16 de fevereiro de 2017

Biblioteca Central de Macau


Ontem a Assembleia Legislativa de Macau assistiu a mais um intenso debate acerca do projecto de uma futura Biblioteca Central em Macau.
Pensado para ocupar as instalações do antigo Tribunal e as instalações onde durante muitos anos estiveram sediados os serviços da Polícia Judiciária, o projecto de uma Biblioteca Central, que não existe em Macau, não faz mais que seguir a tendência que se vê um pouco por todo o Mundo - dotar as cidades de uma grande biblioteca, multifuncional, que pode perfeitamente ser complementada com outras bibliotecas de menor dimensão espalhadas pela cidade.
Estive recentemente na Austrália - Sidney, Melbourne e Adelaide.
Curiosamente nas três cidades supracitadas vi grandes bibliotecas centrais, instaladas no coração das cidades (centrais, percebem senhores deputados??!!), em edifícios antigos, recuperados, lindíssimos, que incorporam a biblioteca propriamente dita, espaços de exposição de pintura e artesanato, espaços de restauração, serviços de apoio.
Locais que atraem os residentes e os visitantes, para utilizar a terminologia mais em voga em Macau, agradáveis de visitar e desfrutar.
É isso mesmo que Alexis Tam e Ung Vai Meng querem para Macau.
Porque já o viram noutros locais (sair e ter contacto com outras pessoas, outras culturas, é essencial para abrir a mente...), porque querem que Macau também disponha de um espaço semelhante que seja uma referência na cidade.
Infelizmente temos uma Assembleia Legislativa povoada de mentes tacanhas, de gente que perde tempo a discutir tostões quando não se preocupa minimamente com os muitos milhões que são desbaratados constante e abertamente, beneficiando sempre os mesmos.
Biblioteca Central, senhores deputados.
Centro, o centro da cidade, não os arrabaldes.
Procurem exemplos semelhantes fora de Macau que vão encontrar muitos.
Ficaram três sugestões, muitas mais haveria para apontar e visitar.
Mas para isso é preciso sair de Macau, é preciso ter vistas largas, mente aberta.

39 comentários:

  1. mente aberta e não pensar nos seus próprios interesses...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas o que é que será que esta gente pensa fazer ali???
      Cambada!

      Eliminar
  2. Só daqui a 25 anos estará pronta, assim com o metro em Macau, o Edif. dos Tribunais... Macauquices!
    Beijinhos Mor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que o Alexis continue a mostrar a firmeza que tem mostrado, Mor.
      Em 20 anos nunca tinha visto o Guilherme (Ung Vai Meng) irritado.
      Foi preciso este processo da Biblioteca Central para o ver irritado, farto.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Tanta indecisão para uma coisa acertada e tanta assertividade para outras mais duvidosas! Não percebo porque o assunto ainda está sob discussão... é muita incompetência tanto da AL como do Governo. Uma vergonha gritante!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Alexis continua a mostrar firmeza.
      Já o Chefe não diz uma palavra acerca do assunto.
      E devia ser ele a dizer muito claramente que a decisão está tomada e o arrastar do processo só vai agravar os custos.
      Este forró vai continuar agora que estamos já em propaganda para as próximas eleições.

      Eliminar
  4. Uma excelente ideia. E se tiverem dúvidas que se aconselhem com a Toronto Public Library.

    Wikipedia:
    Toronto Public Library (TPL) (French: Bibliothèque publique de Toronto) is a public library system in Toronto, Ontario. It is the largest public library system in Canada and in 2008, had averaged a higher circulation per capita than any other public library system internationally, making it the largest neighbourhood-based library system in the world.[5] Within North America, it also had the highest circulation and visitors when compared to other large urban systems.

    : )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Catarina,
      O problema deste gentinha (um dos...) é que não sai daqui.
      E quando sai daqui não tem a mente aberta para deixar entrar novas ideias.
      Aprendam com Deng Xiaoping - "É preciso abrir as janelas para deixar entrar ar. Mesmo que também entrem moscas".
      Deixe-me fazer uma visita virtual à Biblioteca de Toronto.

      Eliminar
    2. Já fui ver.
      É isto mesmo, Catarina.
      Porque é que estes tipos não percebem o óbvio???

      Eliminar
  5. Concordo contigo e já vaguei por bibliotecas fantásticas em alguns países e mesmo no centro de grandes cidades.

    Na volta aí haverá outros interesses como casinos e afins, será?

    Beijocas e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Confesso que nem percebo o que querem fazer ali, Fatyly.
      Se é mais um mamarracho, caixote com buracos tamanho XXXL, então não são doidos, são dementes.
      Aquele local é excelente para ali construir a tão ansiada e tão necessária Biblioteca Central.
      Só não percebe isso quem é absolutamente estúpido.
      Beijoca, um bom dia

      Eliminar
  6. As bibliotecas são para serem desfrutadas pelas pessoas e nada melhor que estarem nos centros das cidades para melhor acesso.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Atraem os residentes e os visitantes, Francisco.
      As bibliotecas que menciono eram todas lindíssimas.
      Só não percebe isto quem é ignorante.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Vejamos se o projeto na~emperra pelo caminho. Uma boa biblioteca é o projetar do passado pelo futuro. Nunca se sabe o que poderá acontecer com todo o saber digital. Às vezes penso, e se acontecer uma catástrofe que nos leve lá para a era dos não computadores? Que ficará para as gerações vindouras se não forem os livros?
    Mais uma das civilizações desaparecidas?
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acredito num desaparecimento rápido dos livros, Elvira Carvalho.
      O prazer de desfolhar um bom livro ainda não pode ser substituído por uma qualquer plataforma digital.
      Podem é ser complementares.
      Isso já acontece em grandes bibliotecas.
      Um abraço

      Eliminar
  8. Será uma mais valia para Macau, equiparando a cidade a tantas outras que existem por esse mundo fora!

    Obrigada pela presença e parabéns à minha "CASA".

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma vergonha para Macau não dispor de uma boa biblioteca, Mariazita.
      Para que serve tanto dinheiro quando se esquece o básico? :(
      Beijinhos

      Eliminar
  9. Respostas
    1. Isso vimos nós, servidores públicos, como parte da formação paga pelo Executivo de Macau em Singapura, Rui.
      Os senhores deputados não viram.
      Ou se viram não perceberam nada do que estavam a ver.
      Grande abraço!

      Eliminar
  10. Negócios, Pedro. Esse tipo de gente entorta sempre para o mesmo lado. Ainda não perceberam que a Cultura pode gerar mais valias a médio e longo prazo se não a curto prazo.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu confesso que ainda não percebi o que querem fazer ali, Agostinho.
      Torres de habitação??
      E o edifício dos antigos Tribunais?
      Vai ao chão?
      Se for assim está mesmo tudo doido!
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. Fico siderada com a falta de visão de certas criaturas, francamente.

    Será mesmo complicado perceber que a Biblioteca deve estar no centro da cidade?!


    Gostei do artigo de João Adelino Faria.Porém, enquanto tivermos Tribunais a condenar quem deu a devida resposta ao idiota que nos apelidou de "peste grisalha" não vejo muita esperança de mudança.

    Obrigada pelas boas vindas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É por isso mesmo que denomina CENTRAL, São.
      Explique isto a estas almas penadas, por favor!

      Esse estupor que teve essa expressão não terá família?
      É essa família, os mais velhos não lhe dão uns valentes açoites??

      Eliminar
  12. Fazer as coisas só para copiar os outros, não é muito bom.
    Ainda por cima quando é mal feito.
    Mas uma biblioteca é sempre bom.
    Beijinhos! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A grande diferença entre uma série de casinos, que são réplicas de outros existentes em Las Vegas, e uma biblioteca que seria instalada num edifício único, icónico, Diana Fonseca.
      Não é nada de novo, é um conceito que existe um pouco por todo o Mundo.
      Beijinhos

      Eliminar
  13. A nossa famosa biblioteca no centro do Porto é bem o exemplo de que além de útil é um lugar de visita obrigatória. Que melhor sítio para ter uma biblioteca do que no centro da cidade?
    Kis :=}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é isso mesmo que estes cretinos não entendem, AvoGi.
      Talvez por terem pouco mundo...
      Bjs

      Eliminar
  14. Por vezes não há nada melhor do que ser confrontado com outras realidades!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É essencial, Chic'Ana.
      Para que pessoas como estes senhores deputados não fiquem confinados ao seu cantinho, à sua zona de conforto.
      Beijinhos

      Eliminar
  15. Eu continuo a acreditar nas Bibliotecas públicas e centralizadas nas grandes cidades e mesmo nas mais pequenas.
    Receio mais, é pelo futuro das livrarias ! Tal como já aconteceu com as videotecas (que alugavam filmes de vídeo e desapareceram) e com os vendedores de música gravada, receio bem que os livros em papel, atendendo aos preços (do papel), tenham os dias contados, por isso e pelo avanço das tecnologias digitais em que até temos quem leia os livros por nós !
    Eu sei que me vão dizer: "e o prazer da leitura em papel" ?... Pois é. Serão prazeres que nos irão custar bem caro no futuro !
    Bibliotecas são outra questão. Há muita "história" antiga na literatura que tem que ser preservada e continuada a ser disponibilizada aos leitores, como serviço público !
    Pior ainda a situação dos jornais diários, recordo de quando comprei o último !

    Abraço ! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu continuo a acreditar nos livros, no suporte em papel, Rui.
      Para que isso aconteça é necessária a existência de grandes bibliotecas, bem equipadas, modernas, multifuncionais, agradáveis de visitar.
      Aquele abraço

      Eliminar
  16. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Que gozo mor saber desta auspiciosa iniciativa advinda do Poder Público de Macau.
    Caloroso abraço. Saudações leitoras.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O poder político quer (algum, porque o Chefe do Executivo tem primado pelo silêncio...).
      Os senhores deputados têm dúvidas e propostas perfeitamente estapafúrdias, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Aquele abraço

      Eliminar
  17. Grande verdade, Pedro! «É preciso ter vistas largas; mente aberta»!! Muito bem!!

    (Cá em Portugal pessoas assim são amarfanhadas e postas de lado. Quanto mais "marasmo" melhor...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se fosse só em Portugal, Graça...
      Os deputados em Macau são tão maus, tão fracos, tão curtos de vistas e inteligência que até dói.

      Eliminar
  18. E o edifício da fotografia é o ideal para uma grande biblioteca.
    Muitos visitantes e Macaenses iriam lá de certeza, nem que fosse para visitar um local de referência.
    Boa sexta-feira.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É este o edifício, Maria Araújo.
      Quando cá cheguei ainda era ali que estavam instalados os Tribunais.
      Não havia condições para ali continuarem.
      E foram transferidos.
      O Tribunal Judicial de Base, a primeira instância, para um edifício comercial, por exemplo.
      Brilhante!
      Desde então este edifício está semi-abandonado.
      E a pedir aproveitamento.
      Uma biblioteca ali seria uma solução perfeita.
      Ainda gostava de perceber exactamente porque é que os senhores deputados se opõem à ideia...
      Boa sexta-feira.

      Eliminar