5 de maio de 2016

E o Partido Republicano escolheu Trump


Com a vitória no Indiana, e a subsequente desistência de Ted Cruz, já não restam dúvidas - Donald Trump será o candidato Republicano nas próximas eleições gerais americanas.
Donald Trump que no período que se seguiu ao anúncio público da sua candidatura não foi levado muito a sério pela opinião pública e publicada, conseguiu fazer a mistura do populismo com o discurso nacionalista, conseguiu apelar aos receios da ala mais conservadora da sociedade americana, conseguiu falar para a tantas vezes denominada "América profunda", aquela que gosta de um discurso nacionalista e musculado, conseguiu convencer essa "América profunda" que seria não só o único candidato Republicano capaz de derrotar Hillary Clinton como o único capaz de manter os Estados Unidos como maior potência mundial a nível económico e militar.
Ao dirigir-se a este segmento do eleitorado, um segmento que tem medos profundos que Trump soube explorar (emigração, consequente perda de empregos, insegurança interna e externa, crescimento económico e militar da China), Donald Trump não deixa perceber se as linhas de força do seu discurso são fruto de convicções profundas ou resultado de puro oportunismo político.
Apenas se percebe que vendem, que passam, que falam a uma parte muito significativa da população americana.
Goste-se ou não, Trump conseguiu descolar da imagem negativa de vedeta de reality show para se afirmar como um sério candidato à vitória na disputa eleitoral americana (Hillary Clinton ainda surge à frente nas sondagens que colocam frente a frente os candidatos Democrata e Republicano mas a campanha eleitoral a dois ainda nem começou).
"The Donald" tem que ser levado a sério, muito a sério.

53 comentários:

  1. Agora que viu a triste figura que fazia, mudou a agulha do discurso a seu favor. Não é burro de forma alguma, mas na minha modesta opinião, digo-te Pedro que o facto de se ter muito dinheiro...muda e compra-se tudo.

    Não gosto dele nem de Hillary e acho que os americanos estão profundamente divididos depois de terem uma magnífico presidente.

    Enfim...a ver vamos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é que é isso mesmo, Fatyly - os americanos, são mais uma vez a sondagens a dizê-lo, não gostam de um nem do outro.
      Esse sentimento poderá ser o reflexo de qualquer um deles ir suceder a alguém com o carisma e a personalidade de Obama.
      O homem que ainda não saiu e já é uma saudade.

      Eliminar
  2. Os americanos escolheram está escolhido e se ganhar as eleições coisa que eu não acredito apesar da Hillary ser mais do "mesmo" não sei se devemos rir ou chorar, mas é esta a América no seu "melhor".
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a tal "América profunda", Francisco.
      Uma América que, em boa verdade, não se entusiasma com nenhum dos candidatos e que vai optar pelo mal menor.
      Esperemos que esse mal menor seja Hillary.
      Porque Trump era um mal maior.
      Aquele abraço, continuação de boa semana também

      Eliminar
  3. Ai, ai ai!!
    Eu acho que ainda não se aperceberam da verdadeira dimensão do problema!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora mesmo a correr sozinho, Chic'Ana.
      O que mais chateia é que não será só um problema para os americanos, será um problema à escala global
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Olá Pedro, como vai o mundo, ganha-se com o medo e não com perspetivas de abertura aos outros, o medo versus realidade de ricos que têm mais a perder do que os pobres?!ou não será ?

    bem cantava a Capicua, medo do medo...
    https://www.youtube.com/watch?v=qXQ8c04m7VM

    abraço
    Angela

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O receio, o medo, é que está a dar um grande impulso à candidatura de Trump, Angela.
      E ele, que até é sabidão, cavalga a onda.
      Abraço

      Eliminar
  5. Se esta criatura for mesmo o sucessor de Obama, será um pesadelo real e assustador a abater.se sobre todo o mundo !!

    Porém e desgraçadamente, daquela sociedade esmagadoramente inculta e parva dos EUA tudo se pode esperar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse é que é o problema, São.
      Os americanos elegeram e reelegeram Bush.
      Está tudo dito!

      Eliminar
  6. Ted Cruz errou ao não ter sido capaz de perceber que o Congresso Republicano pretendia uma alternativa a Trump.

    A fazer fé no que tem sido quase 'uma regra' - dois mandatos seguidos com alternância entre republicanos e democratas - olhávamos para o inenarrável Donald como o futuro presidente. Só que isto não é, na realidade, uma regra e, assim sendo, é bem provável que Hillary Clinton assuma o cargo mesmo contra a vontade do sempre dividido povo norte americano. Porque, como se costuma dizer, do mal o menos.

    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperemos que essa tradicional alternância não aconteça, António.
      Porque, apesar de nenhum entusiasmar, sempre é preferível uma Mona Lisa a um Mono Liso.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. Ao princípio todos (acho eu...) nos rimos e ninguém o levou a sério nunca imaginei que chegasse tão longe.
    Disse o que bem quis e lhe apeteceu, esqueceu o políticamente correcto e deu a música certa que os americanos queriam ouvir, agora que atingiu a primeira plataforma vai de certeza por outro disco a tocar...
    Acho que ninguém sabe ao certo a dimensão desta eleição...
    bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hillary Clinton leva vantagem nas sondagens.
      Mas, quando se trata de americanos, todo o cuidado é pouco.
      Tenho medo deste tipo, papoila.
      Bjs

      Eliminar
  8. Eu ainda tenho esperança que os americanos elejam o mal menor, ou seja, Hillary. Não consigo conceber outro desfecho.

    Um beijinho, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu, Miss Smile.
      Um Trump era o que agora nos faltava!!
      Beijinhos

      Eliminar
  9. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Ché, e agora?
    Caloroso abraço. Saudações eletivas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus, sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora os americanos têm que escolher o candidato Democrata (Hillary??), Amigo João Paulo de Oliveira.
      Tudo menos esta criatura.
      Aquele abraço

      Eliminar
  10. Detesto o homem que me parece uma aberração, por aquilo que lhe oiço.
    Desculpe a ausência. Depois de três dias fora, ontem não consegui entrar nos blogues.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não peça desculpa, Elvira Carvalho.
      Os blogue seguem depois da vida, não é ao contrário.

      No que se refere à criatura alaranjada, que Deus nos livre de tal tormento!!

      Um abraço

      Eliminar
  11. (???) Das duas uma : ou cerca de metade da população dos usa está enganada ou serei que estou totalmente ! ... (??)
    Só de imaginar dá-me arrepios !

    Abraço, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os americanos têm coisa que só eles compreendem, Rui.
      Depois de elegerem e reelegerem Bush, agora Trump.
      Masoquismo??
      Aquele abraço

      Eliminar
  12. Respostas
    1. Para todos, Gábi.
      Outra especialidade americana.
      Fazem a borrada e levam tudo e todos atrás.

      Eliminar
  13. Com Trump um verdadeiro pesadelo, dos americanos é de esperar tudo :(

    Beijinho Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é mesmo, Adélia.
      Dos americanos é mesmo de esperar tudo.
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Não meteram lá o Bush?
      Pode-se mesmo esperar tudo!!

      E se meterem lá alguém que os «extremistas» não gostam, será expulso à bala. Seria tão somente o 4º presidente a ser levado a resignar por ter morrido, rsss. Fora os que levaram chumbo - ou quase, mas um guarda-costas qualquer saltou na frente, levou com a bala e ficou paralisado para o resto da sua vida. (enfim, divagações).

      Eliminar
    3. Ah, e o mais curioso é que, se tratando dos EUA, se existisse um atentado fracassado, o mais provável é que fosse encomendado, encenado pelo próprio para cimentar a sua simpatia com o público. Afinal, a sombra da morte de Kennedy paira sempre no ar...

      Eliminar
    4. Repito, Portuguesinha, de Trumps e dos americanos podemos esperar tudo.
      Um susto que persiste.

      Eliminar
  14. Provou-se o que já se sabia - que Donald Trump não é uma brincadeira. É certo que os EUA são palco de contrastes enormes, mas é tristíssimo ver como isto pode acontecer num país que nasceu com valores libertários e progressistas tão fortes. Não ganhará as eleições, mas mesmo assim é já um horror e um susto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não ganhará, Nádia??
      Quem me dera ter essa certeza.
      Tenho é medo, muito medo do que dali pode vir.

      Eliminar
    2. Consultando a minha «sopa humana» (comentários no youtube), fiquei mais esclarecida... Trump não ganhará.

      Claro que, se uma maioria que o suporta fizer o estilo dos que não têm ou não sabem usar um computador mas vão votar... este "barómetro" de nada vale.

      Mas uma coisa é real: parece só existir ele. Não há outro nome que sobressaia, pelo menos aqui. É Donald contra uma Hillary. É Trump faz isto, diz aquilo, é aquele outro e... uma Clinton. A projecção que ele tem é quase exclusiva e oblitera qualquer outra.

      Eliminar
    3. Trump é show, é espectáculo, é encenação, Portuguesina.
      Hillary é muito séria, muito baça.
      Um sobressai onde a outra desaparece.

      Eliminar
  15. Donald Trump, Marine Le Pen, Geert Wilders e por aí fora. Todas as causas geram os seus efeitos. Não andassem a criar monstros e a esta hora não os teríamos.

    Populistas? Fascistas? Nazis?? Eles dizem o que o povo quer ouvir, fala-lhes abertamente aquilo que pensam e no que acreditam, sem rodeios nem subterfúgios. Não é isso que a gente quer, saber pelo menos com o que se pode contar? Ainda por cima no caso dos EUA, que no passado sempre tiveram presidentes do estilo do Trump, após dois mandatos do fiasco Obama que tudo o que fez foi piorar a situação do país e também a sua imagem a nível internacional?

    Como sabe, eu não sou dado a politiquices correctas. Eu apoio o Trump e votaria nele se fosse americano. Quero lá saber o que os outros pensam ou dizem porque também eu penso e digo o que eu quero.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me surpreende, FireHead.
      E tem todo o direito a ter a sua opinião por muito que eu não concorde com ela e que ache que a eleição de Trump seria o que de pior podia acontecer a um mundo já muito atribulado.

      Eliminar
    2. É precisamente por o mundo já estar muito atribulado que estas coisas acontecem. Votar na Hillary é manter tudo na mesma, ou seja, ir de mal a pior. Na Europa enquanto continuarem a votar nos mesmos, a coisa só vai piorar. A ascenção do nacionalismo é o grito de revolta.

      Eliminar
    3. Podíamos ficar a trocar ideias o resto do dia que não me "vendia" Trump e todos os Trump do Planeta, FireHaed

      Eliminar
  16. O Donald é um belo pavão e o povão gosta é de tipos assim: coloridos e fanfarrões. E com dinheiro prás bifanas. Tipos assim podem ser uma tempestade por estarem convencidos que a politica é como vender assoalhadas num condomínio cheio de palmeiras.
    Infelizmente, a proposta democrática não passa de um veículo em segunda mão, muito pior que o original. Com muita tinta para parecer novo(a).
    O mundo terá saudades de Obama.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Especialmente os americanos, Agostinho.
      Não conseguem deixar de lado os cowboys.

      Eu já tenho saudades de Obama e ele ainda é presidente, Agostinho.

      Eliminar
  17. Uma sondagem feita logo após as eleições do Indiana, dá a vitória a Trump nas presidenciais de Novembro ( 43/37). Como ontem escrevi, é razão para termos medo. Muito medo!

    ResponderEliminar
  18. Há coisas e pessoas que nunca haviam de existir...mas existem...certas coisas tiram-me do sério...rrrsss...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até a figura da criatura é ridícula, rosa-branca!!

      Eliminar
  19. O triste é que os media dão destaque a este tipo de coisa. Não se escuta falar de Hillary. Pelo menos aqui. A menos, claro, que surja um «escândalo», como alguns emails... lol.

    Trump foi inteligente. Deu o show dele, sabe como chegar ao objectivo. Também não sei se acredita no que diz ou nao. É um homem do espectáculo. E nesse sentido... talvez a política lhe assente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O meu receio é que os americanos, que adoram espectáculo, acabem por se deixar seduzir por essa faceta de Trump, Portuguesinha.

      Eliminar
  20. Respostas
    1. Vem eu, luisa, pelo contrário, tenho medo do que aí poderá vir :(

      Eliminar
  21. O tal tráfego de influencias, Pedro! Só pode! Se ninguém gosta do homem e os americanos podem parecer parvos, mas não são, não acredito que Trump entre na Casa Branca pela porta grande, mas...sabe-se lá a força do poder do dinheiro?
    Com todos os males oxalá seja Hillary a grande vencedora. Aguardemos e rezemos!!

    :(

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hillary não entusiasma, Janita.
      Mas nem é possível compará-la com esta coisa assustadora que é Trump

      Eliminar
    2. Ó Pedro!!...'Tráfego???'... Valha-me Deus! :))

      O que vale é que o Pedro vai dando um desconto. lol

      «Tráfico», certamente...

      Beijinhos

      Eliminar
    3. Acontece a todos, Janita.
      Estas máquinas têm vontade própria.
      Beijinhos

      Eliminar