4 de fevereiro de 2015

O Horror sem limites


O Horror não conhece limites quando se fala dessa entidade sinistra, bárbara, que é o auto-denominado Estado Islâmico.
Um bando constituído por uma escumalha repugnante, que só pode suscitar um sentimento de profunda revolta e repulsa a qualquer ser humano minimamente razoável.
Em pleno século XXI o Homem continua a matar em nome da religião, em nome de um Deus, como se qualquer Deus não fosse fundamento de vida e não justificação para o morticínio.
Vivemos uma nova idade das trevas, diferente apenas na época e nos métodos de matança generalizada que são utilizados.
As sistemáticas execuções levadas a cabo pelo bando de loucos que se  dizem seguidores da religião muçulmana mais não são que assassinato em massa, carnificina, friamente executados por tresloucados que supostamente justificam as suas acções com o apelo de uma divindade.
A mesma desculpa indesculpável que já tinha acontecido noutras épocas e com outras divindades.
O respeito pela religião, por todas as religiões, não pode tolerar a existência destas seitas de malfeitores.
Gostava de ser magnânimo, superior a estes vermes, mas confesso que não sou suficientemente forte e corajoso para tanto.
A sede de vingança sobrepõe-se ao racional.
E faz-me querer ver estes canalhas dizimados.
Olho por olho, dente por dente,  Lei de Talião, retaliação e vingança em toda a plenitude que é a única linguagem que esta gentalha conhece.

32 comentários:

  1. Não posso estar mais de acordo. Infelizmente, julgo caminharmos a passos largos para uma Guerra Santa, sem possibilidade de retorno...
    Mor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As últimas notícias já dão a conhecer a execução de dois terroristas por parte da Jordânia.
      O cenário de guerra, infelizmente, é cada vez mais real, Mor.
      Não será talvez uma guerra convencional.
      Mas não será menos terrível e menos devastadora.

      Eliminar
  2. Sacanas sem lei, Pedro.

    Aquele abraço, meu amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é muito leve para qualificar este bando, Ricardo.
      Até que ponto irá a maldade das pessoas?
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. Pedro, estou em totalissima concordância!!!!

    No entanto, recuso-me a deixar de fora quem alimentou estas bestas contra Assad e não só, sem se dar ao cuidado sequer de ver a ferocidade maligna da sua atrocidade.

    Lembro-me de ter referido no "SÃO" a compaixão que tenho pelo povo sírio apanhado em fogo cruzado entre um ditador e um bando de bandidos cruéis que já na altura colocavam vídeos na Net onde trincavam corações de inimigos.

    A reacção de um brasileiro foi violenta e como eu gostaria de saber o que pensa agora sobre estas criaturas que então defendeu!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São,
      Dar armas e apoio a um bando de assassinos é sempre um enorme risco.
      Acompanho-a no que comenta - pobre mártir povo sírio apanhado no meio das bestas.

      Eliminar

  4. :(

    E estas imagens que podes ver no link são uma outra forma de terror...
    http://pt.euronews.com/2015/02/04/taiwan-aviao-despenha-se-sobre-o-rio-de-taipe-com-58-pessoas-a-bordo/

    Lembrei-me logo de ti quando li esta notícia!


    Beijo de coração apertadinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As imagens começaram a circular por aqui logo ao princípio da tarde, Afrodite.
      Assustador!
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Quando pensamos que não pode haver mais maldade, somos confrontamos com mais horror !
    Nem sei que mais comentar ...

    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que não há mesmo limites, Fê.
      Revolta tanto!
      Beijinho

      Eliminar
  6. Respostas
    1. O cenário é verdadeiramente assustador, Reporter

      Eliminar
  7. Não há nada de diferente quando se trata de bestialidades cometidas contra a humanidade.
    E elas têm sido cometidas durante séculos; mas são completamente ignoradas e até camufladas porque as ambições pessoais, políticas, económicas ou outras, para alcançarem um objectivo -o lucro, económico, político ou outro- não conhece restrições.
    Não imagino como isto vai acabar, mas não me parece que vá acabar bem. Digo eu que não sou pessimista!
    Akele abraço, pah!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é ser pessimista, Kok, é ser realista.
      Esta espiral de violência, que parece não ter fim, não vai de certeza caminhar em bom sentido

      Eliminar
  8. Um dos maiores paradoxos da humanidade : "Matar em nome de Deus" ... Ao longo de toda a humanidade tem sido certamente este (a religião) o maior motivo de mortes !!! ... Vá-se lá saber porquê !!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem sido sempre assim Rui.
      O Homem mata em nome de Deus.
      Quando Deus devia ser símbolo de vida.

      Eliminar
  9. Suponho que mais tarde ou mais cedo estes núcleos extremistas serão apanhados e dizimados. Mas loucos e assassinos havemos de ter sempre, se não for com a desculpa da religião ou da política outra razão virá à tona. Mesmo que louca, once again!

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostava de ter essa visão optimista, Teté.
      O que vejo é estes grupos extremistas a crescer, a serem constantemente alimentados por novos aderentes.
      Mete medo.
      Beijocas

      Eliminar
  10. O horror praticado por ambas as partes na maldita guerra colonial jamais esqueço. O horror de uma PIDE que fez o que fez e sem condenações jamais esqueço!
    Estes não merecem viver como todos os que são capazes de tais atrocidades, assim como os da Nigéria que por ser um país mais pobre pouco ou nada se fala!
    Quem paga tudo isto? os povos inocentes que se vêm metidos num fogo cruzado e sem hipóteses de escaparem.

    A meu ver tudo isto irá terminar quando todos os muçulmanos se juntarem e os combaterem a sério. Li há dias que já existe um grupo que cresce que já os combate.

    Da existência destes "sem adjectivo" só encontro dois culpados: Um Bush que com sede de vingança fez o que fez no Iraque e que deixou tudo "ao Deus dará" e de uma Europa que se julga imune...e agora a braços com um desemprego nunca visto, na sua esmagadora maioria jovens que na "idade que se julgam donos do mundo e imortais(já passámos por isso" vão em histórias...mas cuja história lhes dará o troco!

    Um horror Pedro, sinceramente não consigo ver qualquer imagem...e seria bom que algo acontecesse e rapidamente para pôr um fim de vez!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Islão não é isto, Fatyly.
      E o Islão começa a demarcar-se destes canalhas.
      Ver a reacção ontem na Jordânia é um claro exemplo disso.

      Eliminar
  11. Gente que não pode ser considerada como tal. O mundo precisa de paz, de boas energias e não de lixo como esse.
    Um grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma escumalha sem igual, do pior que há, Carpe diem.
      Capaz de uma crueldade inimaginável.
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Mau de mais!! Medonho, assustador, mesmo! Inimigos invisíveis que podem atacar a qualquer momento. Mau de mais! (Mas a culpa está muito na decisão que o Bush, o Blair e o lacaio de libré do Barroso tomaram nos Açores há uns anos atrás)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem vale a pena olhar para culpados, que os há, Graça.
      Tem é que se procurar erradicar (confesso que não sei como) este Mal que aí está bem presente

      Eliminar
  13. Já não é um porto seguro, o mundo transformou-se, é arrebatador o que se passa.
    Kis :>}

    ResponderEliminar
  14. Desconfio que o deus deles é o dollar. Alá estará num altar lateral.
    Uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta escumalha não obedece a nada, Agostinho.
      Porcos nojentos :(
      Aquele abraço, votos de boa semana

      Eliminar
  15. ESTAS IDEAS DAN PANICO.
    NO SE SI SON IDEAS .
    MEJOR LOCURA .
    SALUDITOS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completa loucura, Alicia.
      Gostei muito da sua visita.
      Volte sempre.
      Boa semana!

      Eliminar