30 de novembro de 2016

Morpheus


Está apresentado o quinto hotel do complexo City of Dreams.
Desenhado por Zaha Hadid, o Morpheus é um projecto arrojado, totalmente novo, totalmente diferente dos que já existem e estão em funcionamento, que promete tornar-se num ícone do Centro Internacional de Turismo e Lazer que Macau ambiciona ser.
O génio de Zaha Hadid está bem patente na silhueta do edifício e nas soluções arquitectónicas que o mesmo encerra.
A Melco Crown Entertainment, reconheça-se essa virtude, tem procurado inovar nos seus projectos em Macau, tem procurado soluções que sejam únicas em Macau e que se constituam num factor extra de atracção para quem pretende visitar esta cidade que é Região Administrativa Especial da China.
Mérito de Lawrence Ho e seus pares que fugiram à solução simples e simplista de copiar em Macau projectos já existentes noutros locais e que nada têm a ver com a cidade.
Já é tarde para remediar o erro cometido quando não se exigiu, ao contrário de Singapura, que os concessionários apresentassem projectos arquitectónicos totalmente novos e inclusivamente se fizesse desses projectos um dos factores preferenciais na escolha dos concessionários. 
Já não se podem deitar abaixo os Venetian, Parisian, Wynn.
Mas pode-se sempre, no presente e no futuro, caminhar noutro sentido e procurar ir ao encontro da imaginação e do arrojo que tão arredios têm estado dos projectos das concessionárias do Jogo em Macau.
Chapelada para a Melco Crown Entertainment! 

39 comentários:

  1. très chique Pedro!
    efetivamente a inovação merece ser valorizada quando inclui novos valores :) bom dia para si
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Angela,
      Sempre defendi a ideia que o Governo de Singapura adoptou.
      Os candidatos a uma licença de Jogo em Macau deviam dotar a cidade de obras de arquitectura marcantes.
      Foi assim que Singapura conseguiu que o mesmo Sheldon Adelson que aqui replicou o Venetian e o Parisian de Las Vegas, já no conceito original bastante saloios o que fará na cópia, essa mesma Las Vegas Sands construísse em Singapura o Marina Bay Sands.
      Que, a par do famoso leão, são imediatamente reconhecidos como obras marcantes de Singapura.

      Eliminar
  2. Muito interessante. Efetivamente o a inovação devia estar sempre presente, em qualquer cidade, pois é isso que lhe dá identidade
    Um abraço

    R Analepse? E eu sabia o que isso era? Bom agora já sei, o Dr. Google explicou-me

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era isto que eu pretendia para Macau, Elvira Carvalho.
      Prédios que, assim que se olhe para eles, se pensa em Macau.

      A história que está a contar segue esse formato (analepse), não é?

      Um abraço

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Se não estou em erro foi o último edifício que Zaha Adid projectou, Golimix.
      E Macau ficará assim com o último edifício projectado por Zaha Adid, o último edifício projectado por Y. M. Pei, um (espero que não seja o último) projectado por Siza Vieira (vamos ver se acabam as confusões e as guerras de capelinhas e podemos ter aqui uma obra do mestre Siza Vieira.
      Isto é muito importante.
      Muito mais que cópias de cópias (Venetian, Parisian) ou simples cópias (os dois Wynn).

      Eliminar
  4. São estas obras que fazem a diferença nas nossas cidades felizmente que a maioria dos novos edifícios são assinados por arquitectos e alguns de renome mundial, antigamente era os eng. civis que o faziam e está à vista o mau gosto que estes espalharam por tudo quanto era sitio.
    Um abraço e continuação de boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui tivemos uma possibilidade única de dotar a cidade de edifícios icónicos, marcantes, com a abertura do Jogo< Francisco.
      Isso não foi feito então pode ser feito agora e no futuro.
      O que está para trás já não tem remédio :(
      Aquele abraço, continuação de boa semana

      Eliminar
  5. Bonito, Pedro, porém, aflige-me a "saturação", em termos de índice de construção em Macau, deve ser um ambiente claustrofóbico.

    Acrescentar que prefiro algo original a uma qualquer cópia.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A zona de maior saturação de construção e de população é longe, se é que em Macau se pode falar de longe, desta, Ricardo.
      Esta é perto de minha casa e até é bem arejada.
      Tem é obras a mais por enquanto.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. É imponente, disso não há qualquer dúvida! =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É muito bonito, Chic'Ana
      E acho que é mesmo a última criação de Zaha Adid
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Estes edifícios enormes afligem-me, principalmente quando estou no interior.

    Bonito, é.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se não estou em erro, 36 andares, São.
      Há aqui bem mais altos.

      Eliminar
  8. Estaremos na presença de um oásis no âmbito da construção?
    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, António.
      Os hotéis deste grupo económico são todos diferentes e todos únicos.
      E há mais edifícios bonitos em Macau.
      Mas muito mal divulgados.
      Nomeadamente o Centro de Ciência, a última criação de mestre Y.M.Pei
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Passei um mês em Macau, há uns anitos e impressionou-me a arquitectura dos casinos e hotéis, este tal como os que vi deve ser mais uma obra excelente dessa terra que adorei conhecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Atrevo-me a dizer que este é muito provavelmente o mais bonito, Manu.
      Um projecto marcante.

      Eliminar
  10. Os edifícios são muito bonitos. Se também forem funcionais, é a conjugação perfeita... :)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os edifícios que se vêem na imagem são do mesmo grupo - Melco Crown Entertainment.
      Que tem como sócio Laurence Ho, filho de Stanley Ho, Teté.
      E ele é dos que sabe o que é Macau e gosta de Macau.
      Beijocas

      Eliminar
  11. Onde estão os parques?
    Toronto também está a ficar saturada de arranha-céus. Estes edifícios já nada me dizem. Gosto de ver espaços abertos, horizontes alargados...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Catarina,
      Apesar de se estar a alargar cada vez mais para o mar (aterros) Macau sofre de um crónico problema - falta de espaço.
      Com os novos aterros serão, mais coisa menos coisa, 33 quilómetros quadrados.
      Não dá para muita coisa...

      Eliminar
  12. OURO DE LEI NA NOSSA TRAVESSA

    Depois de vários lamentos, críticas e, mesmo, de algumas tentativas de agressão originados pelo último texto A velha e o cão cujo final foi abundantemente censurado, publico hoje OURO DE LEI que termina em felicidade risonha e total. Ficaria muito satisfeito se os comentários desta feita fossem mais agradáveis. Peço, ainda, o subido obséquio da divulgação possível desta informação. Muito obrigado.

    Qjs & abçs do Henrique, o Leãozão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daqui a bocado passo lá.
      Aquele abraço para ti, beijinhos para a Raquel

      Eliminar
  13. Então desta vez o amigo concorda. Óptimo.
    Abraço, amigo.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deste tipo de realizações, com inovação, imaginação, arrojo, eu gosto sempre, Irene Alves.
      Quando me dão cópias das cópias de Veneza e Paris, em Macau!!!, é que não acho piada nenhuma.
      Um abraço

      Eliminar
  14. São todos lindos; mas realmente dá pra ter
    novas ideias...
    Obrigada pela presença lá na casa em minha ausência k.
    Crise de blogueiro... não sei; mas me deu uma vontade de parar.k
    Abraços
    janicce.

    ResponderEliminar
  15. Oi Pedro deixei comentários neste post mas não sei se gravou...
    De qualquer forma abraços e um bom final de semana que se inicia.
    janicce.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os blogues são uma distracção, um prazer, não uma obrigação, janicce.
      Quando não há paciência, vontade, inspiração, para-se um bocado para descansar.
      Abraços, bfds alargado

      Eliminar
  16. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    O que nos espera?
    Caloroso abraço. Saudações desalentadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se forem realizações como esta eu até não me aborreço, Amigo João Paulo de Oliveira.
      O problema é que raramente têm esta qualidade.
      Aquele abraço

      Eliminar
  17. Efectivamente a fachada exibe muita leveza !
    Uma virtude face à altura.
    Laurence sabe que terreno quer pisar.
    Quanto ao Siza : Começa a ser complicado face ao seu estado de saúde, particularmente quanto à visão.
    Um abraço do Ocidente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Siza já podia estar aqui a trabalhar, João Menéres.
      E a fazer a recuperação do velhinho Hotel Estoril.
      Mas, como há para aqui uma série de básicos de m**@, resolveram recuar no convite que lhe tinham feito e ele tinha aceite para agora fazerem um concurso.
      Ao qual ele poderá concorrer, dizem essa luminárias.
      A possibilidade de ver o trabalho de Siza Vieira aqui em Macau afigura-se cada vez mais longínqua :(
      Aquele abraço a Oriente

      Eliminar
  18. Por fora o aspecto é óptimo. Resta saber se o interior corresponde

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, essa é agora a questão, Carlos.
      Esperemos que o interior não estrague o exterior.

      Eliminar
  19. Gosto de arquitetura e de edifícios bonitos e elegantes.
    É importante que o novo conjunto de edificios fique em harmonia...
    Muito sucesso para Macau.
    ~Bjos ~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os edifícios desta operadora, os que se podem ver ali na imagem (há um outro que aqui não se vê) são muito bonitos e fazem um lindo conjunto, Majo.
      Bjs

      Eliminar
  20. Dinheiro não falta por esses lados, não é, Pedro?
    O negócio é garantido pois o vício do jogo nunca acabará.

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. há muita ma$$a, Agostinho.
      Até porque a mãezinha China, que não deixa nada ao acaso, se certifica que não há falta de clientes e de $$$.
      Aquele abraço

      Eliminar