24 de setembro de 2015

Era uma vez um avião que encontrou um pára-quedista




















Nem o piloto nem o para-quedista ficaram gravemente feridos, de acordo com o gabinete do Xerife local. 
Os dois homens foram levados para um hospital. 
O pára-quedista foi tratado e liberado e o piloto ficou internado durante uma noite (apenas para observação).
 

10 comentários:

  1. Que grande cagaço!
    O maior terá sido o do para-quedista que não me admiraria se tivesse borrado o fatinho.
    Caramba já não basta corrermos o risco de sermos atropelados por um carro?
    Bolas...
    Grande abraço pah!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois de ver estas imagens lembrei um antigo colega de liceu, o Borges, que era um tipo que nos fazia rir todos os dias.
      Mas que, às vezes, esquecia os limites.
      Aconteceu isso quando um outro colega resolveu trepar com uma corda até ao tecto do ginásio, perdeu a força e se estatelou com estrondo no chão.
      Enquanto se esperava a ambulância, sem ninguém saber qual a gravidade das lesões, o Borges comentou alto e bom som:
      "Está provado, o homem não foi feito para voar!"
      O professor quase que o matava!! :)))
      Aquele abraço

      Eliminar
  2. ~~~
    ~ «Ele, há coisas!»


    ~ Ri-me com a impertinencia do Borges...

    ~~~ Beijinho. ~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Borges era único, Majo.
      Vivia a cerca de 500 metros do liceu, junto ao Portugal dos Pequenitos.
      E chegava todos os dias atrasado.
      Porque, dizia ele, os transportes públicos andavam sempre cheios e atrasados.
      Até alguns professores descobrirem que ele vivia ao lado do liceu e ele ter a suprema lata de dizer ao mesmo professor de educação física que foi vítima da "o homem não foi feito para voar" que tinha um grave problema sexual (com o ar mais sério e mais acabrunhado que seja possível imaginar).
      Quando o professor o puxou para o lado para ter uma conversa privada com ele, o tipo, outra vez alto e bom som, saiu-se com o inevitável "não tenho tomates para me levantar cedo!!" :))))
      Beijinho

      Eliminar
  3. Que cena! Ainda bem que não se magoaram,'mas podiam!
    Kis :=>)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como eu gosto de andar com os pés assentes no chão, AvoGi!!!
      Beijinhos

      Eliminar
  4. Muito oportuna a informação no final porque era mesmo o que estava a pensar, como teriam ficado...

    ResponderEliminar
  5. Ainda bem que não houve vítimas.
    Um abraço

    ResponderEliminar