11 de abril de 2018

Xi Jinping assume papel de liderança no processo de globalização


Por estes dias, na paradisíaca ilha chinesa de Hainão, decorre a cimeira das grandes lideranças mundiais, o Fórum Boao, por muitos conhecido como Davos do Sudeste Asiático.
Uma cimeira que ocorre num momento de particular tensão entre as duas maiores economias do Planeta.
Sanções de ambos os lados deixaram Estados Unidos e China à beira de uma guerra comercial que ninguém deseja, cujos reflexos noutras economias são imprevisíveis.
Neste contexto era aguardado com grande expectativa o discurso do Presidente da República Popular da China em Hainão.
Uma expectativa que não foi de modo nenhum gorada.
Face à trajectória errática de Donald Trump Xi Jinping aproveitou a ocasião para se posicionar ainda mais como o verdadeiro líder do processo de globalização a nível mundial e um pacificador das relações multilaterais.
As promessas de maior abertura do mercado chinês, do abandono ou aligeiramento de algumas tarifas ainda existentes, de protecção da propriedade intelectual, vão no sentido oposto do que Trump vem encetando.
Mais importante, a bandeira da integração económica a nível regional, um desígnio há muito assumido por Pequim, abre o apetite a todos quantos avidamente ouviram as palavras de Xi Jinping e vêm nas mesmas a possibilidade de participar nesse processo que irá marcar política e economicamente o século XXI.
Quem diria que, no ano de 2018, estaríamos a assistir a um processo de globalização e multilateralismo liderado pela China e com os Estados Unidos como maior inimigo desse movimento (America first, America first)?

30 comentários:

  1. Com tanta demissão na Casa Branca ( uns que se demitem, outros que são demitidos ), é altura de questionar :
    Quando chega a vez de Donald Trump ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ontem era tarde, João Menéres.
      Estados Unidos, Grã-Bretanha e França, no Médio oriente, agora com os russos ao barulho.
      Isto não faz lembrar nada??

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Bem longe disso, Gil António.
      Diz respeito a todos.
      E vai ser ainda mais importante quanto maior for o tempo que Trump se mantenha no poder.
      Um dia feliz também

      Eliminar
  3. O Senhor Trump é mesmo um factor de desequilibro a nível mundial, tanto no domínio económico como no politico e estratégico, vai ser difícil ao próximo presidente dos Estados Unidos refazer estes disparates.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Trump é ele mesmo desiquilibrado, Francisco.
      Está tudo dito.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. Fico satisfeita por alguém fazer frente ao desatinado oxigenado que está no Poder estado-unidense, mas não tanto por ser uma China com o regime que tem...

    Bom meio-de-semana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Atenção que Xi Jinping não é de rodeios nem brincadeira, São.
      Basta ver o que ele está a fazer na China.

      Eliminar
  5. Is it because they work Sundays and holidays and have not taken vacations for five years, as is the case with my neighbors?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser, António Querido.
      Está tudo a precisar de férias.

      Eliminar
  6. Não sei se alguém pensa, ainda, que política é a arte de conversar!! Conversar o quê se cada um tem suas ideias pra lá de acimentadas? Imagine conversar com Trump se o camarada já nasceu com ideias bélicas! E uns outros meio esquisitos, também... loucos por uma guerrinha.
    Beijo, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é a definição clássica, Tais Luso - arte de conversar e persuadir.
      Nos tempos modernos é mais à bomba e ponto final.
      Beijo

      Eliminar
  7. Enquanto a China, paulatinamente, vai ganhando espaço, o Trampas encena uma guerra para desviar as atenções do seu envolvimento comm uma actriz porno e umas garotas de programa. Ainda há quem diga que a História não se repete...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Repete-se de tal maneira que já tem os britânicos os franceses a fazerem pendant com ele, Carlos.
      Só falta o Durão Barroso e a base das Lages.

      Eliminar
  8. Mundo desequilibrado, este.

    ResponderEliminar
  9. Penso que muitas outras coisas de interesse poderiam ser feitas se Trump não estivesse no poder.

    Beijinho Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda custa acreditar que aquela coisa alaranjada dirige o país mais poderoso do Mundo, Adélia.
      Só os americanos, realmente.
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Qualquer dia o Trampa tb vai querer bombardear a china...
    Abraço
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele é doido mas não é parvo, Kique.
      Guerra comercial?
      Um bocado, como muito barulho e poucos resultados.
      Bélica?
      Os chineses conseguem ser dez vezes mais doidos que ele.
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. O Trump está cada dia mais louco. Haja alguém com coragem para correr com ele.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ter que o gramar por muito tempo, Elvira Carvalho.
      Infelizmente vai ser assim.
      Abraço

      Eliminar
  12. Respostas
    1. Xi Jinping, um grande estratega, está a passar a perna ao idiota cor de laranja, Majo.
      Beijinho

      Eliminar
  13. A China a marcar pontos a nível mundial.
    A nivel interno não conheço bem a realidade chinesa, mas cada vez mais vejo chineses a viver e a abrir negócios em Portugal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A China está a alargar a influência no Mundo, Magui.
      Começou a nível económico, passa agora para o nível político.
      E os únicos com capacidade para fazer frente aos chineses actualmente são os russos.
      Os americanos estão distraídos com os reality shows do Trump.

      Eliminar
  14. Aquele atrasado já cansa, mas não acredito que saia tão depressa, ou talvez, quem sabe? :)
    Boa quinta Pedro

    r: os teus pais estão cá? não sabia, então eles sabem bem o que digo, é que nem é tanto a chuva é o frio brrrrrrrrrr :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os meu pais e a minha irmã (deficiente) vivem perto de Coimbra, Mena Almeida.
      Onde vivi também grande parte da minha vida.
      Até que, vai fazer 23 anos no dia 1 de Outubro, apareceu Macau na minha vida.

      Eliminar
  15. Os Estados Unidos é como uma
    arma de fogo, Pedro. Se ninguém
    puxar o gatilho fica ali, quietinha
    guardada na caixa. Esse Trump, no
    entanto... Faça-me o favor...
    Qualquer coisa que digam ou
    qualquer coisa que ele não
    goste é motivo para desavença.
    Parece até dono de casa de armas.
    Vive provocando guerra para vender
    armas.

    Um abraço e boa noite.

    silvioafonso



    .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Trump não é dono de fábricas de armas.
      Mas está dependente dos meliantes da NRA, silvioafonso.
      O que ainda é pior.
      Aquele abraço

      Eliminar