18 de junho de 2015

The Wall


Não, não se trata da obra-prima da banda britânica Pink Floyd.
Este muro ameaça ser muito real, ameaça substituir o Muro de Berlim, agora a separar não um mas dois Estados europeus, um já membro da União Europeia (Hungria), outro em processo de adesão (Sérvia).
Victor Orban, primeiro-ministro húngaro, conhecido pelas suas posições polémicas, extremistas (combate à imigração, aos ciganos, defesa da pena de morte), ameaça construir um novo muro na Europa, a mesma Europa que se quer livre de fronteiras.
Um muro com quatro metros de altura, que barre a entrada a imigrantes sérvios na Hungria (54 mil só nos primeiros meses de 2015, são os números que se apontam).
Não se percebe como poderá um membro da União Europeia assumir tão radical e obtusa posição.
Uma posição que encerra em si a negação da ideia de inclusão, de livre circulação de pessoas, dos mais básicos pilares em que se funda a União Europeia.
Muito menos se percebe a postura dessa mesma União Europeia face a tão grave atentado aos seus fundamentos, à sua raíz.
Aí sim, vale a pena lembrar um trecho fenomenal de The Wall, dos imortais Pink Floyd, para caracterizar a posição da União Europeia face aos desejos expressos pelo irresponsável primeiro-ministro húngaro - comfortably numb.

30 comentários:

  1. bom dia Pedro, porque há muitas desigualdades na Europa continua a haver muros no coração das pessoas, e os mesmos podem facilmente passar para a paisagem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto é inacreditável, Angela - a Europa sem fronteiras passa a ter um muro a dividir um dos seus actuais membros e um dos mais que provável futuros membros???
      Os fundadores do ideal europeu estão a ser apunhalados nas costas desenvergonhadamente!

      Eliminar
  2. A Hungria de democracia tem pouco (ou nada), Pedro, também eu, fiquei estupefacto com o erguer de mais este muro que mais não é que uma punhalada no espírito fundador da CEE/UE.

    Pedro, a Hungria, a Roménia (com o 1º Ministro desaparecido e às costas com uma investigação de hipotética corrupção), são "filhos" da velha União Soviética e não soltaram as suas amarras, ao contrário da República Checa e da Eslováquia.

    Assim, democracia é uma palavra que desconhecem por inteiro, não lhes está no ADN, mas eu pergunto:

    A quem será mais favorável a "criação deste Muro"?

    Eu respondo a ninguém, mas é a Hungria quem mais tem a perder.

    Aquele abraço, meu caro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo,
      Este muro surge ao arrepio de todos os fundamentos do que é a União Europeia, pelos menos do que deve ser.
      E arrepia os europeístas como eu.
      Apetece dizer que a Leste muito pouco de novo.
      O que mais me indigna é não assistir a mais indignação por parte dos Estados que compõem a União Europeia, das próprias instituições europeias, perante este atentado.
      Aquele abraço

      Eliminar
    2. Estão todos distraídos com as Grécia, Pedro. :/

      Eliminar
    3. Mas é que é isso mesmo, Ricardo.
      Hoje houve novidade em Hong Kong - proposta de Pequim rejeitada coma já tinha aqui previsto.
      Teremos grexit news até ao final da semana??

      Eliminar
    4. Não acredito, Pedro.

      Hong Kong não foi novidade, meu caro.

      Eliminar
    5. O resultado deve ter irritado Pequim até ao tutano, Ricardo.
      Uma esmagadora maioria dos deputados abandonou o Legco antes da votação.
      Dos que ficaram, 28 votos contra, incluindo de um deputado pró-pequim, 8 votos a favor.
      De tamanha malha acho que ninguém estava à espera.

      Eliminar
  3. Amigo Pedro onde está ideal europeu ?
    Uma utopia e uma desilusão, este muro é mais uma prova disso.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ainda acredito no ideal europeu, Fê.
      Muito maltratado por estes dias, mas continua válido nas minhas convicções
      Até me custa acreditar num dislate destes :(
      Beijinhos

      Eliminar
    2. Também eu acredito no ideal europeu, Pedro.

      E em dias melhores para a velha Europa.

      Eliminar
    3. Apesar de todos os pesares, também mantenho a crença no ideal europeu, numa Europa dos valores, do humanismo, da democracia e participação, ematejoca

      Eliminar
  4. Quando ontem publiquei a notícia no FB, interroguei-me por que razão a UE mantém um silêncio comprometedor sobre mais uma decisão controversa e violadora das regras da democracia europeia protagonizada pelo fascista húngaro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque está distraída com a Grécia como bem refere o Ricardo, Carlos.
      Agora é só a Grécia que está na agenda.
      O resto agente vê depois, como dizia o Badaró.

      Eliminar
  5. Afinal "aldeia global" não é para todos
    Kis:=>}

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muros no século XXI, AvoGi.
      Parece impossível :((
      Beijinhos

      Eliminar
  6. Da União Europeia só resta o nome ...e não sei por quanto tempo mais.

    Esmagam a Grécia e humilham o seu povo, mas admitem tudo à Hungria !!

    Tudo de bom, Pedro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A União Europeia passa por dias muito complicados, por momentos de indefinição, São.
      Mas eu mantenho a minha convicção no ideal europeu.
      E espero que a União Europeia saia deste momento conturbado ainda mais forte.
      Tudo de bom também, São.

      Eliminar
  7. O mundo dá voltas e os mesmos erros e ganancias do passado voltam, e parece que com maior força. Que pena.
    Tenha um ótimo dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dá voltas para, muitas vezes, voltar ao mesmo, Anajá.
      Incrível!
      Tenho um óptimo dia também

      Eliminar
  8. Parece que esta União Europeia, está cada dia mais longe dos seus ideais.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Está a precisar de fazer uma balanço sereno do que quer e para onde quer ir, Elvira Carvalho.
      E de pensar no que eram os ideias dos pais fundadores.
      Abraço

      Eliminar
  9. Já ouvi falar...

    Ainda há pouco destruiram o de Berlim...

    Nem sei que pense da humanidade, do Homem.

    Não se aprende com a história, o egoísmo e o poder nas suas variadas vertentes é que dão o mote para tudo.

    É dificil ser positivo/a neste planeta.

    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Às vezes a Humanidade parece irresistivelmente atraída para a estupidez, Pérola.
      E toma decisões incríveis e incompreensíveis.
      Beijos

      Eliminar
  10. A UE está velha e gorda. O espírito com que foi criada desapareceu. O que os actuais dirigentes pensam, mas não dizem, é que o muro é a solução para o assalto que vem do exterior. A UE não passa de um gigantesco condomínio fechado com problemas de segurança. E muitos dos condóminos não têm dinheiro para o elevador. E há uma grave distorção de princípios democráticos. O poder não o é.
    Um sintoma do monstro em que se tornou são as sucessivas reuniões que aparentemente só servem para inchar pavões e para as fotos de família. E para arredondar proventos.
    Infelizmente estamos nesta situação, Pedro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Comentário cinco estrelas, Agostinho!!
      E, infelizmente, na mouche!!

      Eliminar
  11. Tanta preocupação por um muro? Então não dá trabalho a quem o constroi? E a quem o deita abaixo? Há para aí tanto desemprego! Deixem construir que alguém os destruirá e a economia avança

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Resolveu aderir à onda de humor negro, alvaro Silva???
      Só pode!!!

      Eliminar
  12. Incrível como acontece uma coisa destas em plena Europa! Até porque a Sérvia mais dia menos dia também será membro da União Europeia. O que é feito da livre circulação de pessoas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A livre circulação de pessoas terá sido metida na gaveta, Paulo Lisboa :(

      Eliminar