4 de julho de 2017

A Declaração Conjunta é o quê?


Que Xi Jinping viria a Hong Kong deixar uma série de recados já todos sabíamos.
Se estes recados, estes avisos, não foram surpresa, também o não foi o puxão de orelhas aos residentes de Hong Kong e a referência à linha vermelha que andam a pisar há muito tempo.
Menos surpreendentes ainda os elogios públicos a Macau.
O bom filho que à casa tornou em contraponto com o rebelde que teima em não tomar juízo.
Já todos sabemos que é assim que Pequim pensa, já todos percebemos que Pequim está farta dos problemas que Hong Kong lhe tem causado.
Surpresa, bem desagradável por sinal, o desfile militar, a demonstração de força, a ameaça implícita de que novas pisadelas na tal linha vermelha poderão ter sérias consequências.
Mais desagradável ainda a declaração do porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros.
A Declaração Conjunta Sino - Britânica é só um documento histórico sem grande importância (a Sino - Portuguesa deve ser igual)?
Esta é a posição oficial de Pequim?
Se o é estamos perante um facto gravíssimo, um ataque frontal a um instrumento de Direito Internacional depositado junto das Nações Unidas, uma porta aberta para a violação do princípio “um país, dois sistemas” e todo o postulado do mesmo.
Seria muito bom que Pequim esclarecesse esta questão o quanto antes, que o Governo Central se demarcasse publicamente destas declarações.
Para que não restem dúvidas que o período de transição nas duas Regiões Administrativas Especiais será rigorosa e escrupulosamente cumprido, e que não haverá durante o mesmo quaisquer interferências no alto grau de autonomia que ficou acordado entre Estados soberanos.

16 comentários:

  1. A ver vamos... Apesar do poder de Pequim ser, por princípio, cumpridor dos compromissos assumidos, o esticar da corda pode ter consequências. Parece-me que irão deixar ficar tudo como está até avançarem para Taiwan.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que já tive mais essa convicção que agora, Agostinho.
      Pequim está a perder a cabeça, e o controlo, com Hong Kong.
      Mais a mais com este Governo que é de poucos sorrisos e de muito músculo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  2. Pequim não vai descansar enquanto Hong Kong não falar a mesma linguagem que os todos poderosos Senhores de Pequim.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estão a endurecer o discurso e a prática cada vez mais, Francisco.
      Aquele abraço, boa semana

      Eliminar
  3. Oxalá me engane, mas me parece que Pequim poderá avançar mesmo sobre Hong Kong se este continuar a mexer muito...

    Semana boa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há alguns anos diria que não acreditava nisso, São.
      Agora...
      Semana boa, também.

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Mais e mais, Francisco Emanuel.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Começamos a sentir uma certa claustrofobia no ar, Pedro.

    Votos de excelente semana para si e suas princesas.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada vez mais, Ricardo.
      Em Macau não porque Macau é o filho pródigo, bem comportado.
      Em Hong Kong a sociedade está estilhaçada, Pequim está em fúria.
      Aquele abraço, boa semana para si e as suas mais que tudo.

      Eliminar
  6. Pequim não está ser correta!

    Beijinho Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é que está a pisar mais o risco, Adélia?
      Hong Kong ou Pequim???
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Não é com reprimendas e demonstrações de força que convencem Taiwan, e a situação em HK é bem capaz de piorar, com possível envolvimento internacional caso mantenham esta postura (inaceitável) face à declaração conjunta!
    Mais a mais, andam a meter-se com todos os países vizinhos ao instalarem bases militares nas ilhotas do Mar da China (apenas de nome), numa clara atitude de bullying... ai China, quo vadis?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pequim ainda não percebeu muito bem as regras do Direito Internacional, Anónimo.
      Foram muitos anos fechada para de repente se abrir e cumprir com todas as regras.

      Eliminar
  8. Espero bem que fiquem com o estatuto de regiões autónomas
    e periféricas...
    Beijinho
    ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vou dar palpites, Majo.
      Pequim está verdadeiramente irritada com Hong Kong.
      E assume uma postura musculada para todos os lados por causa disso.
      Vamos dar tempo ao tempo...
      Beijinhos

      Eliminar