7 de outubro de 2014

A falta que uma mãe faz na vida de uma criança

Se ficarem com os olhos humedecidos, ou verterem uma lágrima, não se preocupem, é normal.

16 comentários:

  1. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    Fiquei tão enternecido ao assistir este vídeo que meus outonais olhos ficaram marejados.
    Caloroso abraço! Saudações maternais!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perfeitamente normal, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Verdadeiramente emocionante
      Grande abraço

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Dá um aperto no coração, ana!
      Nenhuma criança devia passar por um processo semelhante, não é justo.
      Beijinho

      Eliminar
  3. Um filme que passa a mensagem de forma marcante. Muito bom.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito simples, mas de uma força incrível, luisa

      Eliminar
  4. O irónico é quando há tantos casais a querer adoptar uma criança e as instituições não deixam!
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma ironia trágica, Miú Segunda :(
      Um abraço

      Eliminar
  5. Fiquei com os olhos humedecidos e a querer ir dar colo àquele menino.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu fiquei com vontade de lhe dar um grande beijinho, Gábi.
      Bem haja por ser como é

      Eliminar
  6. Eu não fiquei com os olhos humedecidos mas chorei que me fartei por lembranças passadas. Ai Pedro como dói...pequenitos e pequenitas orfãos de guerra a quem tantas vezes dei colo. Um das várias gavetas cerebrais que me custa tanto abrir.

    E quando vou às festinhas da escola das netas, no dia da mãe e ou do avós, há sempre 3/4/5 que como os seus não puderam ir, vinham ter comigo se eu podia fazer o papel dos ausentes. Claro que sim. Quase todos com os pais, quase todos com 4 avós e eu sozinha com as minhas e com eles a treparem por mim acima:):):)

    Já visitei algumas instituições...é tudo tão gélido, olhares tão tristes e não consigo atinar com a burocracia dantesca na adopção de uma criança por parte dos portugueses do que por estrangeiros que cá vêm. Não entendo e não aceito!

    A D O R E I

    Beijocas

    ResponderEliminar
  7. Fatyly,
    Só há uma maneira de responder ao seu comenta'rio.
    À semelhança do que tinha respondido à Gábi, bem haja por ser quem é.
    Beijocas das grandes

    ResponderEliminar

  8. Que dizer? Nada. Fazer, sim, tudo o que se puder.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho amigos que adoptaram crianças.
      Aqui é aí em Portugal.
      A felicidade de todos deixa-nos também felizes.

      Eliminar