26 de outubro de 2016

ASSIM COMEÇOU O POVOAMENTO DA BAHIA (VERÍDICO)


Sentença de 1587
Trancoso, Portugal
Arquivo Nacional da Torre do Tombo
SENTENÇA PROFERIDA EM 1587 NO PROCESSO CONTRA O PRIOR DE TRANCOSO (Autos arquivados na Torre do Tombo, armário 5, maço 7)

"Padre Francisco da Costa, prior de Trancoso, idade de sessenta e dois anos, será degredado de suas ordens e arrastado pelas ruas públicas nos rabos dos cavalos, esquartejado o seu corpo e postos os quartos, cabeça e mãos em diferentes distritos, pelo crime que foi arguido e que ele mesmo não contrariou.

Sendo acusado:

*de ter dormido com vinte e nove afilhadas e tendo delas noventa e sete filhas e trinta e sete filhos;

*de cinco irmãs teve dezoito filhas;

*de nove comadres trinta e oito filhos e dezoito filhas;

*de sete amas teve vinte e nove filhos e cinco filhas;

*de duas escravas teve vinte e um filhos e sete filhas;

*dormiu com uma tia, chamada Ana da Cunha, de quem teve três filhas.

Total: duzentos e noventa e nove, 
sendo duzentos e catorze do sexo feminino e oitenta e cinco do sexo masculino, tendo concebido em cinquenta e três mulheres".

Não satisfeito tal apetite, o malfadado prior, dormia ainda com um escravo adolescente de nome Joaquim Bento, que o acusou de abusar em seu vaso nefandonoites seguidas quando não lá estavam as mulheres.

Acusam-lhe ainda, dois ajudantes de missa, infantes menores, que lhe foram obrigados a servir de pecados orais completos e nefandos, pelos quais se culpam em defeso de seus vasos intocados, apesar da malícia exigente do malfadado prior.

[agora vem o inesperado:]

"El-Rei D. Filipe I de Portugal (Filipe II de Espanha) lhe perdoou a morte e o mandou pôr em liberdade aos dezassete dias do mês de Março de 1587, com o fundamento de ajudar a povoar aquela região da Beira Alta, tão despovoada ao tempo e, em proveito de sua real fazenda, o condena ao degredo em terras de Santa Cruz, para onde segue a viver na Vila da Baía de Salvador como colaborador de povoamento português. El-Rei ordena ainda guardar no Real Arquivo esta sentença, devassa e mais papéis que formaram o processo."

13 comentários:

  1. Pedro, devia ter colocado uma bolinha vermelha no cantinho superior do artigo!!!
    ou seja com 62 anos o prior ainda foi enviado em serviço para o Brasil, entendendo-se que iria aguentar a longa viagem marítima e chegar com capacidades de continuar os seus prodígios de povoamento ?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como li hoje no blogue de uma amiga, descobriram que afinal era voto da caridade e não de castidade.
      Este prior, que era valente!!, deve ter descoberto a marosca antes dos outros, Angela :)))

      Eliminar
  2. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Com tu sabes ficamos sob o domínio espanhol de 1580 a 1640.
    Gostei de saber que o rei perdoou o clérigo fornicador bissexual.
    Caloroso abraço. Saudações perdoadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O estupor do padre não deixava escapar nem uma burra de calças, Amigo João Paulo de Oliveira!!
      Algum medicamento da linha do comprimido azul??? :))))
      Aquele abraço!

      Eliminar
  3. Já conhecia a história do Prior de Trancoso, pke passei mtas horas na Torre do Tombo, mas a História não é uma ciência exata e mesmo as fontes escritas podem ser pouco verdadeiras.





    Resumindo, o sexo e o futebol e só depois a religião sempre dominaram o cérebro de muitos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O estupor do padre era danado para a brincadeira, CÉU!!!

      Eliminar
  4. :))) já conhecia esta sentença tão importante para o povoamento da Bahia :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais importante que a sentença foi o perdão Real, Gábi :)))

      Eliminar
  5. A verdade é mais estranha que a ficção. E neste caso muito cómica :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já tinha ouvido falar em animais de cobrição, The Reader's Tales.
      Em prior de cobrição é que nunca :)))

      Eliminar
  6. Abrenúncio!!
    Há sempre páginas deploráveis na história de cada nação!

    Beijinhos.
    ~~~~~

    ResponderEliminar
  7. não acredito.
    Por essa altura o tipo já devia andar nas últimas não???
    Chiça... não acredito. Mas tantas mulheres se sujeitariam e... nada diriam?

    Bom... é provavel.

    ResponderEliminar