10 de fevereiro de 2015

Bufos ou heróis?


Hervé Falciani vê o seu nome juntar-se aos dos famosos Julian Assange e Edward Snowden na lista das personalidades que, com as suas revelações, fazem tremer grandes instituições políticas e financeiras a nível mundial.
Heróis para uns, bufos para outros, todos podem pelo menos reclamar para si o mérito de não deixar ninguém indiferente e de consagrar mundialmente a utilização do sufixo leaks.
Na era do acesso imediato à informação, et pour cause, os grandes blocos político-financeiros tendem a criar à sua volta um esquema de protecção, de muros altos e electrificados, que caminham no sentido oposto ao que seria expectável - o do acesso universal e quase irrestrito à informação.
O conceito de segredo de Estado, tradicionalmente entendido como acesso restrito a documentos e informações que possam pôr em causa a segurança de uma comunidade, bem como o conceito de privacidade, entendida como reserva de vida íntima, sofreram uma mutação profunda com o acesso universal e imediato à informação.
Estados e indivíduos ainda não se adaptaram bem a essa mutação, ainda não aprenderam a lidar com novos conceitos nestes domínios, ainda não conseguiram perceber que a transparência deve ser a regra, a opacidade a excepção.
Excepção que, quando exista, deverá obedecer a fundamentos muito precisos, também eles de todos conhecidos.
Falciani, Assange e Snowden são, à face da lei dos países alvo das suas revelações, considerados bufos, criminosos mesmo.
Não serão eles os primeiros rostos de uma nova tendência, de uma nova ordem, que obriga a destruir os muros que já Roger Watters há alguns anos denunciava? 

23 comentários:

  1. Pedro, acabo de "Edward Snowden - Sem Esconderijo", de Glenn Greenwald (jornalista de investigação do The Guardian), um livro relatado na "1ª pessoa" e, meu amigo, aquilo que lá se diz e escreve é aterrador do ponto de vista da democracia e liberdade de expressão.

    Vou agora começar "Os Ficheiros de Snowden" de Luke Harding que comprei, na altura das férias de Verão, mas desde lá está em lista de espera. Meu amigo, se puder ou quiser compre o "Edward Snowden - Sem Esconderijo", de Glenn Greenwald, garanto-lhe que vale a pena ler, só para ver a m#$da que estamos metidos.

    Aquele abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou seguir o conselho, Ricardo.
      Ler é sempre um prazer.
      Ler acerca da realidade que nos cerca, além de ser um prazer é também uma forma de nos mantermos informados.
      Aquele abraço

      Eliminar
  2. Pelo que li, pelo meio pode haver pessoas "ricas" com os impostos em dia. Como é óbvio os bancos protegem os ricos em detrimento dos menos ricos e para que acabasse de uma vez por todas esta novela de "Bufos ou heróis" deveria ser obrigatório por parte dos bancos perguntarem aos países de origem dos seus donos se têm os impostos em dia e se tal quantia foi objecto de...

    Mas disse o que achava, mas se o BdP sabia o "buraco do BES desde 2008" está tudo dito ou seja "eles estão todos envolvidos na mesma caldeirada" e a nós é que nos é imposta, sem dó nem piedade, a factura por termos andado a viver acima das nossas possibilidades...pois é!!!

    Sabes Pedro é tudo tão especulativo, tão bummmmmmmm...neste mundo capitalista, que mesmo averiguados, investigados e ou a aguardar julgamento...o dinheiro continua nas mãos e ou em locais...intocáveis!

    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly,
      Todos temos o direito, a manter uma reserva de vida privada, de vida íntima.
      O que me assusta é quando se passa daí para o segredo acerca de tudo e mais alguma coisa.
      Começa a cheirar a esturro.
      Um abraço

      Eliminar
  3. Para mim, são pessoas decentes que lutam contra os patifes, esses sim, desrespeitadores do Outro ( até somos nós, por acaso) e que não possuem nem ética nem princípios , muito menos valores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos deram a conhecer verdades incómodas e fizeram tremer estruturas julgadas impenetráveis, São.

      Eliminar
  4. Uma boa questão, Pedro ! ...
    Muito sinceramente, para mim, a resposta é muito difícil.
    Dependerá muito do que os mobiliza ! ... Se "interesses" de ordem vária, tipo espionagem ou roubo de informação privilegiada e secreta (que eu também admito nos Estados) é uma coisa, se é simplesmente uma "diversão" do tipo "ai é proibido ? ... Então vou infringir", apenas por "diversão" e teste dos seus "limites", poderá ser outra.
    Lembro-me que em Inglaterra há largos anos, havia instituições cujo propósito era descobrir "furos" nas leis e nas imposições das Finanças, para contornar essas leis e fugir aos impostos ! .... Isto eu acho absolutamente legal.
    Penso o mesmo relativamente aos Serviços de Segurança dum Estado. Se esses Serviços (de Segurança) são vulneráveis (e deixam de ser de Segurança) e se a essa vulnerabilidade se contrapõe uma vontade de a testar sem fins criminosos, se a intenção fosse a de simplesmente a testar, seria uma coisa, mas se o for com intenções criminosas e de "interesses", será outra.
    ...mas como disse o assunto é polémico e terá muitas leituras !

    Abraço, Pedro !
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aí reside o busílis da questão, Rui - perceber qual a intenção que preside a estas revelações sumarentas.
      Se é apenas a vontade de informar e revelar podres, óptimo.
      Se vai para além disso, então temos a face negra da moeda.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. ~ ~ Traidores ou heróis?
    ~ Premiados por uns, condenados por outros...

    ~ Penso que são guerreiros que lutam pelos seus valores éticos: combate à fraude e violação dos direitos fundamentais dos indivíduos.

    ~ Nem os segredos dos bancos da Suíça, nem as trapalhadas bélicas de Bush inspiravam qualquer respeito, a nível mundial.

    ~ ~ ~ Beijinhos. ~ ~ ~
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é o que se chama pôr o dedo na ferida, Majo - as trapalhadas políticas e financeiras e são denunciadas não são merecedoras do mínimo respeito.
      Na mouche!
      Beijinhos

      Eliminar
  6. que são denunciadas, era isso que queria escrever

    ResponderEliminar
  7. Essa é a grande dúvida, se delatam por diferenças de ideais são cidadãos que protegem seu país. Mas será que não eram cúmplices? Hoje em dia é difícil acreditar em homens de mãos limpas na politica, sempre tem o interesse próprio. Aqui somos governados por bandidos. Eles fizeram leis para deixarem aberta as porta das cadeias assim quando forem pra lá podem ter o direito de ir e vir.
    Tenha um ótimo dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma dúvida que não consigo esclarecer, Anajá.
      Tenha um óptimo dia também.

      Eliminar
  8. Gente desta, de que Falciani, Assange e Snowden são apenas três exemplos, deverão ser considerados terroristas e como tal serem tratados.
    Aquele abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se é essa a sua opinião, explique lá porquê, António.
      Ou está a brincar com a malta?
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Entretanto, por cá, o Américo Amorim ao saber que o nome dele constava da lista, respondeu: não é possível eu estar nessa lista!
    Quando o guito é muito, esta malta nem sabe onde coloca o dinheiro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico tão surpreendido por ver o nome do Américo Amorim nessa lista, Carlos!! :))

      Eliminar
  10. Não serão heróis, nem bufos. São pessoas que, de uma maneira ou outra, querem mostrar que o rei vai nu e despertar as consciências adormecidas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se calhar é isso mesmo, Carlos.
      As vozes que gritam que o rei vai nu

      Eliminar
  11. Fui ler um pouco sobre isto, e dá para imaginar o tamanho do arquivo que já devem ter com tantas escutas, vigilâncias, espionagens...
    agora o que parece ser promovido é o Tor, algo que dará para navegar incógnito ?!
    o mundo invisível já será muito maior do que o mundo real
    abraço
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os ficheiros, que agora se armazenam numa porcariazinha que nem se percebe que a pessoa transporta devem ser tantos e ter cá uma extesão, Angela!!!
      Um abraço

      Eliminar
  12. Estou longe de os considerar bufos,mas também não me parecem heróis - embora a forma como têm resistido às "vendettas", principalmente dos States, seja uma forma de heroismo.

    O que eu considero que fizeram é chamar a atenção para que as novas tecnologias estão aí e se eles conseguiram desvendar esses top secrets outros o farão. São os estados, países e governantes que têm de se adaptar ou tornar as suas negociações e investigações mais transparentes... :)

    Beijocas..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na mouche, Teté!
      Os Estados e os indivíduos ainda não perceberam que têm que se adaptar a essa nova realidade.
      Não vale a pena lutar contra moinhos de vento, de nada adianta o espírito quixotesco.
      Há que tomar consciência dessa nova realidade e adaptar-se à mesma.
      Beijocas

      Eliminar