28 de fevereiro de 2017

As minhas ideias e o seu dinheiro? Vamos em frente!


As minhas ideias e o seu dinheiro? Vamos em frente! 
Era assim que o sogro de um bom amigo costumava definir de forma jocosa uma boa política financeira.
Lembrei-os ontem ao ler as declarações de Wu Zhiliang, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Macau.
A Fundação Macau que é o exemplo mais perfeito das ideias supracitadas.
O que é mais extraordinário é que, com o dinheiro dos outros e ideias próprias, ainda haja o desplante de apresentar resultados financeiros que se querem fazer passar por extraordinários, e resultantes do brilhante trabalho do organismo, quando não são nem uma coisa nem outra.
Quase 30 mil milhões de patacas de reserva financeira é realmente muito dinheiro e é realmente mais de dezasseis vezes o valor inicial (valores de 2001, porque se recuarmos aos anos oitenta do século passado esses valores seriam brutalmente maiores) que era detido pela Fundação no ano de 2001.
Os valores apresentados podem impressionar o leitor mais incauto ou mais desatento.
Mas, se pensarmos que as receitas da Fundação Macau estão concentradas no valor de 1.6% do bolo anual do Jogo, estes valores já não serão assim tão impressionantes nem tão extraordinários.
Recuemos a 2001, a data que Wu Zhiliang apresenta como ponto de partida, para perguntar qual foi o crescimento das receitas do sector do Jogo desde essa data até à actualidade.
Muito mais que dezasseis vezes, não é?
E a pergunta que anda a pairar há muito tempo na voz popular, e que Wu Zhiliang julga ter respondido com as suas declarações, acentua-se.
Em tempo de Oscar, e para citar um momento famoso no cinema (Cuba Gooding Jr. em  Jerry Maguire), temos que continuar a perguntar - "Where is the money? Show me the money!"

18 comentários:

  1. Ora nem mais, com o dinheiro dos outros é tudo muito simples e fácil =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sobretudo quando o dinheiro não pára de entrar e entra aos biliões, Chic'Ana.
      Não gosto nada que me atirem areia para os olhos.
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Estou a lembrar-me de uma quadra de António Aleixo sobre o dinheiro e da razão que assiste no que diz....

    Tudo de bom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta Fundação distribui dinheiro em montantes obscenos, São.
      A muito poucos e muito seleccionados recipientes.
      Têm aquela reserva multimilionária?
      Deviam ter muito mais.
      Tudo de bom também

      Eliminar
  3. Aí amigo o doce sabor do dinheiro, tem sempre
    "os espertos" que o sabem usar, mesmo quando
    não lhes pertence.
    Um abraço, amigo.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acham-se mais espertos do que na realidade são, Irene Alves.
      Na realidade são só chico-espertos.
      Um abraço

      Eliminar
  4. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Fico cá a divagar como seria nosso modo de vida sem o mercantilismo.
    Caloroso abraço. Saudações divagadoras.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Puro e descarado nepotismo, Amigo João Paulo de Oliveira.
      O que é absolutamente revoltante.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Uma verdadeira aberração ! :( ... A uma Fundação, como essa, sustentada pelo "Jogo" e com milhões seria muito fácil apresentar
    "obras" e bons resultados sem subterfúgios de qualquer espécie. ! :(
    Se a situação não é essa é revoltante ! :(

    Abraço :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem lhe passa pela cabeça o quanto, Rui!
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Deduzi que é mais um lamentável caso de corrupção...
    Beijinho
    ~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não posso falara em corrupção, Majo.
      Distribuição incompreensível e inaceitável de fortunas pecaminosas com dinheiros públicos, isso sim.
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Onde está o dinheiro? Como diz a cançaõ, "o gato comeu"...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O estupor do bichano anda a comer muito, Carlos.
      E um pouco por toda a parte.

      Eliminar
  8. Olá Pedro
    Muito obrigado pela sua presença, no meu blogue.

    Eu acredito que, a quem está fora de Portugal, as saudades tenham outro peso.

    Sobre este seu post
    também não gosto nada que me atirem areia para os olhos.

    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é que gosta, tulipa?
      Quando nos querem comer por parvos temos que bater o pé.
      Beijos, uma boa semana

      Eliminar
  9. Dinheiro...
    Nao vou falar de algo que não tenho e adorava ter.
    Kis :={

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes têm MUITO!
      E distribuem MUITO.
      Mas quase sempre para os mesmos recipientes, os mesmos destinatários.
      Bjs

      Eliminar