13 de setembro de 2017

Unanimidade na censura, dissensão nas sanções


O Conselho de Segurança das Nações Unidas condenou por unanimidade o último ensaio armamentista da Coreia do Norte.
E não se ficou por essa condenação endurecendo as medidas sancionatórias aplicadas ao regime norte-coreano.
Na nona resolução adoptada por unanimidade pelos 15 membros do Conselho de Segurança, a solução encontrada passou novamente por demoradas e complicadas negociações entre três dos principais intervenientes no processo – Estados Unidos, China e Rússia.
Washington, para ter o apoio de Pequim e Moscovo, teve que ceder nas suas intenções iniciais e suavizar um conjunto de sanções que russos e chineses acharam demasiado violento.
Só quem não está habituado à postura negocial de Pequim (Moscovo nem tanto…) é que se surpreende.
A resolução adoptada deixa Pyongyang em grandes dificuldades para fazer face às sanções que terá que enfrentar – proibição de exportação de produtos têxteis, forte restrição à importação de produtos petrolíferos e derivados – mas não funciona como um garrote, muito menos fere de morte a liderança e os bens pessoais do ditador norte-coreano (uma mão cheia de mel, uma mão cheia de ...trampa).
Pequim e Moscovo, alinhando com o grito de “basta!” da comunidade internacional, não deixam de dar algum espaço ao regime norte-coreano para sobreviver.
Até Washington já percebeu isso.
As declarações de Nikki Hailey não deixam grande espaço para dúvidas a esse respeito.
A posição musculada de Trump foi substituída por um não queremos a guerra e deixaremos a Coreia do Norte em paz se o regime norte-coreano parar com o seu programa nuclear.
Pequim e Moscovo, aliados de Pyongyang, capazes de levar Washington a ceder, serão capazes de, à nona resolução adoptada por unanimidade por um Conselho de Segurança tão dividido, levar Pyongyang a ceder também?
Confesso que não acredito nessa possibilidade.
Kim Jong-un vai cantar vitória, fazer mais umas quantas ameaças, até novo teste balístico e nova resolução de um Conselho de Segurança das Nações Unidas que Pequim e Moscovo não deixam responder à bruta a quem só conhece essa linguagem.
Até quando é a pergunta do milhão de dólares.

22 comentários:

  1. Bom dia Pedro!
    à loucura humana, é sempre deixada margem de manobra, e está de boa saúde!
    não será hoje que a vemos num museu, ou em vias de extinção :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E a pergunta continua sem resposta, Angela - até quando?

      Eliminar
  2. Gostava de saber como é que tudo isto vai acabar, mas palpita-me que não vai acabar bem.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já nem palpito nada, Francisco
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. "Um doido e um psicopata de penteados ridículos" - como já ouvi um repórter apelidá-los - conseguem trazer o mundo em "suspense".
    QUERO ACREDITAR que o bom senso, tão escasso!, prevalecerá...


    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos queremos acreditar nisso, Mariazita.
      Mas está cada vez mais difícil manter essa crença.
      Beijinhos, continuação de boa semana

      Eliminar
  4. Enfim, continua tudo (quase) na mesma....

    Bom resto de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O celebre same same but different, São
      Bom resto de semana

      Eliminar
  5. Até quando.. fica a pergunta no ar!
    Beijinhos,
    http://chicana.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma pergunta que anda no ar há muito tempo, Ana.
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Quando um bruto tenta educar outro bruto, o resultado é negativo.
    Há uma grande incerteza em torno das reais intenções norte coreanas, embora pareça que o regime de Kim Jung Woon está disposto a tudo para levar em frente uma acção letal cujas consequências não são previsíveis.
    Aguardemos.

    Um abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com aqueles dois loucos é de temer tudo, António.
      Já hoje Trump afirmou que estas sanções são muito soft e não são ainda nada do que terá que acontecer inevitavelmente ao regime Norte- coreano.
      O que será isso é que falta saber.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. O que mais me impressiona é o desplante do lider coreano, Pedro ! ... De uma teimosia e arrogância a toda a prova ! :(
    Será que ele tem a verdadeira noção das realidades bélicas no mundo ? Será que está mesmo convencido da sua superioridade )... ou estará a contar que a China lhe cobrirá sempre as costas ?...

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conta com o beneplácito da China, e da Rússia também, e sabe que tem que ter aquele discurso.
      No dia em que os norte-coreanos descobrirem a miséria em que vivem e a opulência em que vivem os Kim ele sabe que, pior que perder o Poder, é esquartejado na praça pública.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Isto vai acabar mal...Isto vai acabar....mal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como eu gostava de discordar da sua opinião, Kique...

      Eliminar
  9. A Rússia, não me admira. Mas a China surpreende-me.
    Até quando é uma boa pergunta. Espero que não até ser tarde demais.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A China a mim não me surpreende nada, Elvira Carvalho.
      A postura chinesa é tipicamente esta.
      Especialmente quando envolve interesses próprios.
      Abraço

      Eliminar
  10. Uma questão muito, muito delicada, cuja resposta à mesma não é fácil e nem sequer expectavelmente muito boa!...
    Sendo este um caso pelo que era preferível não esperar e menos ainda pagar para ver o resultado, mas pouco mais ou nada nos sobra, ao resto do Mundo.
    Esperemos então um milagre que ilumine as mentes liderantes em causa, mesmo com tudo o improvável que implica um milagre, em especial se face a mentes fechadas sobre si mesmas, salvo que até por isso a justificar milagre!!!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sensação que tenho é de impotência relativamente à possível influência do resto do Mundo na resolução deste imbróglio.
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. Por aqui se nota alterações no pódium... Eventualmente iminentes.
    Só falta um facto legitimamente?

    Abraço, amigo Pedro.

    ResponderEliminar
  12. O Império Anglo-Sionista quer matar o povo norte-coreano à fome porque este se recusa a ser seu vassalo. É tão simples quanto isto:

    https://historiamaximus.blogspot.pt/2017/09/porque-e-que-o-imperio-anglo-sionista.html

    ResponderEliminar