Confiança mortalmente ferida


Um bando de meninos insolentes, mal educados e criminosos, levou Hong Kong a um caminho sem retorno.
A aprovação da lei de segurança nacional significa na prática a quebra total da relação de confiança entre Pequim e Hong Kong.
Pequim, que não costuma reagir nada bem a provocações, foi sabendo esperar pelo momento certo para desferir a estocada final.
E o momento certo escolhido foi, simbolicamente, o vigésimo terceiro aniversário da Região Administrativa Especial de Hong Kong.
Pequim, indiferente aos protestos da comunidade internacional, castigou severamente Hong Kong.
Muito mais que uma intervenção militar para temporariamente limpar as ruas, Pequim resolveu intervir por via de lei e tentar resolver a questão definitivamente.
A mãe pátria prefere ficar zangada com um filho rebelde a aturar as suas diatribes.
E a mensagem não vale só para Hong Kong.
Tem validade universal.
Esta China, com esta liderança, é assim que pensa e age.

Comentários

  1. Confirma as minhas expectativas sobre Pequim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Especialmente esta Pequim, bea.
      Saber esperar e reagir no momento certo.

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Nunca percebi bem se aquela malta achava mesmo que ia quebrar Pequim, João Menéres.
      Os brasileiros dizem cutucar a onça com vara curta.
      Tarde ou cedo dá asneira.

      Eliminar
  3. Esta gente não se entende e a humanidade sofre as consequências....

    Isabel Sá  
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  4. Uma atitude fria e a frio de uma China prepotente que já demonstrou não admitir que lhe faltem ao respeito.
    Legitimidade, há?
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O País mostrou o músculo ao segundo sistema, António.
      Porque o segundo sistema abusou, e abusou, e abusou...nunca percebi muito bem o que realmente se pretendia.
      Porque nem uma utopia era.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Tenho ouvido dizer que o Xi Jimping é muito MAO!

    ResponderEliminar
  6. Respostas
    1. por isso mesmo não consigo compreender a estratégia daquela malta de Hong Kong, Francisco.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. A nova lei parece que viola o acordo que a China fez com o Reino Unido...
    Em qualquer caso, espero o pior, ou seja, mais violência, mais prisões, etc., etc.
    Continuação de boa semana, caro Pedro.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que dizem os ingleses.
      Não é o que acham os chineses.
      E é este continuado extremar de posições que não augura nada de bom no futuro.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. É assim a força do poder. Quem manda, pode. É utopia pensar-se o contrário.
    .
    Tenha um dia de Paz e Bem
    Cumprimentos poéticos

    ResponderEliminar
  9. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  10. Tenho um certo receio do que esta China é capaz de fazer , mesmo internacionalmente e acho preocupante que haja países a vender partes do território a alguém que segue fielmente o pensamento de Mao.

    Bom dia , por aqui.

    ResponderEliminar
  11. Nao se fica indiferente a esta situação e que é muito preocupante.

    NOTA: Tinha razão. O vídeo que tinha postado no meu blogue realmente não funcionava no servidor do blogue. Troquei-o por outro...que não tem nada a ver com o que eu coloquei lá.
    Esclarecendo, era um "trabalho" que tinha feito nas Historias do Facebook e que tinha imagem, palavras e música. Achei giro colocar no Blogue, mas não deu. Pena minha...
    Grata pela compreensão.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  12. Quem mando pode. Sempre assim terá sido e continuará a ser. Os poderosos fazem o que querem e os mais fracos seja de que maneira for. Terão de lhes obedecer.

    Continuação de boa semana. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta rapaziada de Hong Kong esticou a corda até partir.
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. Quem manda pode e quer! O Povo é sereno:)
    **

    Beijo e uma excelente tarde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Serenidade é o que não tem havido para aquelas bandas.
      Há muito tempo.
      Beijo

      Eliminar
  14. A"do movimento pró-democracia de Hong Kong consideram que a decisão da China de impor uma lei de segurança nacional é um dos piores ataques à semiautonomia do território e apelaram à realização de protestos nas ruas." Jornal Público
    Irão continuar os protestos? Parece que sim...
    Cumprimentos da Maria do Porto

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No dia 1 de Julho, apesar de a lei já estar em vigor, vieram para as ruas.
      Mas acredito que esse fenómeno será mitigado no futuro.
      Cá estaremos para ver.
      Cumprimentos de Macau

      Eliminar
  15. Quem brinca com o fogo, só por milagre não se queima.
    Abraço e saúde.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada de novo no Império do Meio. Os manchus continuam a governar. sõ que agora dizem pertencer ao PC chjnês o que é obviamente falso. pois não passam de predadores do povo chinês e arredores.

      Eliminar

Publicar um comentário

Mensagens populares