10 de novembro de 2016

No matter what happens the sun will rise in the morning


Em democracia a vontade popular é soberana.
E os resultados eleitorais têm que ser aceites (ainda que saiba que quem ganhou nunca prometeu aceitar…).
Ainda me custa acreditar que a mais poderosa Nação do Planeta escolheu para seu líder alguém como Donald Trump.
O mesmo Donald Trump que Macau recusou como um dos possíveis concessionários do sector do Jogo.
Mas essa é a realidade e é com essa realidade que vamos todos ter que viver.
Pelo menos nos próximos quatro anos.
Mais do que estar a criticar os americanos, ou procurar as razões que possam explicar este resultado eleitoral, que confesso não antevia, resta-me respeitar esses resultados eleitorais e manter a esperança, ainda que ténue, que o Presidente Donald Trump seja alguém muito diferente do candidato Donald Trump.
E afirmar juntamente com a saudade que já é Barack Obama – “no matter what happens the sun will rise in the morning”.

53 comentários:

  1. Que saudades já tenho do casal Obama.Um dos casais mais carismáticos da Casa Branca do meu tempo.

    Neste momento milhares de manifestantes percorrem as ruas de 7 cidades americanas.... contra Trump.

    Eu diria que os resultados das eleições por serem tão surpreendentes e inacreditáveis podem ser considerados "cisne preto".

    C

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos temos saudades dos Obama, Catarina.
      Mas temos que ouvir Barack Obama e ter a atitude que ele tem e dá título a este post.

      Eliminar
  2. Donald Trump ganhou as eleições norte-americanas com base numa campanha anti-sistema. A pobreza é cada vez maior e o racismo aumentou sem precedentes, nos oito anos de Obama na Casa Branca.

    Hillary Clinton pede que os americanos deixem o Donald Trump trabalhar — eu peço o mesmo aos alemães e aos portugueses.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ganhou limpinho, limpinho (Jorge Jesus) depois de uma campanha muito sujinha (Vítor Pereira), Teresa.
      E tem que se respeitar a vontade de quem votou nele.
      Tão simples quanto isso.

      Eliminar
  3. Se os americanos não tivessem o sistema electoral college não seria trump a ganhar mas sim hillary.

    C

    C

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas o sistema eleitoral americano é aquele, Catarina.
      Toda a gente conhecia as regras do jogo.
      E foi com essas regras que jogaram.
      Hillary teve mais votos?
      Teve.
      Mas o que conta é o número de delegados eleitos.

      Eliminar
  4. Mas Pedro, não é que eu dizia a toda a gente a minha volta que o sr. Trump iria ganhar ?! até fico surpreendida por ter pensado nisso é que "cão que ladra tranquiliza o dono"!
    o certo é que as promessas dos outros politicos, estamos habituados a que não sejam cumpridas, e até talvez aconteça o mesmo com este :)
    feliz dia Pedro
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu espero bem que o Presidente Trump seja bem diferente do candidato Trump, Angela.
      E acredito que o será.
      Dias felizes, Angela

      Eliminar
  5. Dois péssimos candidatos e a Hillary faltou-lhe a garra numa campanha nunca vista. Não conheço a realidade interna dos States, mas acho que esta votação foi mais na base da sede pela "mudança" onde o poder do dinheiro fala mais alto.

    O certo é que nos bastidores todos vão almoçar juntos e em franca cavaqueira e respeito a vontade expressa nos ou pelos votos.

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é segredo para ninguém que as famílias Trump e Clinton são amigas, Fatyly.
      Defrontaram-se em campanha eleitoral mas são amigos.
      Beijos, um bom dia

      Eliminar
  6. Pois... mas olha que aqui chove!
    Sol, nem vê-lo!! :/

    Beijos assustados com o futuro
    (porque se na política interna norte-americana não temos que meter bedelho, já na política externa comemos todos por tabela)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Idem em Macau.
      Com a vitória do Trump até a temperatura desceu :))
      Falando sério, não acredito que o louco seja tão destravado como Presidente como foi enquanto candidato.

      Beijos, confesso que também algo receosos

      Eliminar
  7. Vá, resta-nos pensar que o Presidente será diferente que o candidato.
    Mas a campanha foi toda ela uma vergonha mundial! Nisso, foram reis!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas nisso foram ambos perfeitamente reles, Golimix.
      Uma campanha vergonhosa e entediante.

      Eliminar
  8. O homem é péssimo mas não é esse o problema maior. O problema está na chusma de gente que se irá encostar a ele para as negociatas: petróleo, armamento e outras que tais. E que se lixem as alterações climáticas e outras mariquices. Não nos podemos esquecer que o sr. presidente não passa de um pato-bravo que enriqueceu.
    E assim vai o mundo.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Insisto na ideia de ver no Donald Trump Presidente dos Estados Unidos alguém muito diferente do Donald Trump candidato, Agostinho.
      Se não for assim estamos todos tramados.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Não me quero alongar no comentário.

    Comecemos pelo sistema eleitoral, que me deixou completamente perplexa aquando daquelas contagens e recontagens que fraudulentamente levaram Bush filho à Casa BRanca.

    Ainda não entendi o que são os Grandes Eleitores e, por lógica existem Pequenos Eleitores, que também não faço a mínima ideia de quem ou do que sejam.

    Os EUA ,para mim e há muitas décadas, têm uma sociedade patológica , inculta e arrogante - e esta eleição de alguém tão primário como Trump só o prova.

    A criatura disse que se alguma vez se candidatasse seria como Republicano pois as bases acreditam em tudo.Talvez seja essa a razão que leva pessoas a crerem que como Presidente actue melhor do que se espera.Lamento , mas não consigo ser tão optimista... mesmo que assim seja, será sempre uma má presidência.

    E o que se passa é um "dejá vu", pois já tivemos Berlusconi em Itália.


    O mal é que se internamente não temos nada com o assunto, a política externa da única potência mundial da actualidade vai afectar-nos e muito.

    E ainda nos falta saber o que se passará em França...

    E fico por aqui.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que me preocupa mais é que o poder ficou todo concentrado nas mãos dos Republicanos, São.
      Se houvesse algum contrapoder Trump não poderia abusar.
      Assim tenho receio que abuse e muito.
      Vamos pensar positivo.

      Eliminar
  10. A surpresa foi total meu amigo, mas infelizmente o sistema americano limita muito as escolhas e tenho pena que tivessem afastado Bernie Sanders, com ele a história seria outra.
    Um abraço e continuação de boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A rejeição dos políticos de carreira, que Hillary Clinton tão bem personifica, foi clara, Francisco.
      Poderia ser diferente com Bernie Sanders?
      Nunca saberemos.
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. Custa muito acreditar não é? É esperar para ver o que nos reserva..
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não temos outra alternativa, Chic'Ana :(
      Beijinhos

      Eliminar
  12. É verdade, nunca pensei ... se bem que um presidente não manda assim tanto, o pior é se quem estiver por perto for tão doido como ele.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E não esquecer que os Republicanos agora concentram todo o poder, Isabel.
      Bjs

      Eliminar
  13. Exatamente assim, como disse "Barraca Abana" (estou a brincar), o sol vai continuar a nascer todos os dias, nos EUA e no mundo inteiro (ai, não sei se nos polos, nascerá...), pke "cão", k ladra não morde e nos States, o pessoal tem as suas características (pra mim, bizarríssimas, estranhíssimas, doudíssimas, mas são as deles. E?).
    Todos as campanhas eleitorais americanas a k tenho assistido, são sempre tipo "desgarrada", um diz mata, o outro, "à fadista" responde, esfola-se, e até podem ser amigos fora da política, com o é o caso destes 2 candidatos/famílias, portanto esta eleição não poderia ter sido exceção, pke é assim o sistema, as pessoas, a maneira de ser do povo americano e "prontos" (duas embalagens).

    Não vou dizer k Donald Trump ganhou por isto, mais aquilo, mais aqueloutro, mais o facto de ter uma mulher como opositora, política, apenas, entenda-se, mais o colégio eleitoral, mais não sei que mais, enfim, mtos mas, mas mtos estavam certos de k seria Hillary a ganhar, pke Trump é "desmiolado", é bla bla bla, mas enganaram-se mais uma vez (meus queridos, comecem a fazer prognósticos só no fim do jogo, como dizia João Pinto, creio). Isto faz-me logo lembrar as eleições legislativas em Portugal, sim, eu sei que estou a comparar uma formiga com um elefante, mas aconteceu o mesmo, e ganhou a PEF, inexplicavelmente, pke quase toda a gente disse cobras e lagartos, raios e coriscos, dessa governação, k foi obrigada a tomar medidas impopulares, duras, difíceis pra toda a gente, mas ganhou, pke todas as sondagens ou quase, davam a vitória ao PS e associados, tal como quase todos pensavam k na América, ganharia Killary (estou a brincar) e não Trump.

    Estou mto contente com a vitória de Donald Trump + o seu estimado capachinho (ai, k "cabelo")! e as coisas vão continuar, infelizmente, mais ou menos na mesma e tanto a fazer naquela sociedade! Não se preocupem com a interferência de Trump, dos EUA no mundo, na política externa, pke ele não vai fazer, INFELIZMENTE, repito, quase nada do k disse.

    Beijos, Pedro!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também acredito nisso, CÉU.
      E acredito numa presidência muito mais voltada para dentro do que para fora.
      Vamos aguardar e ver.
      Beijinhos

      Eliminar
  14. Exato, Pedro. Dedos cruzados, torcendo pela paz mundial.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não nos restam muito mais alternativas neste momento, não é, Rosa Mattos? :(

      Eliminar
  15. Pois é em democracia o voto é soberano.
    Temos, sem dúvida, que respeitar.
    Mas eu temo. Espero que o tempo comece
    a dar respostas.
    Um abraço, amigo.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos todos à espera para perceber o que de ali vai sair, Irene Alves.
      Um abraço

      Eliminar
  16. Sublinho, pela concordância, o último parágrafo do seu texto.
    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ant'nio,
      Não temos muito mais alternativas, não é?
      Aquele abraço

      Eliminar
  17. Eu penso que o discurso de Trump foi sempre muito mais fácil de entender! Ele sempre disse o que muitos pensam e não ousam dizer e encontrou palavras fáceis para que qualquer um pudesse entender não fez discursos políticos, falou como quem fala no café com os amigos...e os americanos gostaram!!!
    Também acho que os Democratas subestimaram o adversário e quando deram conta já nada havia a fazer.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há muitas razões para explicar a vitória de Trump, papoila.
      Se for lendo os comentários verá que estão todas espalhadas por aqui.
      Vamos ver o que será presidência de Trump...
      Bjs

      Eliminar
  18. Eu escacho-me a rir e tenho até dificuldades em suster as "águas" com os lamentos e choros de viuvez, destes apaniguados da Hilária! Então os americanos andam a dormir? Ou andam fartos dos politicamente correctos, que se fartam de chular quem cria riqueza e trabalho e têm tempo para masturbações ideológicas tipo comentários e palpites á politólogos(?) que o que querem é que lhes encham de bolota a gamela, pois trepar não é com eles e dá trabalho. A América votou mais uma vez e escolheu concerteza o melhor candidato. Quem acha que perdeu trate de se por a trabalhar arduamente, para ganharem para a próxima em vez de gritar e chorar a "viuvez ou orfandade do poder". Até se tem visto, por agora, o retomar do bom senso do mulato Obama, que indevidamente e acompanhado pela sua esteátopigica senhora, andaram a fazer campanha pela Hilária. Afinal esta senhora já tem provas mais que dadas. Está na idade de ir para casa ao fim de 40 anos de poder, trambiquice e falas mansas. Dêem o lugar a outros, larguem o gamelo! Cumprimentos para si.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vamos ver se, com o andar da carruagem, não se soltam as suas águas, e as de outros, por causa das trapalhadas que este tipo fará, aguerreiro.
      Depois de Bush ter feito a trampa que fez vamos ver se este ainda não fará pior.
      Espero, para o bem de todos, porque o que acontece na América afecta todos, que não seja o desastre que parece ser.
      Cumprimentos para si

      Eliminar
  19. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Certamente tu vistes no vagão do Expresso do Oriente, sob meu comando e na minha página do facebook como fiquei sem chão com a vitória desde agora Presidente preconceituoso e belicoso.
    Somente me resta rogar:
    Max, traga meus sais centuplicado dilúidos numa xícara de chá de inquietação.
    Caloroso abraço. Saudações desencantadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não nos resta outra alternativa que não seja esperar pelo melhor.
      Ainda que temendo o pior, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Aquele abraço

      Eliminar
  20. O povo vota naquele com o qual se identifica melhor. E isso é assustador neste caso.

    Mas é bem verdade: “no matter what happens the sun will rise in the morning”. Que linda frase! Poética. E fez-me lembrar a frase com que termina o extraordinário filme «Gone with the wind» - «Tomorrow is another day!»

    Beijinhos otimistas, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos que ser optimistas, Graça.
      Se não formos ainda damos em doidos antes de Trump começar a governar.
      Beijinhos

      Eliminar
  21. O Trump ganhou porque a Hilary ja cheirava mal, muinto tempo. Colada ao Obama, boa Pessoa pessimos programas. Eu Votei por Obama em 2008. Votei no passado dia 8 por Johson/Weld no 5 distrito de CONN, LIBERTARIAN PARTY.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Augie Cardoso, Plymouth, Conn.
      Como deve ser melhor que eu, muitos dos seus correlegionários do Partido Libertário (Bill Maher é o melhor exemplo) votaram Hillary apenas na perspectiva de derrotar Trump.
      Mas dúvidas não restam que Hillary, não sendo mobilizadora em campanha, já cansava muitos americanos.
      Não acredito que esses americanos tenham votado Trump.
      Acredito muito mais que façam parte do número brutal da abstenção.

      Eliminar
  22. Não me surpreendeu. Primeiro, quando dois candidatos são tão maus que não interessam ao Menino Jesus e o diabo foge deles a escolha pode recair em qualquer um deles. Segundo, a América engoliu um sapo do tamanho de um boi com a eleição de um candidato negro, da última vez. E agora apresentam-lhe a possibilidade de engolir outro com uma mulher?
    Terceiro, a América está desejosa de mudança, e Trump ofereceu-lhes um discurso de mudança. Por vezes exagerado até. Mas era o que eles tinham à mão para mudarem.
    Quarto, penso que o Trump presidente não será semelhante ao candidato. Penso sinceramente que daqui a 4 anos estaremos todos a dizer que afinal o diabo não foi tão mau, como ele próprio se pintou.
    A ver vamos como diz o cego.
    Um abraço e bom fim de semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também tenho essa esperança, Elvira Carvalho.
      Que o eleito seja muito diferente do candidato.
      Um banho de realidade faz muito bem a muitas cabeças quentes.
      Um abraço, bfds

      Eliminar
  23. Pedro, a princesa resistiu em sair do "palácio" de DC e deu...m#$d@!!! :((((

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse foi um dos grandes trunfos de Trump, Ricardo.
      Saber os Estados que tinha que conquistar.
      Esperto o tipo é.
      Aquele abraço

      Eliminar
  24. Saudades de Obama?

    O caro Pedro Coimbra está muito iludido! A ler:

    http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/11/goodbye-murderer.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu e uns largos milhões, João José Horta Nobre.
      Valham-nos os visionários como você, não é?

      Eliminar
    2. O Pedro Coimbra e esses "largos milhões" deviam de dizer isso é às centenas de milhares de sírios e líbios que ficaram com a vida destruída graças à "brincadeira" que o Obama e os seus amigos sionistas provocaram no Médio Oriente.

      Aqui tem mais uma, Obama o Nobel da "Paz" acordou o maior pacote militar de sempre entre os Estados Unidos e Israel:

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/09/alguem-me-explique-o-que-e-que-os.html

      Eliminar
  25. Concordo com a primeira frase e com a citação de Obama, que obviamente vai deixar saudades... ;)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já é uma saudade, Teté.
      É a vida...
      Beijinhos

      Eliminar
  26. Respostas
    1. Não adianta nada chorar agora.
      É necessário estar atento e perceber como é que se chegou aqui.

      Eliminar