13 de agosto de 2015

Uma Assembleia Legislativa que aborrece


O Chefe do Executivo cumpriu o cerimonial e deslocou-se ontem à Assembleia Legislativa para mais uma sessão de perguntas e respostas.
O habitual antes da ida a banhos.
Mais uma sessão aborrecida, enfadonha, sem rasgo, sem novidades.
Como era fácil prever que acontecesse.
Quantos Secretários foram chamados à Assembleia Legislativa nos tempos mais recentes?
Depois das respostas que deram, e do que sempre fica para dizer, o que se esperava da presença do Chefe do Executivo no plenário?
Declarações bombásticas, novidades em cascata?
Chui Sai On é conservador em todas as vertentes.
A começar pelo seu estilo de governação, na sua opção de jogar pelo seguro.
O que se assistiu ontem na Assembleia Legislativa foi uma repetição do que se vai vendo em demasia ao longo do ano - deputados que fazem discursos disfarçados de perguntas, questões que já foram respondidas sectorialmente uma e outra vez, adiamento de respostas e de decisões concretas.
Este modelo de funcionamento da Assembleia Legislativa está gasto, aborrece.
Tem que ser modificado, tem que sofrer uma injecção de energia, de vida, de imaginação, de qualidade.
Sob pena de se ver o órgão legislativo mais e mais afastado dos cidadãos, mais e mais a deixar transparecer uma sensação de pura inutilidade e de feira de algumas vaidades.

11 comentários:

  1. Modelos que só interessam a uns e que raramente chegam aos cidadãos...não será essa a "verdadeira intenção deles" para legislarem, governarem à revelia do povo?

    Onde é que eu já vi coisas destas?

    Enfim meu amigo, melhores dias virão!

    Beijocas extensíveis aos teus

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fatyly,
      Aqueles monólogos na Assembleia Legislativa não interessam a ninguém.
      Como não interessa nada estarem constantemente os governantes para estes não dizerem nada.
      Beijocas

      Eliminar
  2. Pelo que é dado perceber, urge alterar sistemas e procedimentos.
    A pergunta é ... o que fazer e como?
    Abraço, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A primeira proposta que faria passaria por uma maior intervenção do Presidente da Assembleia Legislativa.
      Que, em vez de estar mudo e quedo a assistir aos longos monólogos que ali se ouvem, devia intervir que é para isso que lá está.
      Aquele abraço

      Eliminar
  3. Caro Amigo Pedro Coimbra.
    Eles legislam sempre com o escopo de levar vantagens.
    Caloroso abraço. Saudações vivaldinas.
    Até breve...
    João Paulo de Oliveira
    Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver sem véus, sem ranços, com muita imaginação e com muito gozo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E sem o mínimo de vergonha, Amigo João Paulo de Oliveira :(
      Aquele abraço!

      Eliminar
  4. Pelo que me é dado ler, qual a novidade? Não é assim na maioria das Assembleias? Perdem-se em jogos de palavras que não dizem nada.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta Assembleia está organizada como uma câmara corporativa, Elvira Carvalho.
      E nem disfarçam esse facto.
      Um abraço

      Eliminar
  5. Ou seja, mais uma sessão de vira o disco e toco o mesmo durante o ano!

    Um beijinho Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas, se é para o vira o disco e toca o mesmo, e é!, para que é que chamam lá os governantes TANTA vez???
      Não há pachorra, Adélia.
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Aqui na AR não são perguntas e respostas enfadonhas, como bem sabe, Pedro!

    São sempre as mesmas discussões acaloradas das quais nunca nasce a luz. Pelo contrário, fica sempre tudo mais toldado e a feira de vaidades, a ver qual sobressaia mais, é contínua!
    Estou a ver que, de uma forma ou outra, o mal é geral!

    Beijinhos

    ResponderEliminar