence.

    Bom fim de semana!

    Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Da mesma área política (PS) esqueceu os governos Soares, CÉU.
      Também os houve do lado do PSD.
      A começar com o primeiro governo Cavaco (o melhor, por acaso).

      Também não percebo esta discussão.
      O mais curioso é que, à pala disso, e eu que até sou ferozmente independente, saíram daqui uns seguidores.
      Democratas.....

      Bfds
      Beijos

      Eliminar
    2. Estava a esquecer-me desses, Pedro, tanto do PS qto do PSD.
      Acha k foi por acaso? Talvez, mas os acasos, às vezes, são os mais positivos, os melhores. Sabe que, tal como eu, k há uniões sentimentais felicíssimas e fidelíssimas, por se conheceram à pala do acaso, e outras há, em k se namoram desde k "nascem" e depois de um ou dois anos de casamento, já eram.

      A democracia dá direito a voto. Cada um vota no partido k quiser e entender. Eu disse, eu escrevi cada UM, então, não vejamos as coisas, globalmente, mas sim em particular. Eu sei k é mto mais fácil e até simplista, fazê-lo globalmente, mas cada caso é um caso. As percentagens alcançadas indicam, INEQUIVOCAMENTE, as tendências, agora se o "Zé", k até é simpatizante do PS votou PSD, pke achou... isto e mais aquilo, isso é lá com ele. Se o "Jaquim" k é simpatizante do PSD e votou no PS, pke achou.... isto e mais aquilo, isso são "contas do rosário dele".

      Não sei, nem tenho de saber, se o Pedro é ferozmente independente aqui, no seu blogue, ou se, na realidade, o não é, e tem, naturalmente, um ideal político, não sei, mas o k eu sei, pke tenho lido e acompanhado o k vai escrevendo, aqui, é k faz análises muito desapaixonadas, com conteúdo e critério.

      A "Democracia" desses tem essas "alíneas", portanto, é mais "completa" k a nossa. Juro-lhe por Deus e pelos meus pais, k se o PS tivesse tido o resultado do PSD, e eu mesmo NÃO gostando, aceitaria e respeitaria a decisão popular.

      Enfim "palavras pra quê, é um artista português". Lembra-se deste anúncio?

      Bfds.

      Beijo.

      Eliminar
    3. Sou mesmo, CÉU.
      Nunca escondi que fui, há mais de trinta anos, e por um breve período, militante do PSD.
      Vi e ouvi coisas muito semelhantes às que agora estão a acontecer.
      Vi brincar com o voto e a vida das pessoas.
      E percebi muito facilmente que aquele não era o meu mundo.
      Desde aí que acho que consigo manter suficiente equidistância para avaliar friamente estas questões.
      Pelo menos, tento....
      Beijinhos, Bfds

      Eliminar
  15. Coimbramigo

    Aqui é já meia-noite; portanto venho um tanto atrasado - mas venho.

    Num habia nexexidade que aqui dissesses que foste militante do PSD há mais de 30 anos... Tudo o que escreves sobre política e em particular quanto às Legislativas 2015 só podem ter uma interpretação: ainda és alaranjado.

    Não entendo o porquê de tanto alarido, salvo se a esmagadora maioria das/os comentadoras/es querem ver o PS reduzido ao pobre PASOK. E, cada vez mais me vou convencendo que é isso mesmo que se pretende, pois um PS reduzido à ínfima espécie não poderia fazer ondas...

    Também creio que todos já sabem que sou o militante nº 1032 do Partido Socialista e que já venho nestas "coisas" do "antes do 25 de Abril" pois fui membro da JASP e da ASP numa vaga clandestinidade.

    Qual é o problema de Costa falar com a escerda e com a direita? Não tem direito a isso? Onde estão a Democracia e a Liberdade? Por este andar da carruagem PAFIANA ainda vai para ao... caixote do lixo...

    Continuo a perguntar: qual o motivo de tanta ansiedade da culigação (assim mesmo com u)? Alcançar a governabilidade seja a que preço for? Ou apenas cumprir o ditame do suposto PR (de que tenho vergonha) que apenas "ouviu a PAF? Quantas cedências querem ou podem fazer para serem de novo (des)Governo? Ou será mais um embuste de mentirosos? (ao pé deles o Sócrates - de quem não gosto - é pelo menos um santo António...)

    De resto na AR a coisa não é tão difícil para os laranjas-azuis (?); basta que consigam ter a abstenção dos socialistas e passará (quase) tudo incluindo o famigerado OE 2016. Compreenderam? Julgo que sim.

    Costa está metido numa enorme alhada, pois ser partido charneira, isso sim não é fácil. Pôs-se a jeito? Pôs-se. Fez uma péssima campanha? Fez. Tem um partido muito partido? Tem.

    Mas, aproveito para contar uma pequena estória. Num comício um senhor sobe ao palco para afirmar entre outras "coisas" "Eu sou um homem de um só Partido! Ouçam bem caros Amigos: eu sou um homem de um só partido!"

    Da plateia vem uma voz suave mas auditiva: "Vem cá abaixo que eu parto-te o outro..." Si non e vero

    Deixem de contar as aves; mais tarde ou mais cedo hão de poisar...

    一個大大的擁抱 do Leãozão (PS).....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. FerreirAmigo,
      E tu a dar-lhe com a do alaranjado!!
      Só sou azulão (do Fêquêpê).
      Isso sim.
      Laranjas?
      Nem para comer sou grande fã.

      Não estou nada assustado com esta golpada que se prepara.
      Estou revoltado.
      Já vi algo semelhante há trinta anos, quando era militante do PSD, e achei então o que acho agora - nojento!
      Novidade - na altura quem iria ser beneficiado era o.......PSD.
      Que tinha ficado em terceiro, como agora o Boloco, e ia entrar para o executivo por mor de uma golpada destas.
      O meu sentido de Justiça não me permite alinhar nestas ondas.
      Ainda UE me sejam favoráveis.
      O povo votou.
      E foi muito claro - a coligação ganha, o PS é o fiel da balança, evita desmandos da coligação.
      Os outros dois partidos também são precisos para dar um murro na mesa quando este trio se quiser aventurar.
      Mas o que o povo NÃO escolheu foi um governo encabeçado pelo PS, ladeado pelo Boloco e a CDU.
      Preferiu quem lhe foi ao bolso a uma solução diferente.
      Isto é ser alaranjado ou é ter os olhos abertos e dois dedos de testa???!!!!

      O que é que se espera do PS?
      Precisamente o UE dizes - que não faça o que Costa disse em campanha (chumbar o Orçamento antes de o conhecer).
      Não tem nada que apoiar a política do governo, pelo contrário, deve negociar e fazer valer os seus pontos de vista.
      E deve falar e negociar com os outros partidos.
      O que NÃO PODE é ser governo com eles que é o que o Bloco e o PCP dizem que se segue.

      O PR.
      O PR fez (mais uma) asneira.
      Devia ter recebido todos os partidos com representação parlamentar e, depois disso, convidar o líder do partido/coligação mais votado a formar governo.
      Começou pelo fim.

      Essa da campanha é tão reles que nem merece comentário.

      Meu caro - amigo e familiar de ilustres socialistas, eu quero um PS forte, arrumado, de ideias claras, sem lutas internas.
      O País precisa desse PS.
      O que eu não quero, não admito, é batota.
      Venha ela de onde vier.

      Toma lá um abraço do azulão (que também não votava no Pinto da Costa para Presidente)
      Hay govierno? Soy contra!! :)))

      Eliminar
    2. Os erros não são gozo.
      É a porcaria do corrector do iPad!!!

      Eliminar