3 de dezembro de 2015

Ainda a morte da directora dos Serviços de Alfândega


A morte da directora dos Serviços de Alfândega continua na ordem do dia.
A forma precipitada, atabalhoada até, como o Executivo lidou com o caso, não só não esclareceu quaisquer dúvidas, como fez adensar aquelas que legitimamente poderiam existir quando está em causa a morte trágica, brutal, da titular de um dos altos cargos da RAEM.
Poucas horas depois da descoberta do cadáver, em conferência de imprensa, o Chefe do Executivo e o Secretário para a Segurança apressaram-se a classificar a morte como um caso de suicídio sem que tivesse havido tempo para investigar com um mínimo de detalhe e credibilidade o caso.
Pior, ofendo a memória da falecida e os seus familiares, foram revelados pormenores escabrosos acerca do hipoteticamente sucedido.
Para satisfazer a curiosidade mórbida de quem, apetece perguntar.
As dúvidas no seio da sociedade civil cresceram, o sentimento de indignação também, e o Executivo viu-se obrigado a recuar e a deixar de ter tantas certezas para passar a ter também algumas dúvidas.
Só assim se compreendem as recentes declarações do Secretário para a Segurança.
A investigação, conduzida pelas autoridades policiais e o Ministério Público, está a correr os seus trâmites e só quando o Ministério Público elaborar um relatório final com as conclusões dessa investigação haverá lugar a mais esclarecimentos públicos, e até à divulgação de alguns pormenores do caso, desde que devidamente autorizada pelos familiares da falecida.
Não deveria ter sido assim desde o princípio?

41 comentários:

  1. Claro que sim.
    Um abraço

    Não se guie pelo link de actualização do Sexta. Anda outra vez "marado."

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deram os pormenores todos, entraram em todos os detalhes, e agora é que pensam em moderação e pedem moderação???
      Um abraço

      Eliminar
  2. Entraram pela via mais simples e depois como se diz meteram as mãos pelos pés e tentam reparar, é o "normal".
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Continuo a pensar que entraram em pânico, Francisco.
      Sendo titular de um dos altos cargos, é nomeada por Pequim.
      E não se é nomeado por Pequim à toa.
      Aquelas justificações trapalhonas pareceram mais dirigidas ao lado de lá.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. Quer dizer, vizinho, primeiro concluem e só depois averiguam. Começaram a ler o livro pelo fim
    Kiss:>}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que nasce torto, AvoGi....
      Pois é, estamos nesse ponto.
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Respostas
    1. Maria do Mundo,
      Já imaginou o drama da família ao ouvir, em conferência de imprensa, que a pessoa se suicidou e os pormenores mais sórdidos do hipoteticamente sucedido?? :(

      Eliminar
  5. Respostas
    1. Eu apetecia-me dizer muitas asneiras, Karocha

      Eliminar
    2. Eu digo no meu blog e no meu mural do face Pedro.
      E há um "Rapazito" que andou a brincar com o meu dinheiro em Macau e eu fiz uma jura que ia dár cabo dele e vou.
      E o Pedro deve conhecer o "Rapazito" de nome.

      Eliminar
    3. Então realmente tem ligações a Macau, Karocha
      Lamento é que lhe tragam más recordações

      Eliminar
    4. Interfina ?
      Jorge Ferro Ribeiro ?

      Eliminar
    5. Conheço só de nome, Karocha.
      E agora que consultei a sua página pessoal lembro-me da sua cara aqui em Macau.
      É fácil fixar uma cara bonita.
      Estou em Macau há vinte anos, o primeiro no IFT e os restantes no Leal Senado e nas instituições que lhe sucederam
      Casei aqui (conheci a minha mulher no IFT) e tenho duas filhas, uma das quais prestes a atingir a maioridade.
      Lamento mais uma vez ter reavivado más memórias.

      Eliminar
    6. Nunca na minha vida fui a Macau Pedro.

      Eliminar
    7. Grande argolada!!
      Mas olhe que andou por aqui alguém muito parecido com a Karocha.
      Sendo um tipo muito dado a passeios (sou o oposto) não uma boa parte das pessoas que por aqui andam.
      Depois dá asneiras destas.

      Eliminar
  6. Assentua-se a moda do 'atira primeiro pergunta depois'.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estamos a falar da morte trágica de uma pessoa, António.
      Haja moderação, haja respeito.
      Aquele abraço

      Eliminar
  7. No mínimo que seja real a revelação do relatório das conclusões da investigação!

    Um beijinho Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso que se pede, Adélia.
      Não andem a entreter o pagode que não somos todos uma cambada de mentecaptos.
      Beijinhos

      Eliminar
  8. Pedro, que dizer?
    Os políticos são iguais aqui e na....China.
    Aquele abraço e bom fim de semana para si e suas princesas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas há locais em que são mais iguais que noutros, Ricardo.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Aqui , obviamente, não se sabe de nada.


    Lendo os eu post , lembrei-me da morte repentina do Papa João Paulo I ( Albino Luciani).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com a diferença que, com a morte do Papa, houve um cuidado extremo.
      Aqui foi tudo feito em cima do joelho, São.

      Eliminar
  10. Tudo tão apressado, na ânsia de dar a notícia! Haja contenção e cautela!

    Beijos, Pedro. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Eu,
      Mais uma prova que a pressa é inimiga da perfeição.
      Agora que descalcem a bota.
      O que me preocupa, para além da morte da senhora, é a família e aquilo que têm enfrentado.
      Beijos

      Eliminar
  11. Macau is a cover-up city. What I found interesting is the "efficiency" of the Macau government including Ma, the CEO. Where in the world a government would announce within 3 hours the death (the lady who was the assistant customs officer) as suicidal after the body was found in a public toilet. What kind of evidence was that this Macau government had gathered in these 3 "long" hours? It was also interesting enough that Ma said he had consulted with ICAC that she had no open case of corruption. Wasn't it that when there was no corruption involved, then whoever did out of a sudden would always be suicidal?

    It was really unbelievable that the person would cut herself on both arms, cut her throat, took the sleeping pill, and then put the knife back to her purse and zipped it back. Who under such a situation would commit a suicide like this? Give me a break.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. All so convenient, so convincing, isn't it, Unknown??
      And we're suposed to be a bunch of dumbasses that accept anything we're told.

      Eliminar
    2. This is a one-voice city. Who covers who? Unfortunately Macau is not like Hong Kong people who would voice out more, Macau is just one voice.

      Eliminar
    3. Both are SAR of China, Charles Van.
      But the similarities probably stop there.

      Eliminar
    4. The Unknown is, after all, very weel known :))
      Big hug to you, kisses to the girls (including your mother, of course)

      Eliminar
    5. Beijinhos de Macau para São Francisco 😘

      Eliminar
  12. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Este infausto acontecimento me fez lembrar de um "suicido" de um assecla da deusa da Justiça e da Sabedoria aqui de um pais vizinho...
    Caloroso abraço. Saudações inconformadas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É esse o receio, Amigo João Paulo de Oliveira - que o suicídio tenha afinal sido um "suicídio".
      Quando se entra em explicações apressadas e atabalhoadas dá nisto.
      Aquele abraço

      Eliminar
  13. Mórbido! Coitada da senhora. Que terá acontecido? Mas não houve respeito nenhum pela sua morte. Mau de mais!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem respeito pela morte da senhora nem respeito pelos familiares, Graça.
      Inqualificável!!!
      Beijinhos

      Eliminar
  14. Desconhecia, completamente, Pedro!

    Aqui, nada chegou, em termos de comunicação social, que eu tenha ouvido, pelo menos.

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Macau é LONGE, CÉU.
      E a comunicação social aí anda entretida com outras coisas.
      E mais não digo.
      Beijos

      Eliminar
  15. Onde é que eu já ouvi istO?
    Depois da burrice inicial sucedem-se as rectificaçoes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que são como caminhar em areia movediça, Agostinho.
      Quanto mais se "justificam" mais se enterram.

      Eliminar