6 de janeiro de 2016

Novo projecto imobiliário de luxo na Taipa?


Era Hotel New Century quando cheguei a Macau e quando, no restaurante/bar que lá existia, com uma vista excelente sobre Macau e a Taipa, ali comecei a namorar com a minha mulher.
Depois, com a abertura do mercado de jogos de fortuna e azar a novos operadores, nasceu naquele local o estranho casino Greek Mythology.
O hotel, outrora algo sumptuoso, começou a mostrar sinais de algum declínio.
Declínio em tudo ligado a lutas de poder entre os diversos accionistas, os diversos interesses que ali se defrontavam.
Com momentos de grande tensão e violência, consequência das tensões sempre existentes no submundo do Jogo, a ensombrarem o local e o seu prestígio.
E o New Century, marca conceituada, seguiu o caminho do Hyatt (agora Regency), e passou a ser um baço Beijing Imperial Hotel Macau.
Mais lutas de poder, mais declínio, salários em atraso, dramas sociais e humanos que prenunciavam o fim.
No domingo fui lá, como já faço há muitos anos, cortar o cabelo.
E comentei com familiares, durante o almoço, que dava pena olhar para aquele espaço, outrora vivo e pujante, e agora votado ao abandono.
A sensação que me tinha ficado no domingo (o fim estava próximo) teve ontem novos desenvolvimentos.
Ambrose So, na sua qualidade de director-executivo da SJM, afirma que o casino fechou (o hotel para lá caminha...) para ser remodelado e depois reaberto.
Não acredito que seja esse o desfecho, que seja esse o epílogo, desta novela.
Até porque  os rumores de um projecto imobiliário de luxo para aquele local, uma localização privilegiada admita-se, são cada vez mais insistentes.
Fico com a sensação que está a chegar o tempo de dizer adeus ao New Century (será sempre New Century na memória dos que guardam boas memórias daquele local).
E de ali ver nascer (mais) um grande projecto imobiliário dirigido ao chamado segmento de luxo do mercado.

20 comentários:

  1. Os empreendimentos de luxo ganham espaço em todo o mundo.
    E cada dia há mais gente com fome.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aquela localização é excelente, Elvira Carvalho.
      Até estou a ver estes tubarões todos a salivarem.
      Não acredito no futuro do hotel e do casino.
      Aquele espaço vai mesmo para os mandarins do cimento.
      Um abraço

      Eliminar
  2. A ganância do mais e mais que prolifera por todo o mundo e nós por cá continuamos nesse emaranhado. Não há dinheiro para muita coisa básica...mas para o luxo já existe.

    Enfim...

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui ainda há muita ma$$a, Fatyly.
      E malta a falar em austeridade.
      Como se soubessem o que isso é...
      Beijocas

      Eliminar
  3. Os lóbis do cimento têm muito poder e conseguem infelizmente sempre o que querem, e assim vamos vendo desaparecer lugares que nos marcaram.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi ali, em 1996 (15 de Novembro) que comecei a namorar com a minha mulher, Francisco.
      O café/restaurante onde começámos a namorar há muito que estava votado quase ao abandono.
      Agora vai o hotel.
      Um abraço, continuação de boa semana também

      Eliminar
  4. Sempre os interesses a comandarem o mundo.

    Um beijinho com os desejos renovados de um ano novo feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Valore$ mais altos se levantam, Fê.
      Beijinhos, votos de um Maravilhoso 2016.

      Eliminar
  5. E assim se vai desfazendo a História ao sabor de interesses momentâneos--

    Apreciei muito a crónica de Frei Bento

    Bom Dia de Reis

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A solução é simples, São - camartelo e construa-se de novo.

      Frei Bento é um daqueles que os mais ortodoxos acham rebelde.
      Eu partilho muito a sua visão ecuménica.

      Eliminar
  6. Que pena, mas deixou boas lembranças ti e tua esposa.
    Feliz 2016.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi ali que tudo começou, Anajá.
      Feliz 2016 também.

      Eliminar
  7. Vai sendo assim um pouco por todo o lado.

    ResponderEliminar
  8. Quando os interesses monetários dos accionistas/proprietários entram em rota de colisão é que podemos verificar como funciona o capitalismo no seu pior...:P

    Beijocas e Bom Ano!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A solução, neste caso, parece que é deitar tudo abaixo para começar tudo de novo, Teté.
      Beijocas, Bom Ano!

      Eliminar
  9. Aqui na minha terra à beira mar plantada, deitou-se o emblemático Savoy abaixo , agora segundo do notícias vai nascer um novo Savoy tão alto que certamente vai tocar nas .....(bolas) do senhor são Pedro.
    Funchal, julgo que não conheces é rasteiro mas vai assemelhar-se a Singapura ou Dubai não tarda nada.
    Kis:=)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mesmo que aconteceu em Macau, AvoGi.
      Cresceu em altura.
      Porque a falta de espaço a isso obrigou.
      Bjs

      Eliminar
  10. Um arranha-céus de vidro na calha...implantar todo o valor sentimental ou arquitetônico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acredito que seja só um, Agostinho.
      Vamos esperar para ver.

      Eliminar