8 de junho de 2016

Brexit?


No dia 23 de Junho os britânicos vão decidir a continuidade na União Europeia.
Submetida a referendo, esta decisão baseia-se na resposta a uma pergunta muito directa e muito concreta - "Should the United Kingdom remain a member of the European Union or leave the European Union?".
David Cameron, em campanha eleitoral, tinha prometido a realização deste referendo, argumentando que os britânicos não se pronunciavam acerca da permanência na União Europeia desde 1975 e que era tempo de o fazerem porque a União Europeia tinha vindo a ganhar um controlo crescente sobre a vida dos britânicos.
Depois do anúncio e da tentativa de negociar um estatuto especial para a Grã- Bretanha dentro do clube dos 28, navegando a onda dos altos níveis de imigração e dos receios acerca da progressiva perda de soberania, David Cameron vê agora a Grã-Bretanha em sério risco de ter que abandonar a União Europeia. 
A mesma Grã- Bretanha que não é membro fundador das Comunidades, que manteve sempre uma atitude bastante dúbia face à sua presença na União Europeia – o famoso um pé dentro e outro fora - 
que recusou a adesão ao euro, o projecto transnacional de maior sucesso.
Neste referendo as sondagens mais recentes mostram uma grande clivagem na sociedade britânica sendo os mais jovens os mais favoráveis à manutenção da Grã-Bretanha na União Europeia.
Mais jovens que, sendo mais favoráveis a permanência no seio da União Europeia, se mostram muito pouco motivados para votar.
Os mais velhos, sobretudo com 60 ou mais anos de idade, são os mais eurocépticos e conseguem actualmente levar ligeira vantagem nas sondagens. 
A hipótese de um Brexit é assim cada vez mais real.
Um Brexit que representaria um regresso às origens, com o eixo franco - germânico a dominar, ou poderia, no limite, ser o princípio do fim do sonho europeu.
David Cameron já deve ter percebido que, no cumprimento de uma promessa eleitoral, se arrisca a ficar na História como o coveiro da União Europeia.
Uma hipótese que, precipitada e irresponsavelmente, nunca lhe terá passado pela cabeça.

51 comentários:

  1. Não existe nenhum "sonho europeu", o que existe é o terror europeu.

    Essa porcaria maldita a que chamam de União Europeia não é mais do que um protótipo criado pelas elites, de forma a ensaiar métodos de controlo e engenharia social. O objectivo disso tudo é criar um governo mundial totalitário. Até o fundador do UKIP, o professor Alan Sked já falou disso aqui:

    http://www.telegraph.co.uk/news/newstopics/eureferendum/12018877/The-truth-how-a-secretive-elite-created-the-EU-to-build-a-world-government.html

    ResponderEliminar
  2. A União Europeia é a nova União Soviética:

    http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/06/a-uniao-europeia-e-nova-uniao-sovietica.html

    ResponderEliminar
  3. Documentário que denuncia os luxos, o desperdício, o compadrio, o cinismo e a falta de transparência, de responsabilização e de Democracia dos líderes do projecto totalitário conhecido como União Europeia e por extensão, das instituições que criaram:

    https://www.youtube.com/watch?v=xzAgVGPKjRw

    ResponderEliminar
  4. Sinceramente Pedro não sei se o melhor seria o "sim ou o não", porque a fórmula/bases/finalidades da actual UE está posta em causa, onde existe países que mantêm o seu "sistema" interno e outros como Portugal que perderam tudo ou quase tudo.

    Ainda não percebi a finalidade das "quotas" ou será "cotas"? e fundos dados (dados? pagos a peso de ouro) ficamos sem pesca, indústria e agricultura. Investidos sim no betão e bancos!!!

    Eu que não percebo nada, na altura disse e mantenho até hoje, entrar e ou pertencer SIM, mas termos ou mantermos o "escudo". Posso estar enganada, será Pedro?

    Beijos e um bom dia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O projecto europeu foi completamente subvertido, Fatyly.
      Carente de referências, foi entregue a burocratas e politiqueiros que têm afastado as pessoas cada vez mais do que devia ser o ideal europeu.
      Para além disso, foram efectivamente tomadas decisões completamente obtusas que deixaram os cidadãos furiosos com a perda de soberania que o carácter supranacional das instituições representa.
      Assim se compreende que, depois de se falar intensamente de um Grexit, se esteja agora a falar de um Brexit.
      Beijos, bom dia para Portugal

      Eliminar
    2. Caro Pedro, o "projecto europeu" não foi subvertido. O objetivo foi sempre desde o seu início, criar um super-estado totalitário, que será um percursor para um futuro governo mundial totalitário.

      Essa treta do "sonho europeu" é apenas uma desculpa que os pais fundadores inventaram para disfarçar o que realmente estavam a planear. A Superclasse Mundialista opera por detrás da cortina e obviamente que essa gente nunca vos vai dizer ao que vem.

      Ou achavam mesmo que a elite mundialista vos ía alguma dizer: "Olá, nós estamos aqui a pedir o vosso voto, para poder destruir o vosso País e enfiar-vos a vocês, mais as vossas famílias, num Super-Estado totalitário em que serão tratados como gado descartável?"

      É óbvio que eles jamais vão admitir o que realmente pretendem e ao que vêm. A conversa é sempre a mesma, o "sonho europeu", os "valores europeus", o "projecto europeu" e mais umas tretas que eles inventaram para iludir e enganar os povos da Europa.

      O grande paradoxo nisto tudo é são hoje os nacionalistas a única força na Europa que defende realmente a Liberdade e luta contra o totalitarismo que está a ser planeado. Claro que há idiotas como os nazis da Aurora Dourada, mas essa gente não é exemplo para ninguém e eu até desconfio de que é a própria Superclasse Mundialista que discretamente financia a Aurora Dourada, de forma a poder meter medo às pessoas e difamar todos os restantes nacionalistas que não têm nada a ver com nazis.

      Eliminar
    3. Big Brother is watching you só nos livros de George Orwell.
      E por aqui me fico.

      Eliminar
    4. Pronto, se não quer acreditar não acredite. Eu limito-me a passar a informação às pessoas. Quem quiser continuar a viver iludido e com o cérebro lavado pelos mass media, então força nisso. Que Deus vos ajude...

      Eliminar
    5. http://bairrodooriente.blogspot.com/2016/06/quem-e-jose-joao-horta-nobre-parte-iii.html?m=1

      Pronto, é eu limito-me a passar esta informação às pessoas e não há como não acreditar. Com a devida vénia, Pedro Coimbra, e desculpe a maçada. Cumprimentos.

      Eliminar
    6. Não é maçada nenhuma, Leocardo.
      Pelo contrário.
      Eu também já perguntei à pessoa exactamente quem é.
      Para não se apresentar com mil caras.

      Um abraço

      Eliminar
  5. De passo em passo a Europa vai-se desmoronando, é uma tristeza não haver lideranças fortes nesta velha e decrepita Europa.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa falta de liderança carismática, essa falta de referências, é que está a corroer a pouco e pouco a Europa, Francisco.
      Aquele abraço, continuação de boa semana

      Eliminar
  6. Eu penso que vai permanecer pela Europa, já sentiram na pela a crise dos mercados se tal acontecer... Vamos ver.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que assim seja, Chic'Ana.
      Não gostava de ver a Grã-Bretanha sair da União Europeia.
      Há experiências que podem sair muito caro....
      Beijinhos

      Eliminar
  7. ~~~
    Se a UK sair da UE, os independentistas escoceses agradecem pois, tal como a Irlanda, precisam do apoio europeu.
    A separação da Escócia é uma questão de tempo...

    Beijinhos.
    ~~~~~~~~~

    ~PS~ O 'post' não aparece anunciado nos blogues...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagine as consequências todas que poderão resultar de uma eventual saída da Grã-Bretanha da União Europeia, Majo.
      Nem quero imaginar.

      O Blogger anda doido.

      Beijinhos

      Eliminar
  8. Wait and see, Pedro, wait and see.

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
  9. A unidade europeia está já muito fragilizada. Como se costuma dizer "quem torto nasce ..."
    Se a Europa estivesse a funcionar bem, sentir-me-ia inclinado a que o 'brexit' não fosse em frente. Assim, como está, não sei. Prefiro manter-me atento e aguardar, primeiro pelo resultado de 23 de Junho, depois pelas suas consequências.
    Uma coisa é certa, se a Grã Bretanha saír da UE, muita coisa vai mudar. Para melhor? Veremos.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  10. A unidade europeia está já muito fragilizada. Como se costuma dizer "quem torto nasce ..."
    Se a Europa estivesse a funcionar bem, sentir-me-ia inclinado a que o 'brexit' não fosse em frente. Assim, como está, não sei. Prefiro manter-me atento e aguardar, primeiro pelo resultado de 23 de Junho, depois pelas suas consequências.
    Uma coisa é certa, se a Grã Bretanha saír da UE, muita coisa vai mudar. Para melhor? Veremos.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um dos grandes abandonar a União Europeia seria um péssimo sinal para os outros, António.
      Até em termos de confiança seria um abalo de consequências difíceis de prever.
      Aquele abraço

      Eliminar
  11. Mas há uma coisa que eu não entendo. Se o Pedro gosta assim tanto do "sonho europeu", então porque não vem para a Europa desfrutar e sentir na sua própria pele as maravilhas da "unidade europeia"?!?

    É que isto sempre foi muito bom defender utopias na casa dos outros. Faz-me lembrar aqueles que no tempo da União Soviética viviam na Europa Ocidental, mas andavam a defender o comunismo a leste como sendo a melhor coisa do Mundo...

    Venha lá Pedro. Deixe Macau e venha aqui para a Europa viver o "sonho europeu"! Se isto é assim tão bom, então dê o exemplo e experimente os resultados em si próprio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Portugal é a minha pátria, meu caro.
      E não nego as minhas raízes portuguesas e europeias.
      Acontece que, por destino, vim parar a Macau e é aqui que sou feliz juntamente com a família.
      Mas isso é agora.
      Quando me reformar, não tenha dúvidas que passaremos umas boas temporadas na Europa.
      Que oferece vantagens que não se encontram em mais lado nenhum.
      Mas, devolvendo o desafio, se está tão descontente com a Europa porque é que não se vai embora???

      Eliminar
    2. «Mas, devolvendo o desafio, se está tão descontente com a Europa porque é que não se vai embora???»

      Porque eu não tenho de deixar o meu País. Quem tem de o deixar é a máfia que o sequestrou para o andar a vender a retalho em Bruxelas.

      Só acho é que é hipocrisia alguém não viver na UE e no entanto, andar a querer impingir a UE a quem realmente vive e trabalha cá.

      Eliminar
    3. Mas já não é hipocrisia cuspir no prato em que se come, pois não??
      Isso é integridade.
      Deixe-me rir.

      Eliminar
    4. Qual prato?

      Está agora a querer insinuar que a culpa dos políticos portugueses andarem a pedir dinheiro à UE é minha? Eu não tenho qualquer responsabilidade nisso, porque eu nunca votei em nenhuma partido a favor da UE.

      Repare que eu não disse mentira nenhuma. O Pedro passa a vida neste blog a defender a UE, mas não se sujeita a viver na UE. Quer é impingir a UE aos outros. Desculpe que lhe diga, mas isso não só lhe retira a autoridade moral, como a definição desse comportamento no dicionário é a hipocrisia...

      Faz lembrar os comunistas que gostam muito Comunismo, mas recusam-se a ir experimentar as "maravilhas" do mesmo em Cuba ou na Coreia do Norte.

      Eliminar
  12. Respostas
    1. Até era capaz de a acompanhar nesse grito, ematejoca.
      Mas tenho muito receio do que se poderá seguir a um eventual Brexit.

      Eliminar
    2. Este grito foi uma brincadeira de um cómico alemão em Londres... e os ingleses até acreditaram.

      A nossa Angie morre de desgosto, caso haja um brexit, embora a tragédia fosse ainda mais grave para eles do que para nós.

      Sou da opinião do Carlos: "De qualquer modo creio que os ingleses vão votar a favor da permanência."

      Eliminar
    3. Eu também quero crer que sim, ematejoca.
      Os britânicos acabarão por perceber que seria uma tragédia para eles e para a União Europeia uma saída precipitada e injustificada.

      Eliminar
  13. Não sou entendida em política (nem quero ser!) mas penso que a União Europeia já teve melhores dias... e a cada dia que passa é alvo de maiores críticas. Por algum motivo será, não?
    Repare que estou a falar da UE, apenas!

    Continuação de boa semana.
    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A União Europeia transformou-se num gigante balofo, burocrata, longe do que era o sonho daqueles que a imaginaram.
      Ainda assim continua a ser um espaço de paz, de respeito pelos direitos humanos, pela diversidade, um espaço de liberdade e cultura sem paralelo.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. O Pedro tem aqui um exemplo dessa tal "diversidade" à moda da União Europeia. Venha lá experimentar isto aqui para a UE caro Pedro, porque isto é uma maravilha! Nem imagina o que está a perder, isto é a melhor coisa do Mundo:

      http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/gang_espalha_terror_e_espanca_revisor_da_cp.html

      E ainda há poucos dias atrás, outro grupo de "jovens" africanos mataram a tiro outro sujeito à porta de uma discoteca e mandaram outros dois para o hospital. A "diversidade vibrante" no seu melhor! Viva a UE! Viva a Merkel!

      Eliminar
  14. Coimbramigo

    Fui um europeísta convicto e até andei a divulgar o euro por Portugal como Director de Comunicação da Comissão Euro do Ministério das Finanças onde era patrão o falecido Sousa Franco.

    Hoje nem sequer creio na (des)União dita Europeia, Não gosto de Duktate e é o que faz a Frau Merkel e o fascista em cadeira de rodas Wolfgang Schläble.

    Pelo caminho que esta Europa velha ela já está a aproximar-se de também ser caquéctica. Claro que a caminhos dos 75 anos, mulher, filhos, noras, netos e neta já não posso emigrar. Mas se ainda o pudesse fazer pensava duas vezes.

    Isto porque esta "Europa" por mal dos meus pecados ainda +e o continente em que nasci. Não penso que seja cobardia o não emigrar; creio que é apenas preguicite aguda que caracteriza a velhice. A propósito tenho um textículo sobre a velhica na NOSSA TRAVESSA http://anossatravessa.blogspot.pt

    Esta "Europa" anda cada vez pior; são os imigrantes, é a guerra na Ucrânia que continua mas já não é notícia: são as crises nos países neo-liberais; enfim é tudo.

    Se o RU sair da (des)UE creio que esta vai pelo cano. E seguir-se-á País Basco, a Catalunha e outros mais. Pronto já destilei o fel que a "Europa" hoje me faz; mas, infelizmente tenho de viver nela.

    Qjs para as tua mininas e abç para tu

    Leãozão

    Já podes inscrever-te como seguidor na NOSSA TRAVESSA pois já há lugar para isso. Gostarei muito que o faças. Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Remeto-te pra a resposta que dei no comentário anterior.
      Onde é que vês um espaço com os valores, a liberdade e a paz que a União Europeia proporciona?
      Só por isso, que é tanto!!, não valerá a pena??

      Vou passar agora lá no cantinho.

      Aquele abraço para ti, beijos para a Raquel.

      Eliminar
  15. Cameron deve estra arrependidíssimo de ter prometido o referendo. De qualquer modo creio que os ingleses vão votar a favor da permanência. Se assim não for, a Europa acaba ainda mais cedo do que eu pensava.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também acredito que os britânicos acabem por escolher a permanência na União Europeia, Carlos.
      Essa experiências do orgulhosamente sós já não funcionam há muitos anos.

      Eliminar
    2. Mas e desde quando é que um País por não estar na União Europeia, fica "orgulhosamente sós"?!?!

      Essa é outra ideia da propaganda mundialista. Metem medo às pessoas, tentando enfiar-lhes na cabeça a ideia de que ou ficam na UE, ou então vão ficar "orgulhosamente sós" e vão passar fome e será o fim do Mundo, etc, etc...

      A sério, esse argumento do "orgulhosamente sós" não tem ponta por onde se pegue.

      Eliminar
  16. Respostas
    1. No final acredito que os britânicos digam sim à União Europeia, Diana Fonseca.
      Têm tudo a perder com uma eventual saída.

      Eliminar
  17. Não sei até que ponto isso será mau para a Europa. Eu não entendo nada de política, nem devia falar do assunto para não sair asneira. Mas às vezes penso que a saída da Inglaterra, poderia ser a oportunidade da Europa repensar a actual política e tomar um novo rumo. Porque não acredito que como está actualmente lhe restem muitos anos de vida.
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não ser só mau, Elvira Carvalho, será desastroso.
      Até do ponto de vista psicológico.
      Já imaginou o impacto psicológico da saída de um dos chamados big five??
      Abraço

      Eliminar
    2. Cara Elvira Carvalho, não será nada mau para a Europa e só vai permitir que Portugal reconquiste o seu devido lugar no Mundo.

      Não acredite na propaganda dos mundialistas e dos jornalistas dos grandes media. Essa gente é paga para mentir e desinformar.

      Se quiser saber o que realmente é a União Europeia e quem está por detrás da mesma, dê um salto ao meu blog e lá não lhe falta informação nesse sentido. Se souber ler inglês, o Breitbart é hoje um dos melhores veículos de informação anti-UE:

      http://www.breitbart.com/

      Eliminar
  18. É o RU a querer isolar-se, é o Trump a subir e quiçá ganhar as eleições, é a Europa frágil que temos. O que virá por aí?
    Espero que nada aconteça, porque todos têm a ganhar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não quero acreditar num Brexit nem na vitória de Trump, cantinhodacasa.
      No final acredito que o bom-senso prevaleça e o Reino Unido se mantenha no seio da União Europeia e Trump seja derrotado.

      Eliminar
    2. Vejo por aí imensa gente "bem pensante", isto é, alinhada com os ditames do politicamente correcto, a destilar ódio nas redes sociais contra Donald Trump, ódio este que não só é puramente irracional, como também vai totalmente contra os factos e a realidade comprovada. Vejamos:

      Trump tem tido uma posição extremamente crítica do intervencionismo americano no Mundo e já denunciou inúmeras vezes o desastre que foi não só a invasão do Iraque em 2003, mas também a intervenção da NATO na Líbia em 2011 e posteriormente o ataque contra a Síria, promovido pelo Nobel da Paz, Barack Obama.

      A verdade que os mass media não vos contam porque não lhes convém, é que o Obama e a sua apócrifa secretária de Estado, Hillary Clinton, destruíram a Líbia e a Síria e são directamente responsáveis tanto pela actual crise de refugiados, como pela quantidade de destruição e morte que grassa nesses dois Países.

      Antes da guerra na Líbia e na Síria, já tinha havido a invasão do Iraque em 2003 e esta foi apoiada por nada mais, nada menos, do que a própria Hillary Clinton.

      No entanto e apesar de toda esta morte e destruição que Obama e a senhora Clinton provocaram, os mass media continuam a acarinhar estes dois psicopatas como sendo as pessoas mais virtuosas do Mundo.

      Trump pelo contrário, é odiado pelos media e difamado de manhã à noite nos mesmos. Porquê? Pelo simples motivo de que ele é um comprovado pacifista que não só não é a favor do intervencionismo americano, como ainda quer fazer as pazes com Putin e melhorar as relações dos Estados Unidos com a Rússia.

      Usem a vossa cabeça, pois Deus não vos instalou um cérebro dentro do crânio ao acaso.

      Porque é que os mass media que falam tanto em "direitos humanos", "democracia" e "humanismo", literalmente veneram assassinos como Barack Obama e Hillary Clinton, enquanto simultaneamente, cultivam um ódio de morte ao bem mais pacifista Donald Trump?

      A quem poderá interessar tamanha manipulação das mentes? A quem é que interessa difamar e destruir um anti-intervencionista e nacionalista assumido, enquanto ao mesmo tempo, promovem figuras políticas que nada mais têm feito do que arranjar guerras por todo o Médio Oriente, criando efectivamente o actual caos que reina no mesmo?

      Ainda não chegaram lá?!?

      Não vos vou dar a resposta de tão óbvia que ela é. Mas uma coisa vos digo: Donald Trump é odiado e difamado, não por ser "mau" ou "maluco" ou sequer "perigoso" como os mass media o pintam. Ele é odiado, porque a elite mundialista simplesmente não o controla e ele não acata ordens da mesma, tendo financiado a sua própria campanha praticamente sozinho, contra tudo e contra todos e sem apoios dos grandes lobbies ou plutocratas de Wall Street.

      Talvez eu afinal já vos tenha dado a resposta...

      http://historiamaximus.blogspot.pt/2016/06/o-odio-donald-trump.html

      Eliminar
  19. Olá Sr. Pedro Coimbra, se vive ai em Macau, e que tal um referendo para a continuação de um certo grau de autonomia de Macau para depois de 2049 ? Sim ou não á soberania de Macau ? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa questão nem se põe, Ivan Baptista.
      Macau é parte da China (um país, dois sistemas).
      Essa proposta seria crime (crime de sedição).
      O grau de autonomia depois de 2049 dependerá muito mais (exclusivamente, mesmo) da evolução da China.

      Eliminar
    2. Não ligue Pedro Coimbra. Aqui o Ivanzinho é outra das minhas caridades. Tem que explicar mais devagar e de preferência com recurso a métodos audiovisuais.

      Eliminar
    3. É a primeira vez que Ivan Baptista aparece aqui no blogue.
      E com uma ideia bestial - que tal cometer um crime??
      Não, obrigado.

      Eliminar