19 de outubro de 2016

Batota, grita Donald Trump


Realiza-se hoje o último debate entre os principais candidatos às eleições presidenciais norte-americanas marcadas para o próximo dia 8 de Novembro.
Um debate que tudo indica irá repetir o cenário de puro ataque pessoal que caracterizou os anteriores.
Com uma importante novidade - Donald Trump, cada vez mais afundado nas sondagens, cada vez mais abandonado mesmo pelos que eram seus apoiantes, não descurando os ataques pessoais (a acusação dirigida a Hillary Clinton de consumo de drogas é um bom exemplo disso), vira-se agora para um ataque ao sistema.
Um ataque que, para além de atingir Hillary Clinton, atinge o presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan,  um dos que abandonou o barco e a quem Trump não perdoa esta deserção.
Antevendo uma derrota que se anuncia, que cada vez  mais parece inevitável, Trump grita agora que há batota no jogo.
Um jogo no qual activamente participou, que até aqui voluntariamente jogou.
Batota porque os cadernos eleitorais supostamente incluirão milhares de potenciais votantes entretanto falecidos (a questão da actualização dos cadernos eleitorais, um eterno problema enfrentado praticamente por todas as democracias).
As perguntas são inevitáveis - essas pessoas faleceram todas durante a campanha eleitoral americana?
Donald Trump só agora tomou conhecimento da desactualização dos cadernos eleitorais?
Ou será que, para além de todos os defeitos que já se lhe conheciam, Donald Trump também se revela como um muito mau perdedor?

42 comentários:

  1. Eu ainda tenho de esperar até amanhã para ver o debate. Isto vai de mal a pior. Com que calma o presidente Obama (adoro este homem!) disse para Trump “to stop whining”!! : )))))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um debate que será mais um bom exemplo de same same but diferent, Catarina

      Eliminar

  2. Costuma ver Saturday Night Live? Alec Baldwin imita Trump muito bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A imitação que tanto irritou, Trump, Catarina :)))

      Eliminar
  3. Sabia que o casal Trump e o casal Clinton eram grandes amigos. As filhas continuam amigas.

    The Show Must Go On...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é a frase que resume a política americana, Teresa.
      Com muito raras excepções é isso mesmo - The Show Must Go On.

      Eliminar
  4. Já não tenho adjectivos para este homem. Também não gosto de Hillary, mas entre os dois que ganhe ela. Como foi possível Trump chegar aonde chegou é de dizer que o mundo anda mesmo louco.

    Pior...é que quando a a América espirra a Europa apanha uma constipação do caraças.

    Enfim!

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este fenómenos de populismo, dos quais Trump é só o mais conhecido dos exemplos, são assustadores, Fatyly.
      Este tipo não é só tudo o que de maus já lhe chamaram - é, acima de tudo, perigoso, muito perigoso.
      Beijos, um bom dia para Portugal

      Eliminar
  5. Sabes o que é uma vergonha?
    É esse anormal, que não poderá (ou até poderá... mas não aqui) ser chamado de outra coisa, estar na corrida à Casa Branca!!! Isso sim é de espantar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece impossível, não é, Golimix??
      Mas é inteiramente verdade :(

      Eliminar
  6. "Qualquer candidato que fizesse ou dissesse as coisas que Trump fez e disse era automaticamente excluído pelo povo português. Não estou a referir-me ao seu racismo: a extrema-direita cresce exponencialmente também na Europa. Estou a falar da sua nítida, palpável e manifesta estupidez. Há uma grande avanço civilizacional, para não dizer intelectual, do cidadão comum europeu em relação ao cidadão comum norte-americano. Nós já não vamos com merdas óbvias. Os truques baratos e a estupidez pornográfica são imediatamente denunciados. É por isso que Obama, na segunda eleição, ganharia por uma margem brutal na Europa e na sua terra não foi assim. Eles estiveram na iminência de eleger um mórmon psicopata. Não há comparação possível entre os nossos maus políticos e os maus políticos deles."

    Concorda, Pedro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo, Teresa.
      Os americanos, o tal americano médio, é capaz de coisas únicas.
      Lembremos só que este foi o povo que elegeu, e reelegeu!!!, George W. Bush.

      Quem é que escreveu esse texto, Teresa?

      Eliminar
    2. É um texto antigo:

      http://o-banquete.blogspot.de/2016/01/trumpianco.html

      com o qual não concordo inteiramente, mas interessante de ler nesta fase final.

      Eliminar
    3. Tem os seus méritos, Teresa.
      E muito de real.
      A tal América profunda existe e é assustadora.

      Eliminar
  7. Está aos olhos de todos que Trump é um pavão de bolsos cheios.

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mesmo essa ideia dos bolsos cheios começa a ser posta em causa, Agostinho.
      Agora deverão estar mais por causa dos donativos.
      Mas, antes de esse dinheiro pingar, havia ali muita basófia e muito pouca massa.
      Aquele abraço

      Eliminar
  8. Vai ser mais do mesmo, estamos entregues à "bicharada".
    Um abraço e continuação de uma boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais do mesmo mas agora com Trump a dizer que os mortos votam, Francisco.
      Aquele abraço, continuação de boa semana

      Eliminar
  9. Espero sinceramente que as sondagens estejam correctas e que a popularidade do senhor esteja a diminuir a olhos vistos!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O dia de hoje pode bem ser o do estertor de Donald Trump, Chic'Ana
      Ele está claramente em queda livre e desesperado.
      Beijinhos

      Eliminar
  10. Eu aposto na última hipótese: ele deve ser um muito mau perdedor! E esperemos que perca, evidentemente, que já se viu que o homem não é de confiança...

    Beijocas

    ResponderEliminar
  11. Trump é um perdedor nato. Surgiu a todo o gás, disparando em (quase) todas as direcções, reuniu as tropas e, enquanto a coisa funcionou - foi para isso que pagou - lá foi andando.
    À medida em que o disparate, a ofensa, a ameaça, tomaram conta das suas intervenções, o espaço de manobra foi diminuindo. A estocada final foi a saída de cena de importantes apoios dentro do Partido Republicano.
    Trump usa a última arma. Aquela que temos visto e ouvido nos debates.
    Antes do último round, hoje em Las Vegas, Trump resolveu fazer mais m***@ ao sugerir que os mortos também votam.
    Durante 20 dias assistiremos a mais do mesmo ou pior, o que não me parece provável.

    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A realidade é que ele tem o oposto do toque de Midas, Rui.
      Onde mete a mão dá m....bosta.
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Pedro, já tudo foi dito e pouco tenho a acrescentar, diei apenas que se tivesse que votar nestas eleições teria que votar de olhos vendados.

    Aquele abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente a escolha não é muito entusiasmante, Ricardo.
      Mas, quando há um Trump ao barulho, qualquer alternativa é melhor.
      Não se pode mesmo dar mais um mandato ao Obama? ;)
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. Lá como cá, votar em quem?
    Não se vota no bom, vota-se no menos mau, a diferença é que cá em Portugal os maus só atingem os portugueses e lá reflecte-se no mundo todo. Mas parece-me que Trump vai muito além do que é simplesmente mau.
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A escolhe é mesmo essa, Isabel - o menos mau.
      Sendo que o mais mau é muito mais que mau - é terrível!
      Bjs

      Eliminar
  14. Não sei o que move ainda trinta e tal porcento de pessoas a votar naquele pedregulho... Deus nos livre de um Presidente dos States assim!

    Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os americanos são uma raça muito especial, Graça.
      Que, quando ouvem falar em Make America Great Again e coisas do género, ficam ainda mais doidos do que normalmente são.
      Chamam a isso a América profunda...
      Beijinhos

      Eliminar
    2. «Que, quando ouvem falar em Make America Great Again e coisas do género, ficam ainda mais doidos do que normalmente são.»

      Os americanos não são doidos e o seu poder económico e militar é a prova viva disso. Esse tipo de comentários racistas contra o povo americano, são típicos de europeus de nariz empinado.

      O facto é que a Europa com tanta "inteligência avançada" que tem, está metida na merda e se os Estados Unidos abandonarem a sua defesa, os europeus não têm meios militares para se defender seja do que for.

      Eliminar
  15. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Não sei se no reino distante além-mar tem o dito popular vigente aqui do lado de cá do grande oceano e Hemisfério que nos separam:
    - "se ficar o bicho pega, se correr o bicho come".
    Já que, nesta situação, ficaria entre a espada e a cruz,se eu fosse eleitor estadunidense votaria na candidata Hillary Clnton, porque ao menos teria a esperança que ela me pegaria para ser um bicho de estimação, bibelô e, se em última instância estivesse faminta, me devoraria...
    Max, traga meus sais centuplicado diluídos numa xícara de chá de falta de opção.
    Caloroso abraço. Saudações "num mato sem cachorro".
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos um ditado popular em tudo semelhante, Amigo João Paulo de Oliveira - preso por ter cão e preso por não ter.
      Será mais ou menos essa a escolha dos americanos.
      Sendo que há um candidato que é muito pior que a outra.
      Aquele abraço

      Eliminar
  16. Este monstro ainda na corrida e os americanos que não abrem os olhos.

    Beijinho Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O marido de uma das minhas tias (não o trato por tio...) dizia que sempre foi, e sempre será, do Benfica e do PCP.
      A maioria dos Republicanos americanos são um bocado assim.
      Com a diferença de não serem do Benfica.
      Beijinhos

      Eliminar
  17. Desta vez portaram-se bastante melhor, curiosamente em LAS VEGAS.

    Hillary vai ser a próxima Presidente dos EUA, mas não vai cumprir nada do que hoje prometeu e vai continuar a mandar tropas para todo mundo.

    Bom dia ou ainda boa noite?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Onze da manhã, Teresa.
      Acho que já se percebeu definitivamente que, depois de um negro, vamos ter pela primeira vez uma mulher como Presidente dos Estados Unidos.

      Eliminar
  18. Um cromo caricato e uma futura presidente
    um tanto chamuscada...

    ~~~ Beijinho ~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O menor de dois males, Majo.
      É mesmo isso.
      Beijinhos

      Eliminar
  19. Trump é "apenas" o maior terror da judiaria internacional:

    http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/10/donald-trump-aparentemente-o-maior.html

    ResponderEliminar
  20. Parece que afinal Trump ganhou.

    Ahahahhahahahhahahahahahah, o último a rir é quem ri melhor....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amanhã vou escrever sobre isso, João José Horta Nobre.
      Fica desde já convidado a ler e comentar.

      Eliminar