4 de setembro de 2018

Duzentos anos de História perdidos para o fogo










20 comentários:

  1. Uma tragédia cultural que se segue à do Museu da Língua Portuguesa em 2015, ao Memorial da América Latina em 2013, e o Teatro da Cultura Artística em 2008.
    Como se alguém quisesse acabar com a cultura no Brasil.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Infelizmente a Cultura fica para trás em muitos orçamentos, Elvira Carvalho.
      E depois temos esses resultados terríveis.
      Abraço

      Eliminar
  2. Tristeza ,desolação, tragédia! Pena! abraços, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há coisas que são mesmo irrecuperáveis, chica :(
      Abraços

      Eliminar
  3. Olá, amigo Pedro!
    Voltei! E a tristeza destas imagens fez com que parasse e não procurasse a alegria habitual da segunda-feira.
    Ouvi hoje na tv um jovem brasileiro dizer «agora o Brasil não tem passado nem futuro». Tudo dito!
    Por que não se demitiram ainda os políticos (corruptos) responsáveis? Vergonha!!
    O Mundo está mais pobre.
    Beijo, amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já hoje comentei que estas imagens me fizeram recordar o que aconteceu aqui em Agosto do ano passado, teresa dias.
      Em particular o facto de o espólio da Biblioteca Ricci, doada à Universidade de São José e ainda encaixotada, se ter perdido com a fúria das inundações geradas pelo tufão.
      São danos irreparáveis e que, sim, tens razão, tornam o Mundo mais pobre.
      Beijo

      Eliminar
  4. I like your blog,I sincerely hope that your blog a rapid increase in
    traffic density,which help promote your blog and we hope that your blog is being updated.
    สล็อตออนไลน์

    ResponderEliminar
  5. Sinto-me desolada, porque esta perda é de todos nós.

    :((

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estas situações, como a da biblioteca Ricci que aqui referi, são perdas para a Humanidade, Afrodite.
      Não é exagero, é mesmo isso.
      Perdem-se peças de valor incalculável porque são insubstituíveis.

      Eliminar
  6. Uma tragédia que dói.l Uma grande perda para o Brasil e para toda a humanidade :(:(

    Beijos Pedro

    ResponderEliminar
  7. uma tragédia Pedro,
    os países são como as árvores precisam das raízes que seguram o seu presente e o seu futuro,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muita dessa raíz estava aqui depositada, Angela.
      E foi queimada :(

      Eliminar
  8. Não havia «bocas de incêndio»!!!

    Num país onde falta caldo para tanta boca!!!

    Demasiado triste num país de católicos...

    Abraço, Amigo.
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O desinvestimento na Cultura (continua a mentalidade que isso é coisa de ricos) tem destes resultados trágicos, Majo.
      Abraço

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Parece mentira, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Uma mentira de muito mau gosto.

      Eliminar
  10. Fiquei triste quando soube desta notícia.
    As perdas devem ser incalculáveis.

    No meio da tragédia de perda de história e identidade, sobrevive o edifício. Espantoso. Construção boa essa! Varreu-se a história que tinha dentro, mas não sai da história. E faz mais história.

    Porquê já não nos surpreendemos ao saber que as bocas de incêndio estavam vazias? E que os recursos eram parcos? Porquê???

    Resta agora saber se o incêndio foi casual, negligência ou provocado, quiçá, após um conveniente furtozinho ou outro...

    Lastimável.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São perdas irreparáveis, Portuguesinha.
      Há coisas que não se podem substituir.
      Como aconteceu aqui no ano passado.

      Eliminar