27 de setembro de 2016

Não há recibos p'ra ninguém


Mário Mata celebrizou o que na altura foi um hino entre a juventude - Não Há Nada P'ra Ninguém.
Em Macau ainda haverá quem se lembre do poema e da melodia e quem insista em levar à prática, nas mais dispares actividades, variações desse poema tão simples e tão directo.
É o caso de quem insiste em não entregar recibo de pagamento, que seria prova de pagamento, aos utilizadores de parquímetros.
Agora que vão ser substituídos onze mil parquímetros nas vias públicas, que vão ser introduzidos parquímetros muito modernaços, capazes de aceitar pagamento electrónico e de dar troco aos utilizadores, nem uma única palavra acerca do que deveria ser preocupação  óbvia - a entrega de um recibo de pagamento ao utilizador (do aumento ou não de preços também não se falou publicamente...).
Não me venham dizer que não há capacidade técnica para introduzir nestes novos parquímetros a possibilidade de imprimir um recibo comprovativo do pagamento efectuado como acontece um pouco por toda a parte onde existem parquímetros.
Não percebo que possa haver outra explicação que não seja pura teimosia no intuito de não haver lugar à tão famosa perda de face.
Se houver, e eu estiver enganado e a ser injusto, espero que os Serviços competentes a dêem a conhecer. 

30 comentários:

  1. Respostas
    1. E, para ser simpático, de duvidosa legalidade, Catarina

      Eliminar
  2. Estou aqui a pensar que não costumo ficar com recibo de parquímetros e por isso nem faço ideia como funcionam os de cá nesse particular. Da próxima vez vou tentar perceber.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em Portugal o ticket que é colocado no vidro funciona como comprovativo, luisa

      Eliminar
  3. Pois, realmente é estranho.
    Votos de um bom dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estranho é o mínimo que se pode dizer, Elisabete.
      Votos de um bom dia também

      Eliminar
  4. Como diria alguém, elementar meu caro Pedro, quem paga tem direito a um recibo.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devia ter, não devia, Francisco?
      Explique isso aqui a estas luminárias.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. O segredo é alma do negócio, Pedro.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Neste caso da caça à multa, Ricardo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Ora, hoje, devaneamos sobre parquímetros em Macau.

    Que aberração! Dar recibo deveria ser a fase um, o básico, o normal, o lógico. A "gente" dispensa as outras modernices.

    Enfim, vá lá uma pessoa perceber o k se passa na cabeça de algumas pessoas!

    Beijos, Pedro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é que não dá mesmo para perceber, CÉU, não é racional.
      Beijos

      Eliminar
  7. O próprio ticket poderia servir de recibo..
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há ticket, Chic'Ana.
      Só o tempo que resta no visor do parquímetro.
      Se houvesse ticket....
      Beijinhos

      Eliminar
  8. A sua indignação é justíssima, Pedro.
    Ótima semana.
    Beijinho.
    ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já várias vezes repetida, Majo.
      E não só por mim.
      Orelhas moucas....
      Beijinhos

      Eliminar
  9. A emissão de um documento comprovativo de pagamento não é obrigatório?
    O que o Pedro descreve é, tão só, mais uma coisa que me faz franzir a testa.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devia ser, não é, António?
      Como é que eu provo que paguei num diferendo com as autoridades policiais?
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Não entregam os recibos?! mas isso é totalmente surrealista !!!

    Se houver um diferendo como é que o utente prova o pagamento?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa pergunta, São.
      Infelizmente não tenho a resposta.

      Eliminar
  11. É a evolução da tecnologia. A modernização pelo mundo.
    Quem paga, quer o comprovante de pagamento, ou seja o recibo.
    Daqui a pouco até o dim-dim vai ser digital.
    Abraço Pedro. Ótimo dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem paga quer e tem o direito ao comprovativo do pagamento efectuado, Smareis.
      Excepto nos parquímetros de Macau...
      Um abraço, tenha um óptimo dia também

      Eliminar
  12. O recibo é uma coisa essencial. Onde está a prova do pagamento?
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, essa é a minha pergunta também, Carpe Diem.
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. Não entregam recibos? E como é que as pessoas provam que pagaram?
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto, Elvira Carvalho. Se houver um diferendo com as autoridades policiais como é que vou provar que efectuei o pagamento devido?
      Um abraço

      Eliminar
  14. Então como se prova que se pagou o estacionamento?! Chinesices... só pode!

    Beijinho, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é que são chinesices mesmo, Graça.
      Fizeram cagada quando instalaram os parquímetros sem comprovativo de pagamento.
      E, para não perderem face, essa coisa tão chinesa, não admitem esse erro.
      E não há quem os obrigue a admitir.
      Mesmo quando os parquímetros vão ser substituídos.
      Beijinhos

      Eliminar
  15. Bolas!
    E nós queixámo-nos.
    Obrigada pela visita diária ao meu cantinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em Portugal há o ticket que é colocado no vidro, cantinhodacasa.
      Que prova o pagamento efectuado.

      Eliminar