25 de janeiro de 2017

Not so fast Theresa


Seria já em Março que Theresa May teria a intenção de iniciar formalmente o processo conducente à saída do Reino Unido da União Europeia.
A mesma Theresa May que estaria até disposta a invocar uma prerrogativa real para accionar esse abandono do sempre eurocéptico Reino Unido.
Seriam duas novidades num só acto - um governante a invocar um poder real e um membro da União Europeia a abandonar formalmente a organização ao abrigo do disposto no artigo 50 do Tratado de Lisboa.
O texto está no condicional porque o Supremo Tribunal veio travar a euforia de Theresa May e dos britânicos que a acompanham nesta eterna desconfiança perante a União Europeia e as suas instituições.
Para accionar o artigo 50 do Tratado de Lisboa Theresa May terá que obter previamente a autorização do Parlamento.
Theresa May, que já anunciava publicamente um Brexit rápido e limpo, sofreu um duro revés com esta decisão do Supremo Tribunal, claramente uma derrota política para a governante e os seus apoiantes.
O Parlamento poderá até confirmar o resultado do precipitado referendo e o efectivo abandono da União Europeia.
Mas o processo conducente a esse abandono será pelo menos mais moroso e mais burocratizado do que Theresa May pretendia.
Not so fast, Theresa, foi este o veredicto dos juízes do Supremo Tribunal. 

38 comentários:

  1. O Brexit pode ser a machadada final na "União" Europeia que tão mal tem sido governada. É lamentável o que se passa nesta Europa.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se ao Brexit se seguir uma vitória de Marine Le Pen em França é mesmo o ponto final, Francisco.
      Vamos aguardar e ser optimistas.
      Aquele abraço

      Eliminar
  2. Este será o fim do UK tal qual o conhecemos, Pedro.

    Abraço.

    ResponderEliminar
  3. Não consigo decidir na minha cabeça se todas estas cambalhotas burocráticas serão algo bom ou mau. Certo é que assistimos a um tempo histórico, de mudança. Esperemos que, por uma vez, seja uma mudança para melhor, aprendendo com os erros do passado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os sinais que nos são transmitidos não vão nesse sentido, Briseis.
      Esperemos para ver.

      Eliminar
  4. Temos mesmo de ser otimistas com tudo o que se está a passar no mundo nesta altura...
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só nos resta isso, Chic'Ana.
      Optimistas mas de olhos e ouvidos alerta.
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Seria óptimo que nos responsáveis começassem a reflectir seriamente nas causas que nos levaram à situação em que nos encontramos ( e falta ainda ver se a Pen vence em França), infelizmente só ouço falar em vaga de populismo - como se ela surgisse do nada.

    E depois dizem estupidamente que a História acabou e que não se repete!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes líderes populistas não nascem por geração espontânea, São.
      Se as lideranças políticas e os cidadãos ainda não perceberam isso andam a dormir.
      E quando acordarem são capazes de ter uma grande surpresa.
      Das desagradáveis.

      Eliminar
    2. Concordo de todo.

      O que lamento é que quem já se apercebeu também sofrerá as consequências :(

      Eliminar
    3. Vamos levar todos, São.
      Os que têm mais culpas e os que não têm culpa nenhuma.

      Eliminar
  6. Por que motivo Theresa May estava com tanta pressa?
    No Reino Unido da Grã Bretanha reina a confusão tal como noutra coisa unida que é, dizem, europeia.

    Estará mais perto o fim da dita (des)União?

    Um abraço


















    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se Le Pen ganhar em França é o fim, António.
      Uma UE puxada só pela Alemanha?
      Nem pensar nisso.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Tratados, veredictos, prerrogativas, etc.
    E o povo ainda dando braçadas na maré, pois remos
    nem existe mais...
    Por aqui pelo menos e em alguns países a coisa está assim.
    Bom finzinho de mês.
    Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fim de mês que coincide com o início do Ano Novo Lunar, A Casa Madeira.
      Uns dias de repouso para a malta aqui em Macau.
      Abraços

      Eliminar
  8. Acessei seu blog para conhecer =)
    Inteligente =)

    Beijinhos ♥
    ☆Blog Resenhas da Pam☆

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amanhã prometo visitar o seu blogue, Pamela Sensato.
      Beijinhos desde Macau

      Eliminar
  9. Há Theresas que só dão mau uso ao nome... ;)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta Theresa não fazia faltinha nenhuma, Teté.
      Especialmente nesta altura do campeonato.
      Como se já não houvesse populistas em demasia...
      Beijocas

      Eliminar
  10. Creio que todos estes cenários ainda possa vir a ser "salvos" por um mau desempenho de Trump ! Se assim for, isso poderá constituir um alerta para a Europa !
    Não sei é se haverá tempo suficiente para se avaliar devidamente e se tirarem conclusões ! :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu receio é que, entretanto, a própria Europa (Reino Unido, França, Holanda), entre num processo de auto-destruição, Rui.

      Eliminar
  11. A situação está cada vez mais complicada na Europa. Se calhar é por isso que a senhora está tão apressada. Não dizem que quando o navio se afunda os ratos são os primeiros a saltar?
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os ratos estão no poder ou perto disso, Elvira Carvalho.
      Quando é assim não saltam do navio, vão aos comandos.
      Abraço

      Eliminar
  12. pois Pedro, não se compreende porque é que os países mais ricos se queixam tanto e parecem tão insatisfeitos ! querem mudanças, mais riquezas, reclamam que são enganados, e que não os irão enganar mais, que os acordos estão a tramá-los e devem ser renegociados ?!
    como dizia o outro : "tirem-me deste filme"!
    boa noite Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Puro populismo, Angela.
      Que está a dar resultado em muitos países.
      Para mal de todos nós.
      Bom dia de quinta-feira

      Eliminar
  13. Já aquando da proclamada saída do Reino Unido da zona euro, se falou que isso de accionar o artigo 50 do Tratado de Lisboa não seria atar e pôr ao fumeiro, Pedro. Falou-se, então, num período de tempo não inferior a 2 anos, tal a burocracia envolvida.
    Não sei porque a Theresa May está tão apressada se ela sabe bem disso. Mas isto sou eu a botar faladura, claro! :)

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dois anos é o tempo que previsivelmente será necessário para completar o processo de abandono formal da UE, Janita.
      O que Theresa May pretende é que esse processo se inicie...ontem.
      Beijinhos

      Eliminar
  14. Não tarda muito e andamos todos a querer voltar atrás...
    Europa única é um a utopia
    Kis:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ainda quero acreditar nessa utopia dos grandes pais fundadores, AvoGi.
      O drama é que a esses grandes visionários sucederam uma série de figurinhas sem o mínimo de qualidade e qualificações.
      Bjs

      Eliminar
  15. Boa noite
    Passando para te desejar um feliz começo de 2017 que vc tenha paz , sáude e amor e muita tranquilidade. Adoro tudo o que vc escreve. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um abraço, Brisa Petala.
      Tenha um óptimo 2017, um excelente Ano do Galo (começa no sábado).
      Fico muito feliz e sensibilizado com as suas amáveis palavras.

      Eliminar
  16. Cada vez mais as lideranças politicas estão falidas!

    Beijinho Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E cada vez são mais fracas e populistas, Adélia.
      Triste sorte :(
      Beijinhos

      Eliminar
  17. Parece que a Theresa é um bocadinho dura de ouvido, Pedro. O processo vai iniciar-se já no dia 31 ( terça feira)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela é que se vai meter num grande 31, Carlos.
      Só nos faltava esta parva!

      Eliminar
  18. Ora, esta nova gente velha que adora bebés encantadores esqueceu-se da necessidade de se lhes limpar o rabinho; mudar-lhes a fralda tem os seus riscos. Esta gente nova velha já se esqueceu...
    BFS, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E com isso deixa a m€rd@ cagar todos, Agostinho.
      Bfds

      Eliminar