Macau reabre para a semana dourada


Economicamente Macau não diverge muito relativamente ao resto do Mundo no que aos efeitos da pandemia do Covid-19 diz respeito. 
O impacto na economia tem sido brutal e levou mesmo a um encerramento total da principal fonte de receitas do território.
Pouco a pouco, não me canso de sublinhar que as revoluções nestas paragens têm sempre resultados catastróficos, Macau começa a viver com o Covid e não para além do Covid.
Quando surgem notícias difusas de vitórias na corrida à vacina, a China começa a aligeirar medidas de restrição de movimentos de pessoas dentro das suas fronteiras.
E Macau, tão dependente dos fluxos de turistas que chegam do interior da China, agradece. 
Devagarinho, apalpando terreno à medida que se avança, as fronteiras vão-se abrindo e o pulsar da cidade e da economia começa a sentir-se.
O Chefe do Executivo, nada dado a grandiloquência, vai avisando que vai demorar algum tempo até que se possa atingir um nível de recitas minimamente semelhante ao que acontecia antes da pandemia. 
Simbolicamente, que o simbolismo também é muito importante a Oriente, pode-se dizer que Macau reabre para a semana dourada.
Se a semana for mesmo dourada, em receitas do Jogo e no combate à pandemia, é expectável que novas províncias venham a ser contempladas com o tão ansiado visto individual e que entremos numa nova etapa de vida em Macau. 

Comentários

  1. Oxalá as coisas melhorem. Como parece que o vírus não desaparece sozinho, e não se sabe quando chegará a bendita vacina, temos que aprender a viver dentro da maior normalidade possível, usando de todos os cuidados para não nos cruzarmos com ele.
    Abraço e saúde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece cada vez mais evidente que tem que ser assim, Elvira.
      Abraço e saúde

      Eliminar
  2. Deus queira que quer aí como cá a vida comece a voltar à normalidade possível, sempre com as devidas cautelas.

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Continuamos sem casos, já nem sei há quantos dias.
      Mas é natural que agora, com a abertura gradual das fronteiras, apareçam alguns.
      Beijos

      Eliminar
    2. Fico muito feliz com a volta de Portugal
      ao normal ou quase normal e até o
      invejo, confesso. Parabéns a quem saiu dessa
      e os meus sentimentos ao familiares dos que
      foram vencido por esse mal.

      Eliminar
    3. Macau, silvioafonso, Macau.
      Portugal já reabriu há muito tempo.

      Eliminar
  3. Devagar, devagarinho, tudo vai voltar à normalidade.
    Por aqui também é assim.
    Os cuidados a ter são sempre a maior prioridade.

    Beijos Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um novo normal, Manu.
      Não vai ser como antes da pandemia.
      Beijos

      Eliminar
  4. Pedro, você tem u'a amiga que publica
    as bobagens que escrevi no ventre da
    minha mãe ou seja; nada que diga coisa
    nenhuma. Era quando eu vivia dando
    coices no verbo e chifrava a gramática.
    Gente, quanto carinho. Essa pessoa faz
    tudo para agradar seus amigos, mesmo
    que o ponha em situação como essa.
    Enfim, Pedro, acho que o amor perdoa.
    (Estou como um pai justificando a vidraça
    que o filho quebrou)
    Um abraço, meu amigo.

    ResponderEliminar
  5. Que tudo seja dourado, prateado ou anilado, ams que corra muitissimo bem !!

    Tudo de bom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Encaro este soft opening como uma experiência, São.
      Se der resultados, económico e sanitário, outros se seguirão.

      Eliminar
  6. Esperemos que tudo melhore rápidamente!
    Isabel Sá  
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  7. Devagar se vai ao longe. Com cautela para não se tropeçar nos obstáculos que, porventura, se encontrarem pelo caminho. Como o bicho tarda em ir embora. Teremos que enfrentá-lo, para o que é dourado, dourado continuar a ser. Em Macau ou em qualquer outra parte do mundo.

    Caro amigo Pedro, boa noite. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viver COM o Covi, temos que aprender a viver COM o Covid.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Usaste uma expressão que retive: "viver com o COVID". Tem de ser assim. Até haver vacina e/ou medicação terá de ser. Eventos mais extravagantes terão de ficar para depois, não faltará tempo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já vivemos com uma data de vírus.
      Este é mais um.
      Temos todos que aprender e viver com ele.

      Eliminar
  9. Gostei das notícias hoje sobre as vacinas que estão a entrar na 3ª fase

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares