3 de setembro de 2013

Especificidades de Macau - Composição da Comissão de Avaliação das Remunerações dos Trabalhadores da Função Pública


Pouco tempo depois de ter chegado a Macau, já lá vão quase 18 anos, avisaram-me que não era de bom tom fazer referência às especificidades de Macau.
A verdade é que, à semelhança das bruxas em Espanha, que las hay, las hay.
E umas mais específicas que outras.
Bem específica é, por exemplo, a existência de uma Comissão de Avaliação das Remunerações dos Trabalhadores da Função Pública (é melhor falar simplesmente em Comissão...).
Compreendo que o Executivo queira auscultar opiniões de vários sectores da sociedade antes de tomar uma decisão relativamente às actualizações salariais dos funcionários públicos.
Mas, em bom rigor, e aí está uma grande especificidade de Macau, bem específica sublinhe-se, fica a sensação que quem realmente toma a decisão acerca do quanto e do quando no que toca aos aumentos salariais do funcionalismo público é esta Comissão e não o Executivo.
Algo tanto mais bizarro quanto, ao olhar para a composição da Comissão, sobretudo após a sua remodelação, se constata que o elemento decisivo na mesma é a poderosíssima Associação Comercial de Macau.
A mesma que viu o seu peso aumentar dentro da Comissão, ao passo que os representantes da Função Pública viram a sua influência e o seu peso reduzidos. 
Querem especificidade mais específica que esta?

12 comentários:

  1. Aí ainda existe essa coisa estranhíssima e, quanto a mim ( que não conheço o sistema), completamente despropositada.

    Aqui a coligação PSD/CDS quer despedir milhares de funcionários públicos e chama-lhe requalificação. Além de designar os cortes nas pensões com efeitos retractivos,nos ordenados , mas universidades , nos hospitais e por aí fora poupanças.

    E Passos faz um ataque violentíssimo, depois de o ter pressionado, ao Tribunal Constitucional porque já por três vezes declarou inconstitucionais diplomas enviados para apreciação- alguns por Cavaco.

    Para este Governo a regra: quem tem culpa não é o infractor da lei , é quem a fz cumprir!!

    Haja DEus!!!

    Tenha excelente dia, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São,
      Uma das piores coisa que me podem fazer é fazerem de mim estúpido, é pedirem que ignore o elefante na loja de cristais.
      Já há muito que se percebia para raio era esta aberração - se aumentam os salários dos funcionários públicos, os trabalhadores das empresas privadas também querem aumentos na mesma proporção.
      Meter a raposa no galinheiro foi o que se fez ao aumentar o número dos representantes do patronato numa Comissão que delibera salários da função pública.
      Não é só aí em Portugal que os funcionários públicos são, SEMPRE!!!, os maus da fita.
      Um excelente dia para si também, São.

      Eliminar
  2. Qualquer dia os estaminés da FP ficam às moscas por falta de candidatos!

    Abraço, Pedro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Função Pública era, por tradição, o sector que empregava mais pessoas em Macau, Ricardo.
      Já não é.
      Agora são os casinos.
      Porque pagam muito melhor.
      Se era isso que se pretendia, parabéns!
      Aquele abraço!!

      Eliminar
  3. Ainda assim, há muitas regalias na função pública. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas eu não digo o contrário, FireHead.
      Sendo eu, como assumidamente sou, conservador, sinto-me muito bem com a minha situação profissional.
      O que não impede que aponte a dedo o que considero disparatado. Como é manifestamente o caso.

      Eliminar
  4. Lamentáveis os jogos políticos.
    Boa tarde, Pedro.
    Um beijinho. :))

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. ana,
      Tudo uma questão de $$$$$$
      De quem tem MUUUUUUITO mas nunca está satisfeito.
      Beijinho :))

      Eliminar
  5. Uma especificidade no mínimo estranha. E não há sindicatos que representem os trabalhadores da função pública? É que se essa Associação Comercial de Macau for como algumas associações patronais portuguesas, não se augura nada de bom para os funcionários... ;)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há sindicatos, ponto final, Teté.
      Há associações representativas dos funcionários públicos que são pigmeus quando comparadas com o gigante que é a Associação Comercial de Macau.
      Beijocas!

      Eliminar
  6. Não me parece que seja assim tão específico... oPedro é que já deve estar esquecido das especificidades desta terrinha à beira mar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem comparo, Carlos!!
      Este mandarinato que aqui vai prosperando, põe e dispõe a seu belo prazer.

      Eliminar