Tirar uma coelha da cartola


Segue sonolenta a campanha presidencial nos Estados Unidos da América.
Sem debates, sem emoção, a campanha presidencial tem-se resumido a uma prolongada ausência de Joe Biden e a um desfile de disparates de Donald Trump.
Uma sensaboria que agora conhece um forte abanão com a escolha de Kamala Harris para possível vice-presidente na eventualidade de Joe Biden ganhar as eleições.
Mulher, negra, controversa, Kamala Harris já começou a ganhar.
O elemento surpresa, novidade, juventude quando comparada com Biden, Kamala Harris representa também a construção de pontes e a superação de divergências dentro do partido Democrata.
Um sinal importante para o país, preocupado em construir muros na era Trump, e para o Mundo.
Num momento complicado, que a pandemia ainda veio acentuar, o Mundo precisa de diálogo, de busca de consensos.
A escolha de Kamala Harris, adversária de Joe Biden na campanha de nomeação dentro do Partido Democrata, simboliza isso mesmo.
Pode-se mesmo dizer que a máquina eleitoral da campanha Biden tirou uma coelha da cartola. 

Comentários

  1. Uma mulher, de cor, inteligente , extremamente simpática que capta a nossa atenção. Sente-se que existe química entre os dois.
    Gostei da escolha de Biden.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Indubitavelmente dá outra dinâmica à campanha e à própria candidatura de Biden.

      Eliminar
    2. Essa afrodescendente ou afro-americana, como queiram,
      faz parte dos 12 ou 13% do eleitorado que vai definir,
      com certeza, os caminhos da próxima eleição. Quem viver
      verá.
      Catarina e Pedro, beijos.

      Eliminar
    3. Nascida na América, esta senhora tem dois “rótulos”: afro-americana e sul-asiática. Mãe nascida na Índia e pai, na Jamaica.
      Por enquanto é tudo um mar-de-rosas, mas quando os nojentos e corruptos republicanos começarem a atacar, vão tentar “descobrir” as coisas mais mesquinhas para denegrirem a sua reputação.

      Eliminar
  2. Acho o Biden um pouco frouxo, penso que a escolha de Kamala foi uma decisão acertada.
    Agora fora do contexto, acho que as mulheres que têm lugares de poder, estão a ter um lugar de destaque nos destinos do mundo.

    Beijos Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Kamala Harris é o tempero para o insonso Biden, Manu.
      Mulheres no poder?
      Nova Zelândia, Alemanha, Croácia...só bons exemplos.
      Beijos

      Eliminar
  3. Penso que foi uma escolha inteligente em todos os sentidos.

    ESpero que consigam tirar mesmo Trump da Casa Branca.

    Bom resto de semana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tudo o que seja capaz de dar cabo da ave loira tem o meu aval, São.
      Bom resto de semana

      Eliminar
  4. Uma boa escolha e oxalá que os norte americanos abram os olhos e que retirem Trump de uma vez por todas.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se depois da tragédia que tem sido o combata à Covid continuarem a apoiar Trump não têm mesmo salvação, Fatyly.
      Beijos

      Eliminar
  5. A máquina democrata no seu melhor.
    Joe Biden vai a jogo e já conta com um trunfo de peso.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que seja mesmo o ás de trunfo, António.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Para deixar um abraço, Pedro Coimbra.
    E que espero que o Trump suma depressa !

    ResponderEliminar
  7. Bom dia:- Não me sinto com conhecimento suficiente sobre esta nomeação e por isso não opino.
    .
    Abraço de amizade

    ResponderEliminar
  8. A campanha podia estar sonolenta e amorfa, no exterior, mas palpitante nos bastidores.
    Agora viu-se!... E agora, Trump? Já foste?

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Trump já reagiu.
      Chamou-lhe extremamente desagradável e na mesma frase chamou Pocahontas a Elisabeth Warren.
      O loiro no seu melhor.
      Beijinhos

      Eliminar
  9. O covid tem deixado muita coisa na sombra. E isso não é nada bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A campanha eleitoral em bom rigor não existe.
      Vai dando para Trump dar uns tiros nos pés.

      Eliminar
  10. Uma boa escolha que penso ira dar a Biden uma ajuda.

    ResponderEliminar
  11. Kamala Harris foi a mais dura opositora de Joe Biden nas Primárias do Partido Democrata, devido a questões raciais, portanto, não compreendo que essa coelha saia da cartola.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por isso mesmo, Teresa, reconciliação, pacificação.
      Até nisso é uma escolha feliz.

      Eliminar
  12. Oxalá a conjugação de ambos consiga que Trump não seja reeleito. O homem não vale como pessoa e a consequência mais directa é ser mau presidente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O estupor é mau em tudo, bea.
      E mesmo assim continua a ter uma legião de indefectíveis.

      Eliminar
  13. Faz falta alguém que abane as águas. Trump deve sair penalizado nestas eleições pela ligeireza que assumiu. Acho que a única forma de se reeleito é des cobrir a vacina e apresentar-se como o "salvador", mas o tempo passa e nada.

    ResponderEliminar
  14. Ela "bateu-lhe" e ele para a conter ofereceu-lhe o lugar...
    O que importa é que o Trump não vença, mesmo que por magia faça aparecer uma vacina.
    Beijo.

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares