18 de novembro de 2015

Linhas de Acção Governativa para 2016 - continuidade com novidades


O Chefe do Executivo apresentou ontem na Assembleia Legislativa as Linhas de Acção Governativa para o ano de 2016.
Evolução na continuidade será a expressão mais correcta para qualificar o que ontem se ouviu no hemiciclo na zona dos Lagos Nam Van.
A habitual distribuição de dinheiros, de subsídios, nada de muito novo.
As novidades julgo que se podem resumir a duas - a ausência no discurso da já gasta e patética expressão austeridade e a apresentação da proposta de um Plano de Desenvolvimento Quinquenal para Macau.
Confesso que tinha algum receio de ouvir o Chefe do Executivo bater a tecla da austeridade.
Numa cidade onde o dinheiro abunda, que vive de excedentes orçamentais, para além das brutais reservas que possui, falar de austeridade ofende a mais básica inteligência. 
E torna-se perigoso porque esse discurso tantas vezes repetido começa a entrar na mente das pessoas e o resultado indesejado pode mesmo acontecer.
Esperemos que os Secretários não enveredem por esse caminho...
Bem diferente de austeridade é o combate ao desperdício, o rigor orçamental.
Que se detecta nas propostas apresentadas (redução de 30% no Orçamento) e que devia ser regra mesmo em tempo de "vacas gordas".
Novidade maior, a apresentação do projecto de um Plano de Desenvolvimento Quinquenal, de uma visão de médio prazo, ainda algo incipiente, algo incompleta, mas uma excelente novidade naquilo que apresenta e representa.
Chui Sai On finalmente disse, e compromete-se a tal, o que vê e onde vê Macau no ano 2020.
Ainda faltam os pormenores, a concretização e quantificação das medidas necessárias para atingir os fins, mas esses fins já se vêem.
Finalmente já sabemos para onde caminhamos.
O como, com algum optimismo e acompanhando o poeta Antonio Machado, podemos dizer que o caminho se faz caminhando.

18 comentários:

  1. Bom que as novidades são para melhor.
    por aqui há anos que as novidades são sempre para pior.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O discurso foi same same but different, Elvira Carvalho.
      Teve estas duas novidades, na minha opinião.
      Não houve conversa de austeridade (esta gente lá sabe o que é austeridade!!) e houve o anúncio de objectivos a médio prazo.
      Essas foram as grandes novidades.
      Um abraço

      Eliminar
  2. Pois é meu amigo falar de austeridade em Macau onde o dinheiro escorre e corre pelos casinos parece que não faz sentido.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É até ofensivo para quem realmente foi afectado por políticas de austeridade, Francisco.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. ~~~
    ~ Que soprem ventos de progresso nessa cidade, que já foi de Pérolas...

    ~~~ Beijinho. ~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Começam amanhã os treinos do Grande Prémio de Macau, Majo.
      Até ao próximo domingo a cidade estará dominada pelo barulho dos motores.
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Pelos vistos tudo a correr no sentido correcto. A estabilidade e continuidade são a boa receita. Sabe -se que a inveja e a ostentação que muitos que sobem ao poder mostram para afirmação de egos informados dão maus resultados.
    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vive-se bem aqui, Agostinho.
      E há condições para ainda se viver melhor.
      Haja vontade e imaginação.
      Aquele abraço

      Eliminar
  5. Evolução na continuidade é mais do mesmo, certo?
    É caso para dizer ... Shit!
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sinceramente tinha receio que o Chefe fosse para a conversa da austeridade, António.
      Vá lá que lhe devem ter soprado ao ouvido que não era boa ideia.
      Aquele abraço

      Eliminar
  6. Pois por cá não há novidades. Quer dizer, excetuando que na Europa se estão a borrifar para quem é governo ou não, mas querem o nosso orçamento. Suponho que bem podem esperar sentados... _P

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é que é a questão, Teté - seja o Pedro ou o António a preparar o Orçamento o que a UE quer é o Orçamento.
      Mas, com a pressa que se nota no PR é mesmo melhor seguirem o seu conselho e esperarem sentadinhos.
      Beijocas

      Eliminar
  7. Falar ce austeridade é Macau e pelo que conheço, parece-me tolo.

    Claro que não estou a defender ausência de rigor nas contas nem esbanjamentos.


    Relativamente ao post anterior fiquei preocupada e estas criaturas são comparáveis aos evangélicos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tolo é ser simpático, São.
      Ofensivo será o termo mais adequado.

      Os bárbaros do vídeo anterior não têm comparação com nada nem com ninguém, São ;(

      Eliminar
  8. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Fico cá a divagar como deve ser auspicios num local onde o erário público não tem problemas de caixa.
    Caloroso abraço. Saudações abundantes.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vive-se bem aqui, Amigo João Paulo de Oliveira.
      Poderia ainda viver-se melhor?
      Sem dúvida.
      E nem seria muito complicado.
      Falta talento porque tal$ento vai havendo muito.
      Aquele abraço

      Eliminar
  9. Que se concretize aquilo que o amigo considere que é o melhor,
    pois dinheiro não deve faltar.
    Abraço, amigo.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já houve mais, Irene Alves.
      Mas o que há chega e sobra e até evita alguns desperdícios, alguns abusos.
      Um abraço

      Eliminar