19 de outubro de 2016

O amuleto dos três vinténs



O Museu Etnográfico de Passos de Silgueiros emitiu mais uma das suas Peças do Mês. 
Nesta, do anexo, está muito bem descrito o “amuleto dos três vinténs”, uma pequena moedinha de prata que era pendurada no pescoço das meninas até ao seu casamento. 
Então, a jovem mulher casada entregava a moeda furada ao seu marido e dizia-se que ele que lhe tinha “tirado os três vinténs”.
As mães, as que podiam, ofertavam às filhas recém-nascidas uma moeda de três vinténs de prata, a qual era furada e colocada ao pescoço da criança, símbolo de pureza. 
A moeda só podia ser retirada pelo futuro marido e a portadora perdia então os três… vinténs.

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Conhecia a expressão, Sara com Cafe?
      Com esta explicação percebemos o quanto tem de ofensivo e degradante para as mulheres.
      Abraço

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Uma ideia absolutamente degradante para a mulher, Agostinho.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. rsrsrs... E no meu tempo começou-se por perderem os vinténs e ficar apenas a perda dos três ! rsrs
    Degradante mesmo, Pedro e sem qualquer nexo e efeito positivo !
    Quanto mal se fez a tanta jovem com essa ideia e seus efeitos práticos ! ... e a Igreja teve muita culpa nisso ! :(
    Ainda no meu tempo de jovem, qualquer rapariga que não fosse virgem dificilmente casaria ! :(( ... Que grande tolice e estupidez !!!

    Abraço !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda hoje em muitas pequenas localidades se fala nas meninas "puras", Rui.
      Parece mentira.
      Aquele abraço

      Eliminar