18 de dezembro de 2018

Tem a certeza? (Miguel Esteves Cardoso)



A quantidade ideal de referendos é zero e dois. Deveria ser proibido realizar só um referendo. As pessoas têm o direito de se enganar e o direito de mudar de opinião.
Veja-se o referendo no Reino Unido. Agora até há brexiteiros (como Nigel Farage) que preferem um re-referendo ao acordo que Theresa May negociou com a União Europeia.
O problema é que um segundo referendo mostra desconsideração pelos eleitores que ganharam o primeiro.
A solução é o segundo referendo limitar-se a uma única pergunta: “Tem a certeza?” As pessoas limitar-se-iam a responder sim ou não.
Teria de haver uma triagem simples. Em cada centro eleitoral haveria três mesas de voto: uma para os que votaram sim, uma para os que votaram não e a terceira para quem não se lembra, não sabe ou não quer votar como deve ser.
Bastaria então fazer as contas para saber como é que as coisas evoluíram. Há muita gente arrependida por ter votado para o Reino Unido sair da União Europeia? E para permanecer?
As diferenças seriam somadas ou subtraídas aos resultados de 2016, aparecendo como uma mera correcção do primeiro referendo.
A partir de 2019 haveria sempre um par de referendos para cada questão: o primeiro sobre a questão em si e o segundo só para confirmar ou corrigir o resultado.
Isto teria a vantagem de encorajar a abstenção porque a natureza humana inclina-se para faltar ao primeiro referendo e consolar-se que se vingaria no segundo.
Se o povo continuasse a votar mal pensar-se-ia num terceiro referendo para apurar se tinha mesmo a certeza?

32 comentários:

  1. A análise do Miguel Esteves Cardoso encerra uma ironia fina, mas não só, o povo não vai votar até os políticos ficarem satisfeitos, coisa difícil ou mesmo impossível.
    Claro está, que este procedimento não se refere apenas ao Brexit e aos britânicos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O MEC sempre teve essa grande qualidade, Teresa - aliar uma análise sociológica excelente a um sentido de humor refinado.

      Eliminar
  2. O humor do Miguel Esteves Cardoso num caso que ainda vai dar muito que falar e onde reina a incerteza absoluta.
    Aproveito para desejar um Santo e Feliz Natal.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O MEC continua a ser uma leitura obrigatória, Francisco.
      Aquele abraço, votos de Santo Natal

      Eliminar
  3. Referendos e mais referendos....e ninguém se entende...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  4. Por exemplo, em Portugal fazem-se tantos referendos quanto os necessários até darem o resultado pretendido por quem os propõe...

    ResponderEliminar
  5. Pois... Gostei de ler:)) Os referendo servem sempre alguma coisa kkk

    Bjos
    Votos de uma óptima terça-feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quanto mais não seja para legitimar uma decisão há muito tomada, Larissa Santos.
      Bjs

      Eliminar
  6. O milagre natalino está no desejo de cada um de ser feliz. Milagres existem sim, principalmente com tamanha benção de Deus, muitas glorias, conquistas e emoções podem ser realizadas, pois o Natal está chegando! Faça seus desejos e acredite em todos eles. Que nossos corações sejam sempre a morada do bem e que seu Natal seja um verdadeiro milagre ao lado das pessoas que ama.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Votos de um Santo Natal junto daqueles que lhe são mais queridos, Cláudia Forte.

      Eliminar
  7. Depois do sufoco que passamos na ultima eleição, quero passar longe do assunto. Entretanto é importante saber o que o povo quer.
    Quero desejar a ti e tua família um feliz natal e um novo ano cheio de alegrias e felicidades.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Votos de um Santo Natal junto dos que lhe são mais queridos, Anajá.

      Eliminar
  8. Vamos viver de referendos!?

    Beijos e uma excelente tarde.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se for por vontade do MEC será esse o cenário, Cidália Ferreira.
      Beijos

      Eliminar
  9. Visitando, lendo e escrevendo:- É um Senhor com um sentido de humor refinado e, para mim, louvável e saudável.
    --
    » » O " Encanto " e o " Desencanto " ( NATAL ) « «
    --
    FELIZ NATAL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sentido de humor e capacidade de análise sociológica, Nataline.
      Votos de um Santo Natal.

      Eliminar
  10. Claro que o MEC não está a "falar a sério". Pura ironia.
    Não faria qualquer sentido, mas +e sim, uma crítica aqueles que mudam facilmente de opinião, sem medir as consequências da escolha que fizeram previamente ! :)))

    Abraço E Feliz Natal :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fino sentido de humor, Rui.
      A apanhar os cataventos em cheio.
      Votos de um santo Natal junto daqueles que lhe são mais queridos

      Eliminar
  11. O sentido de humor de MEC continua apurado...


    Santa Natal para si e família, Pedro !

    ResponderEliminar
  12. O populismo que leva aos referendos leva muita gente a votar sem pensar. Depois surgem os arrependimentos.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E aparece um MEC a dar a solução, Elvira Carvalho.
      Abraço

      Eliminar
  13. A Theresa May é pessoa para levar o MEC a sério!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Theresa May não acredito que não quer perder face, Magui.
      Já outros...

      Eliminar
  14. A questão é interessante porque pode-se concordar com o conceito mas discordar da implementação. Parece ser o caso. A realidade está a demonstrar a dificuldade de pôr em prática a teoria.

    ResponderEliminar
  15. E isso não seriam referendos a mais? ;)

    ResponderEliminar