14 de novembro de 2017

Thanks but no thanks


Donald Trump continua o seu périplo asiático.
E resolveu mostrar a sua face de benemérito a par com a sua face de cabotino.
Trump, que gosta muito de se achar um óptimo qualquer coisa, desta vez resolveu oferecer os seus préstimos como exímio mediador e negociador (é ele a afirmá-lo).
Seria então ele a mediar as disputas legais e territoriais que há muitos anos têm lugar nos mares que banham várias nações asiáticas e que, em virtude dessa razão geoestratégica e, claro, económica, envolvem vários interesses, sensibilidades e países.
Gesto tão magnânimo não mereceu sequer resposta da China e foi objecto de um rotundo não por parte de outros países asiáticos, nomeadamente de países membros da ASEAN.
Trump, cabotino, é um profundo ignorante do que se passa na Ásia e do pensar e sentir asiáticos.
Mostrou-o claramente nesta sua oferta perfeitamente disparatada.
Os asiáticos têm uma forma muito peculiar de negociar, que se pode arrastar por longos anos, que busca incessantemente consensos, que não admite interferências externas, que é muito cautelosa com a sensibilidade chinesa.
Sem perder tempo a responder directamente a Trump, a China passou ao ataque e reservou para si esse papel de mediação num conflito que também lhe diz respeito.
Mares muito ricos são naturalmente muito disputados.
Obviamente era uma fatia dessa riqueza que Trump procurava garantir com a sua intervenção no processo.
A resposta foi curta e grossa – thanks but no thanks!

31 comentários:

  1. Infelizmente e para nosso mal como ocidentais este "senhor" está mesmo a envergonhar-nos.
    Uma boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Algo que era fácil prever, Francisco.
      Ainda parece mentira que esta criatura tenha sido eleita.
      Aquele abraço

      Eliminar
  2. Bom dia. Gostei de ler. Detesto esse homem. kkkkkkkserei só eu? :)

    Bjos
    Boa Terça-Feira.
    Hoje o tema é meu lá no "Brincando"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um grande clube, Larissa Santos.
      Mas também terá que haver, por muito que custe acreditar, um grande clube de fãs.
      Ele foi eleito.
      Bjs

      Eliminar
  3. E em toda esta dança da diplomática, quem será o melhor dançarino?

    Beijinhos ocidentais
    (^^)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nestas coisas a sabedoria chinesa, milenar, costuma dar cartas, Afrodite.
      Beijinhos a Oriente

      Eliminar
  4. Foi tudo como a criatura merece: desprezo e recusa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O cretino pensou que vinha para a Ásia mandar uns bitaites, São.
      Sai com o rabinho entre as pernas.

      Eliminar
  5. Ah pois, que seriamos nos sem o Trump a por ordem no mundo todo, lol. Ele bem pode continuar a pensar ser o melhor mediador e nogiciador, mas todos sabemos que ele e tudo menos isso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um perfeito,palhaço, Sami.
      No pior sentido do termo.

      Eliminar
  6. Pedro, permita-me que adapte o que escreveu para : «Trump, cabotino, é um profundo ignorante do que se passa no Mundo e do pensar e sentir mundiais.». Posto isto, é tudo quanto me apraz comentar ao seu (brilhante) post.

    Votos de excelente semana para si e suas princesas.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Ricardo - a ignorância do sujeito está longe de se limitar à Ásia.
      É global.
      No sentido literal do termo.
      Aquele abraço, votos de excelente semana para si e as mais que tudo.

      Eliminar
  7. Trump continua a ser coerente. Ou alguém esperava que este cretino mudasse, por pouco que fosse?

    Trump envergonha a América (EUA) e a sua espécie.

    Um abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isso é verdade, António - coerente o idiota.
      Entrou ignorante e continua ignorante.
      Isso é coerência e convicção, caramba!
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Pois é... o Presidente Trump é um monstro, um palhaço e um incompetente... no entanto, quem faz coisas deste género é o "moderado" Xi Jinping:

    https://www.dn.pt/mundo/interior/china-jesus-cristo-substituido-pelo-presidente-xi-jinping-8915243.html

    ...que curioso!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Onde é que leu que Xi Jinping é moderado, Afonso de Portugal??
      Aqui não foi de certeza.
      Deve estar a fazer confusão com outro blogue qualquer.

      Eliminar
    2. Não o escreveu explicitamente, mas implicou-o:

      «Os asiáticos têm uma forma muito peculiar de negociar, que se pode arrastar por longos anos, que busca incessantemente consensos, que não admite interferências externas, que é muito cautelosa com a sensibilidade chinesa.»

      Isto é uma grande treta e o Pedro Coimbra sabe-o perfeitamente! O Xi Jinping é ou não é asiático?! Ser falso e dissmulado não é procurar consensos, além de que a tal "sensibilidade" chinesa" a que o Pedro alude tem muito mais a ver com o MEDO que os restantes asiáticos têm do poderio militar chinês do que outra coisa!

      Os chineses são vistos em praticamente todo o mundo com uma cambada de covardes fingidos, quando não vigaristas (os produtos chineses têm a fama que têm), mas com muito dinheiro e cada vez mais armados.

      E quanto aos críticos de Trump, em geral demasiado estúpidos e arrogantes para perceberem que a sua atitude condescendente foi precisamente aquilo que levou o magnata à presidência, estamos a ver bem o seu calibre com o recente escândalo de Hollywood: todos feministas, todos civilizados, todos ponderados... e pelo visto, todos abusadores sexuais!!!

      Eliminar
    3. Pois é, Afonso de Portugal, serei eu também um desses ignorantes?
      Talvez.
      Mas posso dizer-lhe que a sua citação ficou fora do contexto.
      Quando escrevi isso estava a pensar bem mais na ASEAN do que na China.
      Já ouviu falar em ASEAN Way?
      Se não ouviu, procure para ver o que é.
      China, nesse contexto, só porque é a maior potência asiática e porque tem relações priveligiadas com a ASEAN (ASEAN +3).

      Eliminar
  9. Mas será que algum chefe de estado o leva a sério?
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só em questões que envolvam dinheiro, Elvira Carvalho.
      Um abraço

      Eliminar

  10. Pedro, mas também se lê que fecharam negócios de biliões de dólares !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, não era isso que se esperava, Angela??
      Money, money, money.

      Eliminar
  11. Já leva um ano no cargo... Será que já se pode iniciar uma contagem decrescente?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu comecei a contagem decrescente no dia da posse, luisa.
      E demora, demora, demora...

      Eliminar
  12. Trump julga-se o mais esperto entre todos os seus interlocutores. É uma postura própria dos cretinos e imbecis como ele. Mas o que mais me arrepiou nesta visita foi o encontro dele com Duterte e os elogios que lhe fez.Inadmissível!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque é que ele se comportou assim com Duterte, Carlos?
      Porque o louco filipino, publicamente, disse que tinha MUITO dinheiro para comprar armamento.
      E que, se os Estados Unidos não lho vendessem, ia comprar a outros, nomeadamente à Rússia.
      Business as usual.

      Eliminar
  13. i can smell how dangerous can be the negotiation

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. When Trump is involved it's always dangerous, baili.

      Eliminar
  14. Respostas
    1. Um bobo demasiado perigoso, Agostinho, esse é que é o problema.
      Aquele abraço

      Eliminar