7 de maio de 2014

Um Porto muito diferente do habitual


Esta está a ser uma época em tudo atípica no futebol do FC Porto.
Depois de uma época desportiva absolutamente desastrosa, e na sequência do adensar de rumores (fugas de informação? propositadas, ou não?) na imprensa desportiva, Pinto da Costa fez algo que julgo nunca tinha feito - apresentar um novo treinador antes do final da época.
Mais, apostar numa duração do vínculo contratual (três anos) absolutamente invulgar no FC Porto.
Um vínculo contratual cuja duração inclusivamente ultrapassa o termo do mandato de Pinto da Costa enquanto presidente do clube.
O nome escolhido, Julen Lopetegui, insere-se na lógica que vinha sendo seguida desde Mourinho.
Um treinador jovem, com ambição, sem currículo a nível do comando de grandes equipas.
Deu resultado com Mourinho e Villas-Boas, até com Vítor Pereira, apesar de este nunca ter sido bem aceite pelos adeptos; deu barraca com outros, o último dos quais Paulo Fonseca.
Julen Lopetegui chega ao Porto com uma herança dúplice - muito simples e muito complicada.
Muito simples porque recebe uma equipa que vem de uma época absolutamente deprimente e, por via disso, não sentirá o peso de suceder a um treinador ganhador.
Muito complicada pelos mesmos motivos, isto é, porque recebe uma equipa que vem de uma época absolutamente deprimente e lhe vão ser exigidos resultados imediatos.
Uma aposta arriscada de Pinto da Costa e do próprio treinador.
Essa é uma das únicas certezas para já.
Porque, como em todas as apostas arriscadas, há que esperar para ver qual será o resultado.

18 comentários:

  1. ~ ~ Venham melhores dias para o "teu" Porto!

    ~ ~ Melhoraste?

    ~ ~ ~ Beijinhos.~ ~ ~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dá vontade de dizer que para pior já basta assim, Majo :(

      Já falo quase normalmente.
      Para quem esteve quase afónico, não é mau de todo.

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Nem no Porto já nada é como era! :)

    Abraço de moura

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero ir lá verificar in loco em Junho, Rosa dos Ventos.
      Abraço de conimbricense :)

      Eliminar
  3. Parece-me que o presidente quis marcar um tempo novo com um treinador estrangeiro. Se as Antas se fecharem de novo e o PC "cantar" grosso novamente(?)... o que não faz desde há muito tempo. Terá medo de linhas que estão embrulhadas há muito?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A última experiência com um treinador espanhol no Porto (Fernandez) foi um desastre, Agostinho.
      Acho que a ideia do sacana do Pinto da Costa foi desviar a tenção da final da Taça da Liga na qual ele tinha prometido que o Porto estaria.
      A ser assim, o que é que ele vai inventar para as outras duas finais do Benfica?

      Eliminar
  4. Aguardemos, Pedro, porém, gostaria que Lopetegui mantive-se a mesma linha de Paulo Fonseca!!! :D :D :D

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo,
      A última experiência com um treinador espanhol (Fernandez) deu uma barracada de todo o tamanho.
      O Manuel Serrão, ontem, antes de de ser anunciado oficialmente o treinador, e face aos rumores que já corriam, dizia que o Lopetegui fazia sentido para o Porto B.
      E que não acreditava que fosse verdade que o Pinto da Costa fosse apostar nele.
      Dá vontade de dizer - surprise!! :)))
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Enfim...

    Mudam-se os tempos, mudam-se ....os comportamentos, rrss

    Tudo de bom, Pedro

    ResponderEliminar
  6. Depois de uma época para esquecer, eis que Pinto da Costa resolve fazer uma jogada nada usual. Anunciar um treinador antes do final de época, como o Pedro referiu.
    Mais do que outra coisa, fica-me a sensação que o dirigente portista, de tão fustigado pelos resultados negativos nas várias frentes, está a agir de forma quase desesperada.
    Só assim se compreende esta contratação.
    Pinto da Costa sempre habituou os adeptos a um treinador ganhador. 'Perdeu o gás', primeiro com Vítor Pereira e logo a seguir com Paulo Fonseca.
    De Luis Castro não vale a pena falar porque, desde logo se soube que estava a prazo.
    Outra situação nada habitual é a constituição da equipa técnica. De uma exigente e correcta postura no sentido de que nessas equipas, os adjuntos, preparadores físicos e outros, teriam que ser portugueses e ligados ao clube. Qualquer que fosse o treinador.
    Com esta contratação a equipa técnica apenas vai ter um português: Rui Barros.
    Mais uma cedência ou, apenas, o tal sentido de abdicar em favor da desorientação presidencial?

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António,
      Se percebo bem a intenção do Pinto da Costa, a ideia foi tomar conta do espaço noticioso (os tais cinco minutos de fama) para desviar a tenção das finais que o Benfica vai jogar (parabéns pela vitória na Taça da Liga).
      Aprendeu com o Mercelo Rebelo de Sousa.
      E criou um facto.
      Não político, mas desportivo.
      O que é que vale o fulano?
      Não faço a mais pequena ideia.
      A constituição da equipa técnica já não me surpreende assim tanto.
      São os homens de confiança do treinador e um homem da casa.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Aposta de risco, este tiro no escuro. Mas como eu também já disse o mesmo de Villas Boas, o melhor é esperar para ver..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Carlos,
      Repito o que escrevi - como em todas as apostas de risco, há que esperar para ver no que é que dão.

      Eliminar
  8. Certeza, certeza, é que gostei mais do post dos cães e respetivos donos, que estes de bola prefiro nem comentar... :)

    Beijocas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho um para publicar hoje que sei que lhe vai agradar muito, Teté
      Beijocas

      Eliminar