10 de abril de 2018

Impressões de Tóquio


Quem acompanha o blogue sabe que estive ausente uns dias para gozar um curto período de férias em família na capital  do Japão, Tóquio.
Foi a primeira vez que visitei Tóquio e posso dizer que correspondeu muito ao que esperava da cidade e dos seus habitantes.
Tóquio é uma cidade vibrante, cheia de vida, muito (demasiado para meu gosto) movimentada.
Se as zonas verdes são deslumbrantes (a foto da famosa sakura em flor demonstra-o), o centro da cidade é feio, confuso, algo sujo e desarrumado.
Compreendo a necessidade dos japoneses se refugiarem nos belíssimos parques e jardins da cidade.
O formigueiro no centro da cidade chega a ser claustrofóbico, precisamente o oposto do que se sente nas zonas verdes da cidade.
Muito bonitos, muito cuidados, frequentados por muita gente, muitas famílias, que ali convivem, fazem piquenique, relaxam, os espaços verdes são lindíssimos e impressionam muito favoravelmente.
O mesmo acontece com o civismo das pessoas, o rigoroso cumprimento de regras, de horários.
Um bom exemplo desta realidade, o nosso trajecto entre Ginza e o aeroporto.
O autocarro, muito confortável e impecavelmente limpo, deveria sair às doze horas.
Às onze e cinquenta e seis apareceu, estacionou, as pessoas foram entrando e comprando os seus bilhetes enquanto as malas iam sendo guardadas.
Rigorosamente às doze horas o autocarro parte.
Para parar rigorosamente cinco minutos depois para a única paragem antes do aeroporto.
Mesmo ritual, os passageiros entram, as malas são carregadas, e rigorosamente cinco minutos depois o autocarro parte.
Para um trajecto de cerca de uma hora, se não houver problemas de trânsito.
Se houver problemas com o trânsito poderá ocorrer algum atraso pelo qual pedem antecipadamente desculpa.
Não ocorreu e chegámos ao aeroporto exactamente à hora prometida.
No trajecto não há barulho (não se pode falar ao telemóvel, só receber e enviar mensagens), os passageiros são incentivados a recolher quaisquer detritos e depositá-los nos locais devidos quando saírem do autocarro (é assim em todos os transportes públicos).
Custará assim tanto?
Não parece.
Tudo uma questão de educação, que vem do berço e continua durante a vida.

60 comentários:

  1. Love to gaze up at these tall trees.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haddock,
      The green areas of Tokyo are amazing.
      The downtown ... not so much.

      Eliminar
  2. Ual Pedro!
    Viajar é aprender sempre.
    Adorei viajar atraves
    de suas palavras.
    Bjins e/ou Abraço
    CatiahoAlc.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha mulher e a minha filha (a mais nova foi connosco a mais velha não podia) adoraram Tóquio, CatiahoAlc.
      Eu gosto muito das zonas verdes.
      Do centro, daquela confusão, confesso que nem por isso.
      Não faz o meu género.
      Para isso basta o centro de Macau e Hong Kong.
      Bjs

      Eliminar
  3. Não me importava de dar umas voltinhas por aí!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O parque onde foi tirada esta fotografia é enorme e lindíssimo, Isabel Sá.
      Bem no centro de Tóquio, na zona de Shinjuku.
      Mas, para lá chegar, tem que se passar por toda a confusão que realmente não me agrada.
      Prefiro as cidades mais bucólicas (Kyoto e, sobretudo, Nara).
      Mas, obviamente, valeu a pena e foi muito bom ter passado lá estes dias.
      Se lá fosse perdia a cabeça.
      As lojas, às dezenas e por todo o lado, têm coisas (roupas, maquilhagem, produtos de beleza) a pontapé e muito baratas.

      Eliminar
  4. Muito interessante.O Japão sempre me despertou grande curiosidade.
    Abraço

    R: tinha deixado comentário sim senhor. Éstão lá dois. O quarto e o ultimo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Japão é um país único, Elvira Carvalho.
      E com uma cultura única.
      Como todos os países tem coisas boas e outras nem tanto.
      Há que saber aproveitar o melhor.

      Eu tinha ideia que tinha comentado.
      Mas, como não via o comentário...

      Abraço

      Eliminar
  5. Está na nossa lista, Pedro.
    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vale a pena visitar, Ricardo.
      Sobretudo na época da sakura em flor.
      Como agora.
      Os parques e jardins ficam deslumbrantes.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Bom dia, Já tinha saudades... Numa frase você disse tudo. A educação bem do berço. Grande verdade. Adorei o texto.

    Hoje:- Estaria mentindo, se a sede não fosse o desejo.
    -
    Bjos
    Votos de uma boa Terça-Feira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é mesmo, Larissa Santos.
      Os japoneses começam a ser educados desde pequeninos.
      O ensino nas escolas abrange as matérias tradicionais e a educação cívica.
      E isso fica para a vida.
      Já é tudo tão natural que até os turistas aderem facilmente à maneira de ser e de se comportar dos japoneses.
      Deixar qualquer detrito no espaço público, nos transportes públicos?
      Até ficaríamos mal vistos e iríamos sentir-nos mal, deslocados.
      Ainda há pouco um bom amigo me contava que, num trajecto numa cidade japonesa, o autocarro atrasou UM MINUTO.
      O condutor, quando chegou ao destino, pediu desculpa e fez a tradicional vénia.
      UM MINUTO!!!
      Bjs, boa terça-feira

      Eliminar
  7. Respostas
    1. Nunca diga nunca, Francisco.
      Depois de vir para Macau e de aqui refazer por completo a minha vida nunca mais digo nunca.
      Mantenha o sonho vivo.
      Aquele abraço, boa semana

      Eliminar
  8. Que maravilha, na minha opinião.

    Detesto falta de civismo.

    A foto é linda, realmente.

    Bom Abril, Pedro, para si e família

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A São ia adorar os japoneses e, num outro registo, os canadianos.
      Os japoneses são mais prisioneiros de regras e leis.
      Os canadianos são mais livres.
      Num caso e noutro, o civismo é impressionante.
      E contagia.

      A foto é uma das muitas que a minha mulher tirou, nomeadamente neste parque público em Shinjuku.
      Absolutamente deslumbrante sobretudo nesta época do ano com a sakura em flor.

      Bom Abril, São.

      Eliminar
  9. Fiquei encantada, não me surpreende, devríamos aprender tanta coisa com eles.
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Algumas coisas, Ana.
      A cultura e a civilização japonesa também têm um lado negro, castrador.
      Beijinhos

      Eliminar

  10. Estas árvores são lindíssimas! Gostava de lhes conhecer o perfume.
    E claro, adorava conhecer o Japão e as suas gentes, mas não tanto Tóquio. Sou pouco cosmopolita... porque faz-me confusão a confusão!

    Beijinhos perfumados
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ias gostar de Kyoto, adorar Nara.
      Das cidades que já conheço.
      Há outras para conhecer.
      Okinawa, Hokaido, que não serão tão cosmopolitas como Tóquio e Osaka.
      Também gosto mais das mais bucólicas.

      O perfume da secura é leve mas muito aromático.
      E ainda a passear ali e as flores a "chover" junto a nós é mágico.

      Beijinhos

      Eliminar
  11. O que nos faltou e ainda nos falta, é esse rigor de disciplina logo a partir do berço, passando pelas escolas e empresas, a nossa legislação nem é das piores, falta é cumpri-la a começar pela capital!

    O meu abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rigor e disciplina que, no caso do Japão, como de Singapura, também são muito forçados, António Querido.
      Por isso vê muitas vezes os japoneses perdidos de bêbados (sakê) ao fim de um dia de trabalho, uma fuga às amarras do dia-a-dia.
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Àparte essa má impressão acerca do centro da cidade, o que, aliás, acontece em muitas outras cidades com um nível populacional elevado, vejo que a viagem e estadia foi para recordar, Pedro!:)
    Essa fotografia está fabulosa. Esse famoso desabrochar das flores de cerejeira- Sakura- ( tenho lido sobre essa beleza japonesa) está maravilhosamente retratado.
    Que encanto!
    Viajar, conhecer outras culturas e países, é do melhor que se leva desta vida.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma das grandes heranças que espero deixar às minhas filhas é conhecerem outros locais, outras pessoas, outras culturas.
      Algo que só muito mais tarde na vida tive oportunidade de fazer, Janita.
      E que não tem preço.
      Beijinhos

      Eliminar
  13. Gostava de conhecer o Japão.
    Gosto de cidades grandes, em que se é completamente anónimo.
    Gosto de jardins.
    Mas tenho um pre-conceito (que é feio... eu sei...) de que esse "ser civilizado" existe à custa de individualidade, criatividade e liberdade.
    Mas nada sei na verdade sobre a cultura japonesa!

    Pena ser do outro lado do mundo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comentava ontem alguém que me é muito querido que um bocado de criatividade, até algum desenrascanso, não fazem mal a ninguém, Boop.
      O que não é de todo possível nestas sociedades.
      Mas vale a pena conhecer.
      Até para poder distinguir in loco o que se gosta e o que não se gosta.

      Eliminar
  14. Outra formação, outra educação, hábitos diferentes.
    Ao que parece, tudo para melhor.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diferente, António.
      Melhor?
      Como dizia um amigo acerca de Singapura "é uma top model com a qual não suportaria viver mais que uma semana".
      Aquele abraço

      Eliminar
  15. boa tarde
    por isso é que o Japão é um país super desenvolvido !!
    JAFR

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nada é deixado ao acaso, Joaquim Rosário.
      O que não é sempre bom.
      Aquele abraço

      Eliminar
  16. seria tão bom que pudéssemos enraizar esses princípios de civismo nas nossas comunidades!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Impressiona, mami.
      Vem do berço, da educação desde meninos, de normas que são cumpridas integralmente.

      Eliminar
  17. Fiquei exactamente com a mesma impressão de Tóquio.
    O rigor, a educação, o civismo, o escrupuloso cumprimento de horários, os parques lindos e a confusão de uma cidade sempre em ebulição, mas com ordem, deixaram-me encantada.

    Beijos Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A confusão da cidade, que também se vê no centro de Macau e Hong Kong, é que não faz nada o meu género, Manu.
      Beijos

      Eliminar
  18. Obrigada pela partilha dessa impressão Pedro!

    Adorava visitar os jardins e principalmente poder ver esse espectáculo da Sakura em flor e a chuva de pétalas rosa que se desprendem e que dizem ser também maravilhoso.

    Beijinhos



    so

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito bonito, mz, mesmo muito bonito.
      Andar ali pelo meio das árvores e ver as flores a rodearem-nos é lindíssimo.
      Beijinhos

      Eliminar
  19. Gostei de ler suas impressões sobre Tóquio. Este é um jeito da gente viajar também.

    Abraço.
    AnaVi

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Viagens virtuais, AnaVi.
      Vale e pena fazer a viagem mesmo e visitar Tóquio.
      Abraço

      Eliminar
  20. Também fiquie muito bem impressionado com Tóquio e com os japoneses em geral.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gosto mais das zonas mais bucólicas, Carlos, não tanto das grandes urbes.

      Eliminar
  21. Ola Pedro gostei do feed-back da viagem ! gostaria de poder ir visitar esse pais distante, e interesso-me muito pela cultura milenaria, tentando perceber como o tao belo também pode esconder o tão monstruoso quando vem à superfície na mente das pessoas! a natureza não falha e produz toda essa beleza deslumbrante nos parques :)
    abraço
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Natureza ajuda, Angela.
      Mas o civismo das pessoas e o escrupuloso cumprimento das regras, que são duras, também.
      Abraço

      Eliminar
  22. Uma Nação "enorme", fantástica, num pequeno território ! ... é no que dá ! :( ...
    Esteve por lá um neto meu, durante um mês a fazer um curso e sentiu isso mesmo, especialmente nos transportes públicos ! ... Multidões a preencher todos os espaços nos transportes !
    Civicamente, fora de série !

    Abraço, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nos transportes públicos, em horas de ponta, é a loucura total, Rui.
      Prefiro fazer caminhadas, e eu até nem sou nada dado a caminhadas.
      Porque o táxi é caro como fogo, poucas vezes pode ser utilizado.
      Aquele abraço

      Eliminar
  23. Tenho ideia do Japão ser uma sociedade extremamente bem organizada, as pessoas de um civismo difícil de encontrar.
    Fiquei admirada por encontrar a cidade suja.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alguns locais da cidade, os mais movimentados, são algo sujos, Magui.
      Sobretudo em horas de ponta.

      Eliminar
  24. Umas férias boas, sim senhor.
    Nunca irei a Tóquio, mas sei que se lá estivesse por mas de 3 dias, depressa queria regressar.
    Gosto de cidades grandes que não sejam por de mais cheias de gente.
    Pontualidade diz-me muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não sou nada fã de multidões, Maria Araújo.
      Por isso evito alguns locais de Macau e de Hong Kong.
      Fui apanhar essas confusões em Tóquio.

      Eliminar
  25. Uma cultura bastante diferente da nossa onde impera as mais elementares regras de civismo.
    Abraço Pedro
    https://caminhos-percorridos2017.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O civismo impressiona, Kique.
      Muito mesmo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  26. Amigo Pedro! vim agradecer sua visita e por seguir um dos meus blogs. Seja sempre bem vindo! Que bom que suas férias junto a família em Tóquio foi feliz e maravilhosa. Que outras viagens para lá sejam realizadas. Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a sorte de poder calcorrear um bocado esta nosso Planeta acompanhado da família.
      Agora foi Tóquio, daqui a uns meses será outro destino.
      Agora para a Europa.
      Abraços

      Eliminar
  27. Pelo que nos diz no texto, as vossas férias corresponderam às expectativas. ainda bem.

    É tudo uma questão de princípios, de boa escola, familiar, sobretudo.

    Beijinho, Pedro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Família e escola, CÉU.
      Desde pequeninos (infantário) têm aulas de educação cívica juntamente com as matérias digamos que tradicionais.
      E isso fica para sempre.
      Beijinhos

      Eliminar
  28. Tinha-lhe pedido e gostei muito de saber a sua opinião...

    No seu lugar,tinha ido para Okinawa. Rsss...

    Fazem-se boas compras em Tóquio.

    Beijinhos
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Okinawa está na lista, Majo.
      Como está Hokaido e outras.
      Para já conheço Osaka, Kyoto, Nara, Tóquio.
      Ainda há tanto para visitar.

      Fazem-se tão boas compras que me vi obrigado a comprar outra mala, Majo :))))

      Beijinhos

      Eliminar
  29. O Japão é, desde a minha infância, o país que gostava de conhecer. Ao mesmo tempo existe algum receio na idade adulta. Isso de andar metida em formigueiros também não é muito comigo. Admiro tanto neles mas em simultaneo entendo que a origem por detrás de coisas bonitas podem ser menos bonitas. Não me iria impedir de as apreciar e valorizar.

    Não acho difícil ser civil e limpo. Se impuserem isso as pessoas aprendem a respeitar. É como o cigarro. Até se implementar a regra de ser proibido por lei fumar em locais fechados, ninguém se prestava a isso. Agora fazem-no. O hábito de deitar lixo para o chão tem de ser combatido desde pequeno. Para todos. E o Japão está aí para comprovar que é assim que deve ser e resulta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esses hábitos são ensinados e incutidos nas pessoas desde tenra idade, Angela.
      E tanto é fácil ser aprendidos e apreendidos que os próprios turistas aderem facilmente a essa vivência.

      Não tenha receio de fazer a viagem.
      Há muita gente, muita confusão ... em algumas zonas.
      Noutras, como é o caso dos fantásticos parques e jardins, o sossego, a limpeza, o ar puro, fazem bem ao corpo e à alma.

      Eliminar
  30. É um povo com uma educação e maneira de ser extraordinária. O ano passado quando estive aí (Macau) fomos visitar o Japão, na viagem de Tóquio para Kyoto no comboio Shinkansen, o meu marido acabou por deixar a carteira na rede que se encontrava nas costas do banco da frente. Pensei que já não a voltaríamos a ver, mas não, ninguém pegou na carteira e ela foi entregue ao meu marido, com documentos, dinheiro, enfim com tudo o que lá estava.
    Os Japoneses são pessoas educadas e civilizado só é pena não falarem lá muito bem inglês.
    Também fomos na altura das sakuras em flor, os parques estavam maravilhosos. Toda a família adorou o Japão.
    Beijinhos
    Maria de
    Divagar Sobre Tudo um Pouco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. São educados assim desde tenra idade, Maria Rodrigues.
      E isso fica para toda a vida.
      Gosto mais do lado bucólico do Japão.
      De Kyoto e Nara, por exemplo.
      Beijinhos

      Eliminar