29 de dezembro de 2014

Alentejana loira


Três amigas alentejanas estavam na conversa, quando uma delas comenta com a outra sobre as suas relações sexuais com o marido:
-Nunca te aconteceu, quando fazes amor com o Carlos, tocares nos tomates dele e estarem frios?
A outra responde:
-Sim, sempre que nós fazemos amor eu percebo que estão frios.
-E tu, quando o fazes com o Rafael?
-Sim, estão sempre frios! Responde a outra.
Nisto, diz a alentejana loira:
-Bom, nunca reparei nesse detalhe mas, esta noite, quando tiver com o Maneli, vou tocá-los para ver.
-Está bem, então amanhã contas como foi! Dizem as outras.
No dia seguinte, a alentejana loira aparece toda cheia de hematomas, os olhos roxos e sem alguns dentes.
As amigas ficaram surpreendidas, perguntaram o que lhe aconteceu e a outra responde muito nervosa:
-A culpa é toda vossa!!!
-Mas porquê? Perguntam as amigas.
-Porque, quando toquei nos tomates do Maneli, disse:
-"Ai Maneli, porque é que tu não tens os tomates frios como os do Carlos e os do Rafaeli?"

14 comentários:

  1. ~ Tadinha... Uma aberração... Loirita...

    ~ ~ ~ Dias muito felizes. ~ ~ ~

    ResponderEliminar
  2. Talvez tivesso havido entre eles um mal-entendido…

    ResponderEliminar
  3. No que dão as conversas de mulheris ! ahahah ... e se com louras burras dá para o torto ! :)))

    Abraço !
    .

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. As segundas e sextas, papoila.
      Risota garantida com a colaboração dos amigos

      Eliminar
  5. Porque será que era loira? Provavelmente não soube tirar a temperatura.
    Ó Pedro, não será um caso de violência doméstica?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem me fale em violência doméstica, Agostinho.
      Já nem vou escrever sobre isso, bater mais no ceguinho
      Afinal, aqui por estas bandas, o crime vai ser público.
      Mas só se as consequências forem graves.
      Um amoroso murro, uma adorável chapada, um carinhoso pontapé, desde que não produzam resultados graves (não produzem resultados graves???!!!), não são considerados crime público.

      Eliminar