12 de junho de 2014

E QUEM SOU EU?


Nesta altura da vida já não sei mais quem sou. 
Vejam só que dilema!!! 
Na ficha da loja sou CLIENTE, no restaurante FREGUÊS, quando alugo uma casa INQUILINO, na condução PASSAGEIRO, nos correios REMETENTE, no supermercado CONSUMIDOR. 
Para a Receita Federal CONTRIBUINTE, se vendo algo importado sou CONTRABANDISTA. Se revendo algo, sou MUAMBEIRO, se o carnê tá com o prazo vencido INADIMPLENTE, se não pago imposto SONEGADOR. Para votar ELEITOR, mas em comícios sou MASSA . Em viagens TURISTA , na rua PEDESTRE, se sou atropelado ACIDENTADO e no hospital viro PACIENTE. Nos jornais sou VÍTIMA, se compro um livro LEITOR, se ouço rádio OUVINTE.Para o Ibope sou ESPECTADOR, para apresentador de televisão TELESPECTADOR, no campo de futebol TORCEDOR. 
Se sou botafoguense, SOFREDOR. Agora, já virei GALERA. (se trabalho na ANATEL , sou COLABORADOR) e, quando morrer uns dirão FINADO, outros DEFUNTO, para outros EXTINTO, para o povão PRESUNTO. Em certos círculos espiritualistas serei DESENCARNADO, evangélicos dirão que fui ARREBATADO.
E o pior de tudo é que para todo governante sou apenas um IMBECIL !!! 
E pensar que um dia já fui mais EU. 

Luiz Fernando Veríssimo

9 comentários:

  1. Muito papel se desempenha no teatro da vida! Poxa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E todos em simultâneo, Agostinho.
      Mais um brilhante artigo do Veríssimo

      Eliminar
  2. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    A lambisgoia da Agrado, aquela mexeriqueira mor que tudo sabe e tudo vê, é atrevida mesmo, porque ousou acrescentar a lista dos papéis que desempenhamos na sociedade, brilhantemente elencados pelo nobilíssimo escritor Luiz Fernando Veríssimo, na supimpa cronica que nos brindou, o de:
    - infrator, se sou multado.
    - cafajeste, se chamo uma beldade de gostosa.
    - otário ou ingênuo, se caio na lábia de um vigarista.
    - tolo, se acredito nas promessas em época de campanha eleitoral de políticos sacripantas.
    Esta mexeriqueira mor é atrevida mesmo. Onde já se viu ousar bulir na crônica supimpa do sapiente Veríssimo?!...
    Caloroso abraço! Saudações atrevidas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo João Paulo de Oliveira,
      A crônica do Veríssimo já era excepcional.
      Com este comentário, ainda ficou mais enriquecida.
      Cinco estrelas!!! :))
      Grande abraço!

      Eliminar
    2. Crónica, era crónica que queria escrever.

      Eliminar
  3. Caro Amigo Pedro Coimbra!
    É isto que dá ter amigos brasileiros, porque de repente - num vacilo - começa até a escrever do modo brasileiro!
    Outro dia ocorreu o mesmo comigo, porque escrevi a palavra ator do modo vigente no reino distante além-mar: actor.
    Caloroso abraço! Saudações linguísticas!
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A convivência, e o Ipad, têm destas coisas, Amigo João Paulo de Oliveira :)))

      Eliminar
  4. Não há dúvida que o ser humano o "EU" é multifacetado, segundo o ângulo por que é visto ! rsrsrs ... Nós somos tudo e mais alguma coisa que ainda ficou por dizer, seguramente ! Afinal somos IMPORTANTES, mas afinal, eu sou apenas "EU" ! :)))

    Abraço, Pedro ! :)))
    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o Veríssimo, excelente a analisar todas essas vertentes, oferece-nos estas pérolas, Rui.
      Aquele abraço

      Eliminar