15 de junho de 2016

Kafka e a Boneca Viajante


Um ano antes de sua morte, Franz Kafka viveu uma experiência singular.
Passeando pelo parque de Steglitz, em Berlim, encontrou uma menina chorando porque havia perdido sua boneca.
Kafka ofereceu ajuda para encontrar a boneca e combinou um encontro com a menina no dia seguinte no mesmo lugar.
Nao tendo encontrado a boneca, ele escreveu uma carta como se fosse a boneca e leu para a garotinha quando se encontraram. 
A carta dizia : 
“Por favor, não chore por mim, parti numa viagem para ver o mundo. ”.
Durante três semanas, Kafka entregou pontualmente à menina outras cartas , que narravam as peripécias da boneca em todos os cantos do mundo : Londres, Paris, Madagascar…
Tudo para que a menina esquecesse a grande tristeza!
Esta história foi contada para alguns jornais e inspirou um livro de Jordi Sierra i Fabra ( Kafka e a Boneca Viajante ) onde o escritor imagina como como teriam sido as conversas e o conteúdo das cartas de Kafka.
No fim, Kafka presenteou a menina com uma outra boneca.
Ela era obviamente diferente da boneca original.
Uma carta anexa explicava: 
“minhas viagens me transformaram…”.
Anos depois, a garota encontrou uma carta enfiada numa abertura escondida da querida boneca substituta.
O bilhete dizia:
“Tudo que você ama, você eventualmente perderá, mas, no fim, o amor retornará em uma forma diferente”.

Franz Kafka e a Boneca Viajante

19 comentários:

  1. Uma história fantástica, Pedro.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Daquelas que merecem sempre ser partilhadas, Agostinho.
      Aquele abraço.

      Eliminar
  2. O amor tem esse poder, o da metamorfose. A história é lindíssima e inspiradora. Que bom que a partilhou aqui, Pedro!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta é das tais que temos que partilhar, não podemos guardar só para nós, Miss Smile.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Desconhecia esta fantástica e comovente história, só podia ser de um génio como foi Kafka.
    Um abraço.

    Andarilhar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também não conhecia, Francisco.
      Logo que me foi dada a conhecer tive que a partilhar.
      Aquele abraço

      Eliminar
  4. ~~~
    Linda!
    Que história maravilhosa, Pedro!
    Grata pela divulgação amiga...

    Beijinhos.
    ~~~~~~~

    ResponderEliminar
  5. Que história enternecedora, Pedro!
    Gostava de ler esse livro. Ainda bem que partilhou connosco esta maravilha.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lindo, não é, Janita?
      Estas coisas não se guardam, dão-se a conhecer a todos.
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Não sabia dessa história. Kafka encontrou uma solução fantástica pra diminuir a tristeza da menina. Genial.

    ResponderEliminar
  7. Não conhecia este episódio na vida do meu querido Franz Kafka, uma solução fantástica para diminuir a minha tristeza. Lindíssimo, Pedro.

    ResponderEliminar
  8. Há muitas formas de amor e, ainda que não esqueçamos alguns, nada impede que tenhamos outros.

    Beijinhos, Pedro :)

    ResponderEliminar